Menu
Dados da Bolsa por TradingView
2020-10-21T16:10:29-03:00
Vinícius Pinheiro
Vinícius Pinheiro
Diretor de redação do Seu Dinheiro. Formado em jornalismo, com MBA em Derivativos e Informações Econômico-Financeiras pela FIA, trabalhou nas principais publicações de economia do país, como Valor Econômico, Agência Estado e Gazeta Mercantil. É autor dos romances O Roteirista, Abandonado e Os Jogadores
BDRs mais acessíveis

Investidor considera ter até 25% do patrimônio em ações de empresas estrangeiras, diz pesquisa da XP

Negociação dos BDRs, certificados de ações de empresas listadas em bolsas estrangeiras na B3, será liberada para qualquer investidor a partir de amanhã

21 de outubro de 2020
16:03 - atualizado às 16:10
Tela de celular com aplicativos de Facebook, Apple, Amazon, Netflix e Google
FAANG: as gigantes de tecnologia do mercado americano - Imagem: Shutterstock

A partir desta quinta-feira (22), qualquer investidor brasileiro poderá ter na carteira os chamados BDRs, como são conhecidos os certificados de ações de empresas listadas em bolsas estrangeiras negociados na B3. A negociação até então era restrita a investidores qualificados — que possuem patrimônio de pelo menos R$ 1 milhão.

E o apetite do pequeno investidor de ser sócio de companhias como Amazon, Microsoft e Netflix sem a necessidade de ter conta em corretoras no exterior aparentemente é grande.

Leia também:

Uma pesquisa realizada pela XP Inc. (dona da XP Investimentos, Rico e Clear) com 48 mil clientes mostra que 85% deles estariam dispostos a investir até 25% do patrimônio em papéis de companhias listadas em bolsas estrangeiras.

As empresas de tecnologia são as que mais chamam a atenção, com 86% dos investidores declarando ter interesse no setor. Entre as companhias mais citadas estão: Amazon, Apple, Alphabet (dona do Google), Microsoft, Facebook e Tesla. Todas elas já contam com BDRs.

Outros setores que tiveram destaque foram: Farmacêutico (39,8%), Financeiro/Bancos (37,4%) e Energia (36,6%), ainda segundo o levantamento da XP.

A Comissão de Valores Mobiliários (CVM) decidiu mudar as regras dos BDRs em agosto. Mas o início das negociações ainda estava pendente de uma mudança no regulamento da B3, aprovada ontem pelo regulador. Existem hoje 670 empresas com programas de BDR, segundo a bolsa.

Além da permissão para qualquer investidor ter BDRs de empresas estrangeiras, a CVM autorizou que companhias brasileiras que fizeram ofertas iniciais de ações (IPO) nas bolsas de Nova York e Nasdaq, como a própria XP, tenham BDRs negociados na B3.

Comentários
Leia também
A REVOLUÇÃO 3.0 DOS INVESTIMENTOS

Quem é a Pi

Uma plataforma de investimentos feita para ajudar a atingir seus objetivos por meio de uma experiência #simples, #segura, #acessível e #transparente.

mercado cripto

Bitcoin e criptomoedas: XP e Rico lançam dois fundos, com investimento a partir de R$ 100

Com gestão passiva, produtos são voltados ao público geral, com taxa de administração de 0,5% ao ano, sem proteção cambial ou taxa de performance

Destaques da bolsa

Sem razões para otimismo com o setor de construção, Credit Suisse rebaixa recomendação para a Cyrela (CYRE3) e ações têm queda firme

Em relatório divulgado hoje, a instituição financeira destaca que as ações da construção civil estão descontadas em 20% desde maio, frente ao Ibovespa, que caiu 10%

Novos tempos

De volta ao escritório: Bradesco anuncia retorno ao trabalho presencial a partir de outubro

A retomada gradual está prevista para ocorrer a partir do dia 4 de outubro e vai seguir todos os protocolos sanitários, de acordo com o banco

Exile on Wall Street

O bode branco na sala dos seus investimentos pode sumir — e você nem vai perceber

Daqui a 30 dias, ainda estaremos falando sobre a Evergrande? Sobre os Precatórios? Sobre um risco de golpe institucional? A verdade é que ninguém sabe. Nem mesmo o Guga Chacra. Algoritmos que tentam antever os trending topics do Twitter possuem a mesma eficácia preditiva que a de algoritmos treinados com machine learning para adiantar os movimentos do mercado; em […]

Turbinas no máximo

Embraer (EMBR3) faz acordo para entregar mais 100 eVTOLs, os “carros voadores”

O acordo da vez é com a com a Bristow Group, empresa especializada em soluções de voo vertical; notícia faz ações da Embraer decolarem na B3

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies