Menu
2020-10-02T11:10:21-03:00
Ivan Ryngelblum
Ivan Ryngelblum
Jornalista formado pela PUC-SP, com pós-graduação em Economia Brasileira e Globalização pela Fipe. Trabalhou como repórter no Valor Econômico, IstoÉ Dinheiro e Agência CMA.
POTENCIAL DE ALTA DE 26,5%

Credit Suisse eleva preço-alvo de Gerdau diante do bom momento do mercado de aço

Analistas de banco suíço esperam recuperação do mercado de aço e espaço para ajustes positivos de preços

29 de setembro de 2020
11:42 - atualizado às 11:10
Indústria siderúrgica, como CSN, Gerdau ou Usiminas, produzindo aço
Imagem: Shutterstock

A recuperação da demanda por aço no País, combinada com o espaço que se tem para novos ajustes de preços e os resultados do segundo trimestre, fizeram o Credit Suisse elevar o preço-alvo para as ações preferenciais da Gerdau.

O valor passou de R$ 19,00 para R$ 26,00, representando um potencial de alta de 26,5% em relação ao fechamento de segunda-feira (28), de R$ 20,54. A recomendação permanece sendo de compra. Por volta das 11h30, as ações subiam 0,73%, a R$ 20,69. Acompanhe a cobertura de mercados do Seu Dinheiro.

Os analistas Caio Ribeiro e Gabriel Galvão fundamentaram a decisão nos dados do Instituto Aço Brasil (IABR), entidade representativa das empresas brasileiras produtoras de aço. Os números apontam para uma recuperação acentuada da demanda por aço longo, em formato “V”, puxada pelo setor de construção civil, as baixas taxas de juros e a retomada da confiança do consumidor.

Diante destes indicadores, eles decidiram elevar as estimativas para as vendas domésticas de aço, de uma contração de 7% para um crescimento de 2%. “Apesar dos impactos da pandemia na economia brasileira, a demanda por aço longo provou ser bastante resiliente, com as vendas já ficando estáveis no acumulado do ano, se recuperando de uma queda de 20% em abril, em base anual”, diz trecho do relatório.

A boa situação do mercado, combinada com os descontos na paridade dos preços de importação de aço, permitem realizar novos aumentos de preços nos próximos meses. As cotações no Brasil já passaram por três altas de desde julho, de 10%.

Um fator que também pode beneficiar a Gerdau são suas operações nos Estados Unidos, onde a demanda por aço está se recuperando gradualmente, graças à retomada das atividades nas montadoras. A possibilidade de um pacote de estímulo ser aprovado no país pode ajudar ainda mais os resultados.

Estas condições levaram os analistas do Credit Suisse a calcular um lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização (Ebitda, na sigla em inglês) para a Gerdau de R$ 6 bilhões em 2020, o que representaria um aumento ante os R$ 5,7 bilhões apurados em 2019. Para 2021, eles esperam um Ebitda de R$ 7 bilhões.

Eles afirmam que as ações da Gerdau não são uma barganha, sendo negociadas a um múltiplo de 6,3 vezes o EV/Ebitda (indicador que mostra se uma empresa está sub ou supervalorizada), dentro da média história, que varia entre 6,0 e 6,5 vezes, mas destacam que ela deve registrar melhora dos resultados financeiros, podendo apresentar um EV/Ebitda de 7,0 a 7,5 vezes em 2021.

Comentários
Leia também
DINHEIRO QUE PINGA NA SUA CONTA

Uma renda fixa pra chamar de sua

Dá para ter acesso a produtos melhores do que encontro no meu banco? (Spoiler: sim).

uma bolada

Bradesco paga R$ 5 bilhões em juros sobre capital próprio

Valor representa R$ 0,416 por ação ordinária e R$ 0,458 por ação preferencial, após o desconto do Imposto de Renda

seu dinheiro na sua noite

Dólar abaixo de R$ 5, Selic de volta aos 7% e o investimento da Petz em página de gatinhos

Apesar dos avanços na vacinação e do relaxamento nas medidas de distanciamento social, o fato de ainda estarmos convivendo com o coronavírus e uma elevada mortalidade pela covid-19 faz com que 2021 tenha um sabor de 2020 – parte 2. Assim tem sido, pelo menos para mim. Imagino que também seja assim para todas as […]

atenção, acionista

Weg e Lojas Renner anunciam juros sobre capital próprio; confira valores

Empresa de fabricação e comercialização de motores elétricos paga R$ 86,1 milhões; provento da varejista chega a R$ 88 milhões

Alívio no câmbio

Dólar fica abaixo dos R$ 5,00 pela primeira vez em mais de um ano — e o empurrão veio dos BCs

O dólar à vista terminou o dia em R$ 4,96, ficando abaixo dos R$ 5,00 pela primeira vez desde 10 de junho de 2020. O Ibovespa caiu

Constitucionalidade em xeque

Autonomia do Banco Central: STF retoma julgamento no dia 25, mas recesso pode estender votação até agosto

A lei em análise restringe os poderes do governo federal sobre a autoridade máxima da política monetária do País

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies