🔴 RENDA MÉDIA DE R$ 21 MIL POR MÊS COM 3 CLIQUES – SAIBA COMO

Cotações por TradingView
Kaype Abreu
Kaype Abreu
Formado em Jornalismo pela Universidade Federal do Paraná (UFPR). Colaborou com Estadão, Gazeta do Povo, entre outros.
varejo online

B2W tem alta de 56% nas vendas e diminui prejuízo, que chega a R$ 43,8 milhões

Linha final do balanço é 57% melhor do que há um ano, enquanto mercado falava em prejuízo de R$ 60 milhões no terceiro trimestre; receita teve alta de 58,5% no período

Kaype Abreu
Kaype Abreu
29 de outubro de 2020
21:15 - atualizado às 21:35
parceiro2
Imagem: Divulgação B2W

A B2W, que reúne os sites Americanas.com e Submarino, teve uma alta de 56,2% no GMV (em inglês, volume bruto de mercadoria) no terceiro trimestre, chegando a R$ 7,26 bilhões, segundo dados divulgados pela companhia nesta quinta-feira (29).

A empresa registrou prejuízo de R$ 43,8 milhões, um resultado 57,3% melhor do que há um ano e que supera a estimativa de analistas do mercado - que chegaram a apontar prejuízo de R$ 60 milhões no período. Em termos ajustados, a cifra chega a R$ -36,8 milhões - melhora de 64,1%.

A B2W faz parte de um conjunto de empresas que se beneficiaram na bolsa neste ano, diante da perspectiva de alta nas vendas online por causa da pandemia. As ações da companhia (BTOW3) acumulam alta de 31% desde janeiro.

Ainda entre os principais números do balanço do terceiro trimestre, a varejista apresentou receita líquida de R$ 2,66 bilhões, em uma alta de 58,5% na comparação anual.

O Ebitda (lucros antes de juros, impostos, depreciação e amortização) ajustado subiu 65,7% na mesma base, a R$ 252,3 milhões, segundo dados divulgados pela companhia.

O CEO da B2W, Marcio Cruz, lembrou em que o terceiro trimestre foi marcado pela aquisição do Supermercado Now e a integração da empresa a Americanas - lançando a categoria de mercado.

"No mesmo período, aceleramos o O2O [online to offline, oferta de produtos na internet para o mundo físico], com diversas soluções integradas em todas as lojas da Americanas e em milhares de outros lojistas", disse.

A empresa concluiu recentemente um aumento de capital privado em R$ 4 bilhões. Segundo a companhia, a operação deve permitir a expansão das operações, com parcerias e eventuais aquisições estratégicas.

"Estamos extremamente motivados para anteciparmos o nosso plano estratégico de 3 anos (2020-2022) e iniciarmos, em 2021, uma nova jornada de crescimento exponencial, com a expansão e monetização da nossa plataforma digital", disse Cruz.

Ainda no final do segundo trimestre, analistas lembravam que a plataforma da B2W apresenta uma tendência estrutural positiva por causa da grande variedade de produtos e tráfego.

Compartilhe

Novela americana

Americanas (AMER3) estuda descomplicar reestruturação e ter empresa única no Novo Mercado da B3; entenda

18 de outubro de 2021 - 9:13

A decisão da Americanas de ter uma única empresa listada na B3 ainda não foi tomada, mas deve ser bem recebida pelo mercado; ações têm maior queda do Ibovespa no ano

Não deu match?

Oportunidade ou mico? Por que a ‘nova’ Americanas (AMER3) lidera as quedas do Ibovespa após fusão com a B2W

11 de outubro de 2021 - 6:21

A fusão entre Lojas Americanas e B2W era muito aguardada e considerada essencial para o processo de crescimento da empresa, mas desde que o casamento se concretizou, as ações entraram em queda livre

A bolsa como ela é

Por um lado, reabertura. Por outro, juros mais altos. Como ficam as ações das varejistas?

3 de outubro de 2021 - 8:00

Esse pano de fundo é positivo para varejistas como Marisa, Lojas Renner, Arezzo e Alpargatas. Mas não é tão bom para Via, B2W, Americanas e Magazine Luiza

Bom começo

Americanas (AMER3) mostra força em sua “estreia” nos balanços, e vem mais por aí – Veja os números

13 de agosto de 2021 - 7:31

Resultado do segundo trimestre é o primeiro depois da fusão operacional entre B2W e Lojas Americanas, que ainda trará sinergias

ESTREIA AMARGA

Fruto do casamento entre B2W e Lojas Americanas, holding Americanas S.A estreia com queda de mais de 6% na bolsa

19 de julho de 2021 - 12:36

Além da aversão ao risco, o movimento também conta com um empurrãozinho de uma realização de lucros, após os papéis da B2W subirem forte no último dia de negociações, na sexta-feira (16).

Um novo tempo

Saiba como ficam as ações da ‘nova e velha’ Americanas após fusão com B2W

11 de junho de 2021 - 12:56

Analistas explicam como devem ficar os papéis da holding de investimentos e da empresa resultante da união, aprovada pelos acionistas ontem

OOOOO

B2W sobe aposta em lives de produtos com aplicativo exclusivo para transmissões

4 de junho de 2021 - 19:52

A B2W lançou, nesta sexta, sua plataforma “social commerce”, um app em que é possível acompanhar lives e comprar produtos ao mesmo tempo

foco na geração z

B2W fecha parceria com aplicativo inglês de ‘live commerce’ e planeja acelerar o ‘Americanas ao vivo’

5 de maio de 2021 - 7:47

Acordo prevê a exclusividade do uso da tecnologia e da plataforma da OOOOO pela B2W; app tem foco em consumidores mais jovens

varejo em transformação

Por que as ações de Lojas Americanas caem e as da B2W sobem após acordo de fusão?

29 de abril de 2021 - 17:04

Mercado vê “desconto de holding” em LAME, prevê expansão das Americanas, mas diz que fusão foi feita “provavelmente” para beneficiar majoritários

Enfim, juntas

Lojas Americanas e B2W fecham acordo para combinar operações e preveem listagem nos EUA

28 de abril de 2021 - 21:30

Fusão já era esperada desde fevereiro, quando empresas iniciaram estudos. Todas as operações passam a ser desenvolvidas pela B2W, que se transformará em Americanas S.A.

Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies