Menu
2021-06-11T12:57:02-03:00
Renato Carvalho
Um novo tempo

Saiba como ficam ações da “nova e velha” Americanas após fusão com B2W

Analistas explicam como devem ficar os papéis da holding de investimentos e da empresa resultante da união, aprovada pelos acionistas ontem

11 de junho de 2021
12:56 - atualizado às 12:57
Lojas Americanas Express
Fachada de unidade da rede Lojas Americanas Express, na Avenida Paulista, região central de São Paulo. - Imagem: Estadão Conteúdo/Itaci Batista

Há um consenso no mercado de que a fusão operacional entre Lojas Americanas e B2W será positiva para as duas companhias. E a aprovação pelos acionistas, ocorrida ontem, está dentro do que já era esperado.

Então, agora o trabalho dos analistas é traçar os cenários tanto para a Americanas S.A., empresa resultante da operação e que vai substituir a B2W na Bolsa, quanto para a Lojas Americanas, que passa a ser uma holding de investimentos, e também vai continuar listada na B3.

No primeiro momento, a partir do dia 19 de julho, quando o ticker BTOW3 passa a ser substituído por AMER3, as ações LAME3 e LAME4 vão sofrer o  chamado “desconto de holding”. 

Isso nada mais é, segundo explicam os analistas, resultado da retirada dos ativos operacionais do balanço da Lojas Americanas, onde passará a constar somente a sua participação de 38,9% no capital da Americanas S.A.

Segundo um cálculo feito pela XP, os atuais acionistas da B2W podem ter um retorno de 12,5% logo após a fusão, por conta da incorporação dos ativos.

Já os que possuem ações da Lojas Americanas, após receberem suas participações proporcionais na Americanas S.A., podem ter retornos de 15%, para as ações ON, e 11%, no caso das PN. Isso após o desconto pela retirada dos ativos operacionais da holding.

Para a nova ação, a XP estabeleceu um preço-alvo, após a fusão, de R$ 82. Isso significa que o potencial de valorização em um prazo mais longo, levando em conta o cálculo da própria casa para o preço de AMER3 de R$ 66,50, é de 23%.

O BTG Pactual, em comentário divulgado hoje, aconselha seus clientes a manter posição nas ações da Lojas Americanas até a efetiva conclusão da fusão. “Não faz sentido trocar LAME pela B2W neste momento, a nosso ver”, dizem os analistas.

Mas e os negócios?

Em relação ao futuro operacional, a fusão pode trazer uma nova dinâmica para a B2W, em um contexto de forte competição contra gigantes que têm mostrado muita disposição para ganhar ainda mais força no Brasil.

Com a disposição de diversificação de serviços do Magazine Luiza, principalmente via aquisições, os pesados investimentos anunciados pelo Mercado Livre e o avanço da Amazon, o mercado já esperava alguma movimentação da B2W.

Logo após a teleconferência com executivos das duas empresas para explicar a operação, o time de analistas da Ativa Investimentos ressaltou que até mesmo a comparação com os pares ficará facilitada, já que haverá uma junção entre as operações de lojas físicas e e-commerce.

A Ativa cita principalmente a possibilidade de utilização das lojas como pontos de distribuição das vendas online, e a abertura de novas oportunidades de aquisições. “Nada impede que, no futuro, a holding de investimentos seja utilizada para este fim”, dizem os analistas da casa.

Outro benefício, este citado pela XP, é a utilização de créditos fiscais por conta dos prejuízos acumulados pela B2W, próximos de R$ 3 bilhões. A corretora calcula que estes créditos possam gerar R$ 2,3 bilhões para a nova companhia, ou R$ 2,50 por ação AMER3.

Comentários
Leia também
OS MELHORES INVESTIMENTOS NA PRATELEIRA

Garimpei a Pi toda e encontrei ouro

Escolhi dois produtos de renda fixa para aplicar em curto prazo e dois para investimentos mais duradouros. Você vai ver na prática – e com a translucidez da matemática – como seu dinheiro pode render mais do que nas aplicações similares dos bancos tradicionais.

atenção, acionista

Carrefour paga R$ 175 milhões em juros sobre capital próprio e altera valor de dividendos

Cifra equivale a R$ 0,088148225 por ação em circulação; também anunciou uma modificação do valor por ação dos dividendos aprovados em abril, de R$ 0,382372952 para R$ 0,382361396

maior apetite por risco

Empresas do Brasil captam US$ 4,6 bilhões; montante deve aumentar com ofertas de Stone e Light

Emissores brasileiros haviam paralisado planos de captar no exterior nos últimos meses, em meio à turbulência interna com a pandemia e o aumento do juro norte-americano

em meio ao aumento de consumo de frango

SuperFrango, de Goiás, retomará IPO de R$ 1 bilhão

Após resolver adiar a operação, a empresa fará uma apresentação mais cuidadosa de seu negócio aos analistas; oferta é estimada entre R$ 1 bilhão e R$ 1,5 bilhão

levantamento

Estatais descumprem critérios do marco do saneamento

GO Associados calculou que as companhias públicas do Rio Grande do Norte, Santa Catarina, Alagoas, Maranhão, Amazonas, Pará, Piauí, Roraima, Rondônia e Amapá não atendem a todos os critérios da “etapa 1” do decreto – que prevê o cumprimento de índices mínimos dos indicadores econômicos-financeiros

questionamentos em brasília

Novo marco de saneamento é alvo de ofensiva no Supremo e no Congresso

No Supremo, mais de 20 empresas estatais que prestam hoje serviços no setor querem a volta da possibilidade de fechar os chamados “contratos de programa”, diretamente com as Prefeituras e sem licitação

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies