⚠️ DIVIDENDOS EM RISCO? Lula, Bolsonaro, Ciro e Tebet querem taxar seus proventos e podem atacar sua renda extra em 2023. Saiba mais aqui

2020-01-27T19:04:41-03:00
Vinícius Pinheiro
Vinícius Pinheiro
Diretor de redação do Seu Dinheiro. Formado em jornalismo, com MBA em Derivativos e Informações Econômico-Financeiras pela FIA, trabalhou nas principais publicações de economia do país, como Valor Econômico, Agência Estado e Gazeta Mercantil. É autor dos romances O Roteirista, Abandonado e Os Jogadores
Uma longa estrada à frente

Credit Suisse vê potencial de alta de 32% para bancos e eleva recomendação de ações do Santander

Os analistas do banco suíço não temem aumento da competição no setor e possuem indicação equivalente a compra para as ações dos quatro grandes bancos

27 de janeiro de 2020
11:47 - atualizado às 19:04
Logo dos bancos Bancos Bradesco, Itau, Santander, Banco do Brasil em cima de passagens de pedágio.
Imagem: Marcos Santos/Jornal da USP - Montagem Andrei Morais

O aumento da competição com o avanço das novas empresas de tecnologia financeira e maior pressão regulatória do Banco Central representa o fim da linha para os grandes bancos brasileiros? Para o Credit Suisse, a resposta é não.

O banco suíço divulgou um longo relatório sobre o setor, no qual apontou que as ações de Banco do Brasil, Itaú Unibanco, Bradesco e Santander Brasil possuem um potencial de valorização médio de 32%.

Os analistas também elevaram a recomendação para os papéis do Santander de neutro para "outperform". O Credit possui indicação equivalente a compra para as ações dos quatro grandes bancos, mas mantém Banco do Brasil e Bradesco como favoritos (top picks). Leia também nossa cobertura completa de mercados.

Para o banco suíço, 2020 deve ser um ano de transição para os bancões, com um avanço de apenas 2,6% nos lucros. Os efeitos da queda da taxa básica de juros (Selic), o aumento da alíquota da CSLL e a limitação da taxa cobrada no cheque especial devem pesar sobre os resultados deste ano.

"Mas o cenário é bem mais claro para 2021 e além, já que a aceleração da margem financeira deve reacender o crescimento dos resultados para taxas de dois dígitos (10,0% em 2021 e 11,6% em 2022)", escreveram os analistas.

Na briga contra as fintechs e instituições de médio porte, a principal arma dos bancos deve ser o controle de custos, segundo o Credit Suisse, que projeta um avanço das despesas abaixo da inflação em 2020 e em linha com o índice de preços nos próximos dois anos.

Para os analistas do banco suíço, mesmo em um cenário de maior competição e estimativas mais baixas de lucro para este ano, as ações dos bancos estão baratas. "Os valuations estão muito atraentes para serem ignorados, especialmente em um cenário de maior crescimento econômico e taxas de juros baixas em níveis sustentáveis."

Entre os riscos, os analistas do Credit Suisse apontam um desempenho mais fraco do que o esperado da economia brasileira, o que poderia afetar a perspectiva de retomada do crédito, além de um aumento da competição maior que o esperado no setor financeiro.

Confira a seguir as recomendações e o preço-alvo dos analistas do Credit Suisse para as ações dos grandes bancos:

Banco do Brasil (BBAS3)

  • Recomendação: outperform (compra)
  • Preço-alvo: R$ 72,00 (potencial de alta de 42%)

Bradesco (BBDC4)

  • Recomendação: outperform (compra)
  • Preço-alvo: R$ 46,00 (potencial de alta de 34%)

Itaú Unibanco (ITUB4)

  • Recomendação: outperform (compra)
  • Preço-alvo: R$ 44,00 (potencial de alta de 29%)

Santander Brasil (SANB11)

  • Recomendação: outperform (compra)
  • Preço-alvo: R$ 54,00 (potencial de alta de 23%)

Comentários
Leia também
UMA OPÇÃO PARA SUA RESERVA DE EMERGÊNCIA

Um ‘Tesouro Direto’ melhor que o Tesouro Direto

Você sabia que existe outro jeito de investir a partir de R$ 30 em títulos públicos e com um retorno maior? Fiz as contas e te mostro o caminho

ENTREVISTA

Elon Musk não está sozinho: o home office pode acabar com o fim da pandemia, alerta um dos principais gurus de carreiras do mercado

1 de outubro de 2022 - 7:23

A exemplo do dono da Tesla um número cada vez maior de empregadores quer os profissionais de volta ao escritório, afirma o mentor de carreiras e escritor Luciano Santos

O MELHOR DO SEU DINHEIRO

Ibovespa fecha setembro no azul, o potencial da Weg (WEGE3) e a semana do bitcoin; confira os destaques do dia

30 de setembro de 2022 - 19:19

O último pregão do mês foi também o último antes da definição do primeiro turno das eleições presidenciais de 2022. Apesar disso, levou um tempo até que a política fosse o principal gatilho para os negócios.  Isso porque o debate final entre os candidatos à chefia do Executivo não trouxe grandes mudanças no cenário-base, já […]

FECHAMENTO DO DIA

Ibovespa fecha setembro no azul por um triz após nova onda do ‘efeito Meirelles’; dólar vai a R$ 5,39

30 de setembro de 2022 - 18:53

O Ibovespa deixou a política parcialmente de lado no último pregão antes do pleito de domingo

Balanço do mês

Os melhores investimentos de setembro: dólar tem a maior alta do mês, e Brasil vai na contramão do mundo com valorização de quase todos os ativos

30 de setembro de 2022 - 18:42

Títulos prefixados vêm logo em seguida, beneficiados pelo fim do ciclo de alta da Selic no Brasil. Veja o ranking completo dos melhores e piores investimentos do mês

EFEITO MEIRELLES 2.0

Bolsa amplia alta e Magazine Luiza (MGLU3) dispara com novo rumor sobre Henrique Meirelles no governo em caso de vitória do petista

30 de setembro de 2022 - 16:01

Descolando de seus pares internacionais, a bolsa brasileira opera em forte alta, mas o grande destaque fica com a curva de juros e a disparada de ações do setor de consumo

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies