Menu
2020-10-29T12:28:38-03:00
Ivan Ryngelblum
Ivan Ryngelblum
Jornalista formado pela PUC-SP, com pós-graduação em Economia Brasileira e Globalização pela Fipe. Trabalhou como repórter no Valor Econômico, IstoÉ Dinheiro e Agência CMA.
Cartada final?

Stone aumenta parcela em dinheiro e retira multa para fechar compra da Linx

Parte em dinheiro da oferta foi aumentada em R$ 0,50 por ação, elevando a parcela em R$ 89,5 milhões

29 de outubro de 2020
9:54 - atualizado às 12:28
maquininha stone
Imagem: Divulgação

Para tentar sacramentar a compra da Linx (LINX3), a Stone apresentou na quarta-feira (28) duas mudanças a sua proposta: aumentou em R$ 0,50 por ação a parcela em dinheiro a ser paga pelas ações da empresa de tecnologia para o varejo e renunciou à multa compensatória de R$ 112,5 milhões caso o acordo não seja aprovado integralmente.

Com o aumento, a Stone pretende pagar R$ 32,06 em dinheiro, mais 0,0126774 ação Classe A, que permanece inalterada. A medida elevou a parcela em dinheiro em R$ 89,5 milhões. A última proposta Stone totalizava R$ 6,3 bilhões.

A Stone também renunciou à multa, a pedido dos conselheiros independentes da Linx. A cobrança foi criticada pela B3, que criticou impor uma punição sobre a manifestação de manter ou não a companhia listada no Novo Mercado “é prejudicial à plena manifestação de vontade do acionista”.

Importante ressaltar que a Stone só abriu mão da multa prevista no caso de os acionistas rejeitarem a sua oferta. Mas manteve a cobrança de R$ 450 milhões prevista no caso de a Linx aceitar uma proposta concorrente. Lembrando que esse pode ser o caso se os acionistas preferirem fechar negócio com a Totvs.

Em carta à Linx, a operadora de máquinas de cartões disse que o objetivo é "afastar controvérsias que poderiam atrapalhar o bom funcionamento da assembleia geral extraordinária da Linx".

Diante destas mudanças, o conselho de administração da Linx autorizou ontem que a diretoria aceitasse os novos termos e votou por manter sua manifestação favorável à operação com a Stone.

A Linx convocou para 17 de novembro a assembleia de acionistas que discutirá a proposta da Stone. A Totvs permanece na briga. Ela convocou uma assembleia de acionistas para aprovar o protocolo e justificação de incorporação da Linx. A reunião foi marcada 27 de novembro.

Comentários
Leia também
CUIDADO COM OS ATRAVESSADORES

Onde está o seu iate?

Está na hora de tirar os intermediários do processo de investimento para deixar o dinheiro com os investidores

seu dinheiro na sua noite

A vingança das sardinhas

Podia ser o título de um filme de terror, mas está mais para uma história de superação. No jargão do mercado financeiro, sardinhas são os pequenos investidores — pessoas físicas como eu e você. No mar revolto da bolsa de valores, as sardinhas costumam virar presas fáceis para os grandes investidores — ou tubarões, como […]

balanço

Pix movimenta R$ 11,8 bilhões na primeira semana de operação

Volume considera as transações realizadas entre o dia 16 de novembro, início da ferramenta, até ontem, dia 22

ainda não é oficial

Biden deve nomear Janet Yellen como secretária do Tesouro, diz jornal

Se confirmada pelo Senado, Janet Yellen será a primeira mulher a assumir a função; bolsas subiram com a notícia

fim do dia

Tudo para cima: Ibovespa fecha em alta com vacina de Oxford 70% eficaz, enquanto risco fiscal pressiona dólar e juros

Principal índice da B3 fecha no maior patamar desde 21 de fevereiro e acumula ganhos de 14% em novembro. Paralisia com reformas e crescente dívida pública instigam alta da moeda americana

Corrida contra o tempo

Moody’s: vacinação em massa tem potencial significativo de melhora do PIB global

Hoje foi a vez da AstraZeneca, que seguiu as farmacêuticas Moderna e Pfizer nas semanas anteriores, todas com eficácia na casa dos 90%.

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu
Advertisements

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies