Menu
2020-02-11T11:53:23-03:00
Vinícius Pinheiro
Vinícius Pinheiro
Diretor de redação do Seu Dinheiro. Formado em jornalismo, com MBA em Derivativos e Informações Econômico-Financeiras pela FIA, trabalhou nas principais publicações de economia do país, como Valor Econômico, Agência Estado e Gazeta Mercantil. É autor dos romances O Roteirista, Abandonado e Os Jogadores
Subiu demais?

Presidente do Itaú diz que ainda não vê bolha na bolsa

Alta das bolsas em todo o mundo é efeito das taxas de juros baixas, mas os resultados das empresas com ações listadas de um modo geral também melhoraram, afirmou Candido Bracher

11 de fevereiro de 2020
11:39 - atualizado às 11:53
Candido Bracher, presidente do Itaú Unibanco
Candido Bracher, presidente do Itaú Unibanco - Imagem: Nilton Fukuda/Estadão Conteúdo

A bolsa brasileira vive uma bolha provocada após a forte alta dos últimos anos e a migração dos recursos dos investidores que estavam na renda fixa? Questionado sobre o tema, o presidente do Itaú Unibanco, Candido Bracher, disse que não. Pelo menos por enquanto.

"Esse é um fenômeno mundial e não chamaria de bolha ainda", afirmou, durante teleconferência com jornalistas para comentar os resultados do banco em 2019.

Bracher disse que a alta das bolsas em todo o mundo é consequência das taxas de juros baixas. Por outro lado, os resultados das empresas com ações listadas de um modo geral também melhoraram.

"Os múltiplos de lucro e os índices de preço e valor patrimonial estão em níveis bastante aceitáveis, então não vejo sinais de bolha. Mas vejo razão para estarmos atentos a isso", afirmou.

2021 será melhor

Sobre as perspectivas para os resultados do banco, o presidente do Itaú Unibanco disse que o lucro de 2020 será menor ao que seria em uma situação normal por três efeitos: o aumento da alíquota da CSLL, o limite de taxa de juros na linha do cheque especial e a queda da taxa básica de juros.

"Como em 2021 teremos crescimento economia e não haverá imposição de novas restrições, diria que nosso desempenho será melhor que o de 2020", afirmou.

Com o teto na linha de cheque especial e a Selic menor, o Itaú projeta que a margem com clientes neste ano em uma faixa entre estabilidade e um aumento de 3%. Em 2019, essa linha do balanço cresceu 8,6%.

As ações do Itaú reagem bem ao balanço e eram negociadas em alta de 2,77% no pregão de hoje da B3. Leia também nossa cobertura completa de mercados.

Comentários
Leia também
A REVOLUÇÃO 3.0 DOS INVESTIMENTOS

App da Pi

Aplique de forma simples, transparente e segura

Mercados hoje

Bolsas sobem em Nova York após dois dias de queda, mas petróleo pressiona índice de empresas brasileiras

Otimismo com retomada da economia norte-americana impulsiona bolsas. A maior surpresa do dia é o Nasdaq, que sobe mesmo com o peso das ações da Netflix

O varejo ferve

Renner mira compra da Dafiti com recursos da oferta de ações

Varejista anunciou captação de até R$ 6,5 bilhões na bolsa e pode usar os recursos para fazer uma proposta pelo e-commerce de moda

Pouso forçado

Demanda por voos deve encerrar o ano em menos da metade do nível pré-pandemia

O prejuízo total das companhias aéreas em 2021 deve ficar entre US$ 47 bilhões e US$ 48 bilhões, de acordo com a ação Internacional de Transporte Aéreo (Iata)

Agora vai?

Governo vai reduzir valor de arrecadação por áreas “micadas” do pré-sal em novo leilão

A arrecadação que o governo pretende receber pela exploração de dois campos do pré-sal foi reduzida em R$ 25,5 bilhões; novo leilão deve acontecer em dezembro

Mercado de capitais

FGTS embolsa quase R$ 900 milhões com venda de ações da Alupar em oferta

O fundo que reúne o dinheiro dos trabalhadores com carteira assinada tinha uma participação de 12% no capital do grupo de geração e transmissão de energia

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies