Menu
2020-02-25T19:40:30-03:00
Vinícius Pinheiro
Vinícius Pinheiro
Formado em jornalismo, com MBA em Derivativos e Informações Econômico-Financeiras pela FIA. Trabalhou por 18 anos nas principais redações do país, como Agência Estado/Broadcast, Gazeta Mercantil e Valor Econômico. É coautor do ensaio “Plínio Marcos, a crônica dos que não têm voz" (Boitempo) e escreveu os romances “O Roteirista” (Rocco), “Abandonado” (Geração) e "Os Jogadores" (Planeta).
Queda de 30% desde o IPO

BMG volta a decepcionar em balanço e ações despencam

Banco registrou prejuízo contábil antes de impostos com novas provisões para ações cíveis e fez projeções de crescimento abaixo do esperado pelo mercado

14 de fevereiro de 2020
15:28 - atualizado às 19:40
BMG futebol
Imagem: Rodrigo Gazzanel/Agência Corinthians

Assim como ocorreu no terceiro trimestre, as ações do Banco BMG reagem em queda violenta à divulgação do balanço dos últimos três meses do ano e de 2019.

O banco registrou lucro líquido de R$ 344 milhões no ano passado pelo critério gerencial, alta de 33,4%. No quarto trimestre, o resultado foi 20% maior e somou R$ 74 milhões. Então, qual foi o problema?

Uma olhada mais atenta nos números mostra que o resultado do BMG foi pior do que parece. Pelo critério contábil, o banco registrou um prejuízo antes de impostos de R$ 210 milhões nos últimos três meses de 2019.

Parte da diferença para o resultado gerencial vem de um ajuste nas provisões no valor R$ 313 milhões, que o banco classificou como não-recorrente, ou seja, que não deve se repetir em resultados seguintes.

Entre os ajustes nas provisões estão as feitas para ações cíveis, justamente aquelas que provocaram desconforto nos investidores no balanço do terceiro trimestre de 2019, o primeiro do BMG após a abertura de capital na B3.

Por outro lado, o banco também descontou do resultado gerencial o ganho de R$ 276 milhões – também extraordinário – obtido com a correção de créditos tributários com o aumento da alíquota da CSLL.

Além das dúvidas sobre o resultado, o BMG divulgou projeções para o resultado de 2020 que apontam um crescimento menor do que o inicialmente esperado pelo mercado.

As ações do banco (BMGB4) fecharam o dia em baixa de 17,58%, cotadas a R$ 7,55. Desde a oferta pública inicial (IPO), há pouco mais de três meses, o banco já perdeu mais de 30% do valor na bolsa. Leia também a nossa cobertura de mercados.

De volta ao balanço gerencial, os resultados vieram abaixo do esperado, segundo o Credit Suisse. "A principal razão para a frustração das nossas estimativas foram as despesas operacionais acima do esperado", escreveram os analistas, em relatório a clientes.

O banco suíço, que foi um dos coordenadores do IPO do BMG, tem recomendação "outperform" (equivalente a compra) para as ações, com preço-alvo de R$ 12,50.

Comentários
Leia também
INVISTA COMO UM MILIONÁRIO

Sirva-se no banquete de investimentos dos ricaços

Você sabe como ter acesso aos craques que montam as carteiras dos ricaços com aplicações mínimas de R$ 30? A Pi nasceu para colocar esses bons investimentos ao seu alcance

Casamento corporativo

Apesar da alta de 30%, ação da Linx ainda não reflete ganhos de possível fusão com Stone, diz gestor

Cotações atuais não levam em conta nem as perspectivas da própria Linx sozinha, segundo Ricardo Campos, sócio da gestora Reach, que tem a empresa como principal posição de seu fundo

caso de "promoção pessoal"

Campo de Lula da Petrobras voltará a se chamar Tupi

A Agência Nacional de Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP) diz que a Petrobras já comunicou a mudança, que está sendo analisada

Casamento à vista?

Linx e Stone negociam fusão; ações disparam

Os papéis da Linx (LINX3) dispararam mais de 30% na B3 após o anúncio, feito por meio de um fato relevante encaminhado na hora do almoço; os papéis da Stone, listados na Nasdaq, também subiam forte

financial journey

Como sair agora da renda fixa?

Dara Chapman vai contar só para você como diversificar seus investimentos agora

resultado positivo

Rentabilidade de 4,90% do FGTS em 2019 supera inflação, poupança e dólar

O valor será repartido de forma proporcional aos saldos de cada conta do FGTS e o depósito ocorrerá até o dia 31 de agosto

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu
Advertisements