Menu
Dados da Bolsa por TradingView
2020-11-04T13:41:08-03:00
Estadão Conteúdo
Balanço

IRB tem prejuízo de R$ 229,8 milhões no terceiro trimestre

Em relação ao prejuízo obtido no segundo trimestre, de R$ 685,1 milhões, houve redução de 66,4%. Nos nove primeiros meses do ano, a empresa soma prejuízo de R$ 901,1 milhões

4 de novembro de 2020
13:41
Logo do IRB

O ressegurador IRB Brasil RE registrou prejuízo de R$ 229,8 milhões no terceiro trimestre, ante perda de R$ 19,7 milhões apurada em igual período de 2019. Em relação ao prejuízo obtido no segundo trimestre, de R$ 685,1 milhões, houve redução de 66,4%. Segundo a companhia, o resultado reflete a retomada do mercado segurador mesmo que a pandemia da covid-19 não esteja superada.

"Quando olhamos a operação, já excluindo os contratos descontinuados, observamos um lucro líquido de R$ 149,4 milhões no terceiro trimestre", disse o CEO interino da companhia, Antônio Cássio dos Santos, no relatório trimestral. Nos nove primeiros meses do ano, a empresa soma prejuízo de R$ 901,1 milhões. "O resultado reflete especialmente a aceleração nos avisos de sinistros internacionais, explicados pelo momento de incertezas na economia e na companhia", acrescentou Santos.

O ressegurador passou por uma reestruturação interna este ano, após serem identificadas irregularidades cometidas por ex-diretores e na divulgação de informações, que provocaram questionamentos da Comissão de Valores Imobiliários (CVM) e ações na Justiça. O IRB instaurou uma investigação interna, para averiguar a responsabilidade dos executivos, a qual também foi questionada pela CVM. Os problemas do IRB começaram em fevereiro, quando uma carta pública da gestora Squadra apontou problemas nos resultados da companhia.

Os prêmios emitidos somaram R$ 2,975 bilhões no terceiro trimestre, ante R$ 2,298 bilhões no mesmo período do ano passado e de R$ 2,543 bilhões no segundo trimestre. Os prêmios retidos somaram R$ 1,524 bilhão e o prêmio ganho, R$ 1,545 bilhão no terceiro trimestre. Os sinistros retidos registraram resultado negativo de R$ 1,487 bilhão, contra resultado negativo de R$ 1,282 bilhão no terceiro trimestre de 2019. O resultado de "underwritting" foi negativo em R$ 392,6 milhões, contra um resultado negativo no terceiro trimestre do ano passado de R$ 233,7 milhões. O índice de sinistralidade total foi para 96,2% no terceiro trimestre de 2020, de 90,5% no mesmo período de 2019. No segundo trimestre deste ano, o valor estava em 135,3%.

O ressegurador reiterou que através da estratégia denominada "Re-underwriting", a companhia durante o terceiro trimestre revisitou todos os seus contratos com desempenho insatisfatório e com sinistralidades acima de 100%, tanto no Brasil quanto no exterior, com o objetivo de renegociar as taxas, reduzir exposição e/ou não renovação ou cancelamento dos mesmos.

Em relação às despesas gerais e administrativas no terceiro trimestre, o valor totalizou R$ 79,3 milhões, incremento de 44,7% em relação ao mesmo período de 2019. "Esse aumento decorre, principalmente, do impacto negativo das despesas relacionadas à PREVIRB (fundo de previdência), no montante de R$ 5,3 milhões, sendo que no terceiro trimestre de 2019 esse efeito havia sido positivo em R$ 15,1 milhões", apontou a empresa. No acumulado de 2020, as despesas gerais e administrativas totalizaram R$ 228,5 milhões, avanço de 28,3% em relação a igual época de 2019.

"Estamos recuperando os resultados dentro do cronograma previsto e com o nível de transparência com o qual nos comprometemos. Acreditamos alcançar números positivos no próximo ano, com a melhoria de prêmios especialmente em grandes riscos, como nos setores de petróleo, patrimonial e rural", disse a empresa em seu relatório trimestral.

Comentários
Leia também
UMA OPÇÃO PARA SUA RESERVA DE EMERGÊNCIA

Um ‘Tesouro Direto’ melhor que o Tesouro Direto

Você sabia que existe outro jeito de investir a partir de R$ 30 em títulos públicos e com um retorno maior? Fiz as contas e te mostro o caminho

Tendências da bolsa

AGORA: Ibovespa futuro abre em queda com susto de aumento de imposto e exterior negativo; dólar também recua

A medida pegou os investidores de surpresa e o vencimento de opções em Nova York coloca o exterior sob pressão

O melhor do seu dinheiro

Uma ação para lucrar com a crise hídrica, Bolsonaro eleva IOF, dividendos da Vale e outras notícias do dia

Não é de hoje que o Brasil sofre com risco de apagão e racionamento de energia. Em 2001, o país precisou recorrer a blecautes programados e obrigar famílias e empresas a economizarem energia elétrica sob pena de aumentos pesados na conta de luz. Quem viveu a época lembra bem das trocas de lâmpadas incandescentes por […]

Coluna do jojo

Bolsa hoje: dia de bruxaria nos mercados e um novo IOF para chamar de seu

Novo decreto presidencial aumentou as alíquotas do IOF sobre as operações de crédito para as pessoas físicas e jurídicas de 20 de setembro até 31 de dezembro. Se esta notícia é negativa e pode cair mal na bolsa nacional hoje, temos também a digestão da aprovação da PEC dos Precatórios

De olho na bolsa

Esquenta dos mercados: aumento de IOF pega investidor de surpresa e vencimento de opções no exterior deve movimentar bolsa hoje

O dia deve contar com alta volatilidade nos mercados internacionais, com o quadruple witching e o investidor fica de olho na nova medida do governo

PAPO CRIPTO #002

Por que o bitcoin (BTC) é uma coisa e as criptomoedas agora são outra, segundo o CFO da Ripio

VÍDEO: em entrevista ao Papo Cripto, o diretor financeiro da Ripio fala sobre o que ele espera das criptomoedas e os principais eventos que movimentaram o mercado esta semana

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies