Menu
2020-03-14T09:39:33-03:00
Estadão Conteúdo
Tira-teima

Bolsonaro fará novo exame de coronavírus e ficará em isolamento

Conforme apurou o “Estadão”, presidente repetirá o teste no início da próxima semana, devido ao tempo em que passou no avião ao lado do seu secretário de Comunicação, diagnosticado com a doença

14 de março de 2020
8:36 - atualizado às 9:39
Jair Bolsonaro pronunciamento coronavírus
Imagem: Reprodução

Mesmo com o primeiro resultado do exame de coronavírus tendo dado negativo, o presidente Jair Bolsonaro vai repetir o teste no início da semana que vem, segundo o jornal "O Estado de S.Paulo" apurou. Ele também deverá ficar mais alguns dias em isolamento no Palácio da Alvorada.

A medida será necessária pelo tempo que o presidente passou no avião ao lado do secretário da Comunicação, Fabio Wanjgarten, diagnosticado com a doença na quinta-feira, como antecipou o Estado.

Um dos médicos da equipe que acompanha Bolsonaro afirmou à reportagem que o presidente deverá ficar mais um tempo em isolamento. "Ele segue de quarentena até o começo da próxima semana no Palácio do Alvorada. Precisa ficar isolado pelo menos sete dias depois do contato", disse ele ao "Estado", em caráter reservado.

A medida é justificada por auxiliares próximos ao presidente para que seja descartada qualquer possibilidade de algum deles ter contraído o vírus. A maioria voltou de viagem no mesmo avião de Wanjgarten. O voo entre Miami e Brasília durou cerca de nove horas. O presidente, porém, estava em uma ala separada da aeronave, sem contato direto com o secretário.

Mais cedo, a emissora de TV americana Fox News havia informado que um primeiro exame do presidente teve resultado positivo, creditando a informação ao deputado federal Eduardo Bolsonaro (PSL-SP). Na sequência, Jair Bolsonaro informou pela sua página oficial no Facebook que seus exames no Hospital das Forças Armadas e no laboratório Sabin atestaram negativo para o novo coronavírus.

"HFA/SABIN atestam negativo para o COVID-19 o Sr. Pres. da República Jair Bolsonaro", publicou o próprio Bolsonaro nas redes sociais. A publicação foi acompanhada de uma imagem em que o presidente aparece fazendo um gesto de "banana" em direção a jornalistas.

No final da tarde, em live no Facebook, Eduardo Bolsonaro voltou a dizer que não falou com ninguém da Fox. "Eu jamais recebi qualquer tipo de informação dizendo que Jair Bolsonaro testou positivo para Covid-19. Como eu poderia ter repassado adiante para alguém?", afirmou. O deputado federal disse ainda ter estranhado a notícia. "Gosto muito da Fox, assisto, sigo nas redes sociais. Mas deram uma barrigada."

Após ter testado negativo para coronavírus nesse primeiro teste, o presidente Bolsonaro afirmou que a vida segue "normal", com problemas para serem resolvidos. "Vida segue normal, um grande desafio pela frente e muitos problemas para serem resolvidos", disse para apoiadores em frente ao Palácio da Alvorada. Ele seguiu para o Palácio do Planalto, seu local de trabalho. Não constam compromissos na agenda dele.

Na saída da residência oficial, o presidente conversou com apoiadores, mas não os cumprimentou e permaneceu a alguns passos da grade onde as pessoas estavam. "Apesar do meu teste ter dado negativo, eu não vou apertar a mão de vocês", declarou.

Comentários
Leia também
A REVOLUÇÃO 3.0 DOS INVESTIMENTOS

App da Pi

Aplique de forma simples, transparente e segura

sob pressão

Inflação e redução do auxílio emergencial já derrubam vendas nos supermercados

Em outubro, a prévia da inflação, medida pelo Índice de Preços ao Consumidor-15 (IPCA-15) atingiu 0,94%. O resultado é mais que o dobro da inflação registrada em setembro e a maior alta para o mês em 25 anos

efeito pandemia

Setor público tem déficit primário de R$ 64,559 bi em setembro, diz BC

Em função da pandemia, cujos efeitos econômicos se intensificaram em março, o governo federal e os governos regionais passaram a enfrentar um cenário de forte retração das receitas e aumento dos gastos públicos.

AINDA RUIM

Taxa de desemprego atinge 14,4% no trimestre até agosto, a maior desde 2012

País registrou 13,794 milhões de desempregados no período, aumento de 8,5%

VAREJO COMPETITIVO

Fast Shop aposta em conceito ‘luxo’ contra gigantes

Segundo presidente da empresa, expansão em 2020 deve ser de 15% a 20%, elevando a receita do negócio para próximo (ou além) de R$ 5 bilhões

Exile on Wall Street

Tempos modernos, vícios antigos

A indústria ainda tem muito a evoluir no sentido de democratizar produtos eficientes e boas práticas que permitam ao investidor comum internacionalizar sua carteira

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu
Advertisements

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies