Menu
2020-02-25T22:50:08-03:00
Victor Aguiar
Victor Aguiar
Jornalista formado pela Faculdade Cásper Líbero e com MBA em Informações Econômico-Financeiras e Mercado de Capitais pelo Instituto Educacional BM&FBovespa e UBS Escola de Negócios. Trabalhou nas principais redações de economia do país, como Bloomberg, Agência CMA, Agência Estado/Broadcast e Valor Econômico.
Lugar de gente feliz?

Ações do GPA despencam 7% após balanço mostrar fraqueza no setor de multivarejo

A divisão de multivarejo do GPA — encabeçada pelas redes Pão de Açúcar, Extra e Compre Bem — reportou queda na receita e piora nas margens, gerando uma onda de pessimismo em relação às ações da empresa

20 de fevereiro de 2020
16:08 - atualizado às 22:50
Grupo Pão de Açúcar
Imagem: Jacques Lepine / Estadão Conteúdo

A vida não anda fácil para o GPA. A companhia, que vê o rival Carrefour Brasil conquistar uma participação de mercado cada vez maior, divulgou na noite passada seu balanço referente ao quarto trimestre de 2019 — e os números decepcionaram os investidores.

O tamanho da frustração pode ser medido pelo desempenho dos papéis da empresa nesta quinta-feira (20). As ações PN do GPA (PCAR4) terminaram o pregão em forte queda de 7,33%, a R$ 81,21.

Trata-se da uma das maiores baixas do Ibovespa na sessão de hoje — no pior momento do dia, chegaram a ser negociadas a R$ 80,36 (-8,30%). Com a queda, as ações do GPA agora acumulam perdas de 5,02% na semana e de 7,35% desde o início de 2020.

À primeira vista, os números do GPA não parecem tão negativos. Considerando apenas o segmento alimentar — o carro-chefe da varejista —, o lucro líquido consolidado chegou a R$ 1,09 bilhão em 2019, alta de 34,1% ante 2018. No quarto trimestre, contudo, os dados foram mais fracos: queda de 29,8%, para R$ 266 milhões.

Vale ressaltar, no entanto, que o balanço consolidado do GPA possui uma série de ajustes e efeitos não recorrentes, em função das movimentações organizacionais dentro do grupo Casino — o controlador da empresa brasileira — na América Latina. Em alguns momentos, os números apresentados podem gerar alguma confusão para os mais desavisados.

Desta maneira, é melhor olhar para o desempenho individual de cada divisão do GPA. Há o chamado "atacarejo", encabeçado pela rede Assaí — uma espécie de híbrido entre um atacadista e um supermercado comum — e o multivarejo, representado pelas bandeiras Pão de Açúcar, Extra e Compre Bem.

E, ao separar os números dos dois segmentos, analistas e investidores encontraram resultados pouco animadores, especialmente na segunda categoria.

Ponto fraco

O multivarejo reportou uma receita líquida de R$ 7,1 bilhões no quarto trimestre de 2019, cifra 2,3% menor que a registrada no mesmo intervalo do ano anterior. Segundo o GPA, essa redução se deve, em grande parte, às reformas e conversões de lojas, que reduziram a circulação de pessoas e culminaram num número maior de promoções durante a reabertura.

Além disso, a empresa cita a alta nos preços das carnes no trimestre como um segundo fator de queda no faturamento, já que, com os valores mais altos sendo cobrados, o consumo desses produtos naturalmente diminuiu.

Mas, independente disso, fato é que o desempenho mais fraco do multivarejo pegou o mercado de surpresa. O Ebitda ajustado da divisão recuou 29,3% em um ano, para R$ 445 milhões; a margem Ebitda ajustada piorou 2,4 pontos, para 6,2%.

Por outro lado, o "atacarejo" do GPA continua se expandindo. O Assaí fechou o trimestre com receita líquida de R$ 8 bilhões, alta de 19,3% na base anual, com Ebitda ajustado de R$ 624 milhões — cifra 39,8% maior na mesma base de comparação. A margem Ebitda chegou a 7,8%, aumentando 1,1 ponto ante o mesmo período de 2018.

O bom desempenho do Assaí, contudo, não serviu para aliviar o desconforto dos analistas.

Ceticismo

Em relatório, os analistas Luiz Guanais e Gabriel Savi, do BTG Pactual, mostraram-se decepcionados com os números do GPA e ressaltaram a pressão sobre as margens da divisão de multivarejo.

