Menu
2020-01-27T19:04:41-03:00
Vinícius Pinheiro
Vinícius Pinheiro
Formado em jornalismo, com MBA em Derivativos e Informações Econômico-Financeiras pela FIA. Trabalhou por 18 anos nas principais redações do país, como Agência Estado/Broadcast, Gazeta Mercantil e Valor Econômico. É coautor do ensaio “Plínio Marcos, a crônica dos que não têm voz" (Boitempo) e escreveu os romances “O Roteirista” (Rocco), “Abandonado” (Geração) e "Os Jogadores" (Planeta).
Uma longa estrada à frente

Credit Suisse vê potencial de alta de 32% para bancos e eleva recomendação de ações do Santander

Os analistas do banco suíço não temem aumento da competição no setor e possuem indicação equivalente a compra para as ações dos quatro grandes bancos

27 de janeiro de 2020
11:47 - atualizado às 19:04
Logo dos bancos Bancos Bradesco, Itau, Santander, Banco do Brasil em cima de passagens de pedágio.
Imagem: Marcos Santos/Jornal da USP - Montagem Andrei Morais

O aumento da competição com o avanço das novas empresas de tecnologia financeira e maior pressão regulatória do Banco Central representa o fim da linha para os grandes bancos brasileiros? Para o Credit Suisse, a resposta é não.

O banco suíço divulgou um longo relatório sobre o setor, no qual apontou que as ações de Banco do Brasil, Itaú Unibanco, Bradesco e Santander Brasil possuem um potencial de valorização médio de 32%.

Os analistas também elevaram a recomendação para os papéis do Santander de neutro para "outperform". O Credit possui indicação equivalente a compra para as ações dos quatro grandes bancos, mas mantém Banco do Brasil e Bradesco como favoritos (top picks). Leia também nossa cobertura completa de mercados.

Para o banco suíço, 2020 deve ser um ano de transição para os bancões, com um avanço de apenas 2,6% nos lucros. Os efeitos da queda da taxa básica de juros (Selic), o aumento da alíquota da CSLL e a limitação da taxa cobrada no cheque especial devem pesar sobre os resultados deste ano.

"Mas o cenário é bem mais claro para 2021 e além, já que a aceleração da margem financeira deve reacender o crescimento dos resultados para taxas de dois dígitos (10,0% em 2021 e 11,6% em 2022)", escreveram os analistas.

Na briga contra as fintechs e instituições de médio porte, a principal arma dos bancos deve ser o controle de custos, segundo o Credit Suisse, que projeta um avanço das despesas abaixo da inflação em 2020 e em linha com o índice de preços nos próximos dois anos.

Para os analistas do banco suíço, mesmo em um cenário de maior competição e estimativas mais baixas de lucro para este ano, as ações dos bancos estão baratas. "Os valuations estão muito atraentes para serem ignorados, especialmente em um cenário de maior crescimento econômico e taxas de juros baixas em níveis sustentáveis."

Entre os riscos, os analistas do Credit Suisse apontam um desempenho mais fraco do que o esperado da economia brasileira, o que poderia afetar a perspectiva de retomada do crédito, além de um aumento da competição maior que o esperado no setor financeiro.

Confira a seguir as recomendações e o preço-alvo dos analistas do Credit Suisse para as ações dos grandes bancos:

Banco do Brasil (BBAS3)

  • Recomendação: outperform (compra)
  • Preço-alvo: R$ 72,00 (potencial de alta de 42%)

Bradesco (BBDC4)

  • Recomendação: outperform (compra)
  • Preço-alvo: R$ 46,00 (potencial de alta de 34%)

Itaú Unibanco (ITUB4)

  • Recomendação: outperform (compra)
  • Preço-alvo: R$ 44,00 (potencial de alta de 29%)

Santander Brasil (SANB11)

  • Recomendação: outperform (compra)
  • Preço-alvo: R$ 54,00 (potencial de alta de 23%)
Comentários
Leia também
Um self service diferente

Como ganhar uma ‘gorjeta’ da sua corretora

A Pi devolve o valor economizado com comissões de autônomos na forma de Pontos Pi. Você pode trocar pelo que quiser, inclusive, dinheiro

Mais um recorde: dólar à vista sobe a R$ 4,36 e renova a máxima nominal de fechamento

O dólar à vista subiu mais um degrau nesta quarta-feira (19): pela primeira vez, terminou uma sessão acima dos R$ 4,36, cravando um novo recorde nominal. É a oitava vez em 2020 que a moeda renova as máximas de fechamento

Ainda na liderança

Vitor Hugo crê que permanece como líder do governo; Terra diz não receber convite

O deputado disse que não recebeu sinalizações do presidente Jair Bolsonaro de que poderá ser substituído pelo ex-ministro Osmar Terra

O impasse continua

Após TRT suspender demissões, Petrobras quer negociar desligamentos em fábrica

Encerramento da operação da Ansa é o principal motivo da greve dos petroleiros

Ponto polêmico

Relator mantém trabalho aos domingos na MP do contrato verde e amarelo

Deputado Áureo manteve a permissão para que todos os trabalhadores sejam convocados para trabalhar aos domingos e feriados

Novidade no IR

Programa do IR virá sem dedução da contribuição patronal sobre domésticos

Fim da dedução é a principal novidade para as declarações de IR em 2020

4 a 4

Com placar empatado, julgamento sobre decreto da Petrobras é suspenso no STF

Interrupção se deu diante da ausência dos ministros Celso de Mello e Cármen Lúcia na sessão

Fuga de estrangeiros

Investidor estrangeiro retira R$ 258,518 milhões da B3 no dia 17

Em fevereiro, o saldo acumulado de recursos estrangeiros na Bolsa está negativo em R$ 7,920 bilhões

Parou pelo caminho

Governo desiste de enviar ao Congresso projeto e ‘fast-track’ para privatização

Segundo o secretário Salim Mattar, com a ida do Programa de Parcerias de Investimentos para o Ministério da Economia, o projeto não será mais necessário

Grupo completo

Congresso instala comissão mista para reforma tributária

Presidente da comissão afirmou que a intenção é concluir um texto conjunto em 45 dias

Pensou, sacou

XP Investimentos lança o “resgate express” de fundos e entra no mercado de crédito

Novidade vai permitir que o investidor antecipe resgates de fundos de investimentos com qualquer prazo de liquidação de forma rápida

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu
Advertisements