"Apesar de vermos uma tendência melhor para a companhia em 2020, beneficiado-se da conversão de hipermercados em lojas no formato 'pague e leve' e o fechamento de unidades deficitárias, a recuperação dos fundamentos do GPA deve ser gradual", escrevem os analistas.

Já Victor Saragiotto e Pedro Pinto, do Credit Suisse, dizem que as perspectivas para o setor de multivarejo no curto prazo são desafiadoras, por mais que o processo de reforma e conversão de lojas tenha potencial para trazer benefícios adiante.

Como um todo, o Credit Suisse diz que o balanço trimestral foi fraco, com o desempenho das redes Pão de Açúcar, Extra e Compre Bem neutralizando os avanços vistos na operação do Assaí.

Concorrência

Por mais que o Assaí continue crescendo num ritmo forte, a tendência é a de que a arena do "atacarejo" torne-se cada vez mais disputada daqui para frente.

No início da semana, o Carrefour Brasil acertou a compra de 30 unidades do Makro — as lojas serão convertidas para a marca Atacadão, a bandeira da companhia no segmento de "atacarejo".

Com a aquisição, o Carrefour Brasil amplia sua presença geográfica no setor, já que as lojas compradas ficam fora do Estado de São Paulo, onde o Atacadão já possui muitas unidades. A expansão ocorrerá principalmente no Rio de Janeiro e no Nordeste, dois mercados cruciais para o grupo.

Considerando tudo isso, o mercado mostra-se hesitante quanto ao futuro do GPA. Por um lado, o Assaí segue forte, mas tende a enfrentar concorrência cada vez mais acirrada; por outro, o multivarejo dá sinais de desgaste, sem indício de que poderá engatar uma virada no curto prazo.

Comentários
Leia também
ENCRUZILHADA FINANCEIRA

Confissões de um investidor angustiado

Não vou mais me contentar com os ganhos ridículos que estou conseguindo hoje nas minhas aplicações. Bem que eu queria ter alguém extremamente qualificado – e sem conflito de interesses – para me ajudar a investir. Só que eu não tenho o patrimônio do Jorge Paulo Lemann. E agora?

Títulos públicos

Veja os preços e as taxas do Tesouro Direto nesta quinta-feira

Confira os preços e taxas de todos os títulos públicos disponíveis para compra e resgate

emergência

Auxílio emergencial já pago soma R$ 1,5 bilhão, diz Caixa

Segundo informações do banco, o benefício já foi creditado na conta poupança de 2.150.497 clientes da Caixa, e outros 436.078 lançamentos serão realizados pelo Banco do Brasil ainda nesta quinta

180 dias para pagar

Caixa vai dar carência de seis meses para pagamento de financiamento imobiliário

Opção estará disponível a partir de segunda-feira para a compra de imóveis novos por qualquer linha de crédito; financiamentos em andamento já podiam optar por uma pausa de 90 dias nas prestações

agenda de brasília

Câmara adia votação de projeto de socorro a Estados para dia 13

Além de suspender o pagamento de parcelas de dívidas com a União e bancos, o projeto permite aos governadores tomar crédito novo no limite de até 8% de suas receitas

crise chegando

Pedidos de auxílio-desemprego nos EUA chegam a 6,61 milhões

Total ficou bem acima da expectativa de analistas consultados pelo The Wall Street Journal, de 5 milhões de solicitações

diante da crise

BC autoriza emissão de letra de crédito imobiliário (LCI) por cooperativas

Segundo BC, medida tem potencial para impactar positivamente o setor imobiliário, propiciando condições para aumentar a concorrência e a oferta de produtos e de serviços no sistema financeiro

anticrise

BC libera R$ 3,2 bi em requerimento de capital no crédito para PME

Regra abrange as empresas com receita bruta anual entre R$ 15 milhões e R$ 300 milhões

Exile on Wall Street

De que tipo de estratégia precisamos agora?

Cuidado, pois muitas pessoas confundem estratégia com resultado almejado.

medida emergencial

Instituições poderão reclassificar operações de crédito negociado, diz BC

Medida valerá para as operações renegociadas entre 1º de março e 30 de setembro de 2020

mercados hoje

Ibovespa encosta os 80 mil pontos, seguindo Wall Street; dólar cai a R$ 5,06

Apetite ao risco é sustentado pela divulgação de preços ao produtor nos EUA e os números de pedidos de auxílio-desemprego no país – ambos melhores do que esperado por analistas

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu
Advertisements