Menu
2020-08-11T17:01:55-03:00
Vinícius Pinheiro
Vinícius Pinheiro
Formado em jornalismo, com MBA em Derivativos e Informações Econômico-Financeiras pela FIA. Trabalhou por 18 anos nas principais redações do país, como Agência Estado/Broadcast, Gazeta Mercantil e Valor Econômico. É coautor do ensaio “Plínio Marcos, a crônica dos que não têm voz" (Boitempo) e escreveu os romances “O Roteirista” (Rocco), “Abandonado” (Geração) e "Os Jogadores" (Planeta).
Casamento corporativo

Apesar da alta de 30%, ação da Linx ainda não reflete ganhos de possível fusão com Stone, diz gestor

Cotações atuais não levam em conta nem as perspectivas da própria Linx sozinha, segundo Ricardo Campos, sócio da gestora Reach Capital, que tem a empresa como principal posição de seu fundo

11 de agosto de 2020
16:57 - atualizado às 17:01
sede da Linx
Imagem: Divulgação

As ações da empresa de tecnologia para o varejo Linx (LINX3) iniciaram o pressionadas depois que a companhia adiou de ontem para hoje a divulgação do balanço do segundo trimestre, mas logo viraram e começaram a operar em forte alta ainda pela manhã.

A resposta para o movimento aparentemente contraditório saiu na hora do almoço, quando a Linx anunciou que negocia uma fusão com a empresa de maquininhas de cartão e meios de pagamento Stone.

A confirmação de um namoro especulado há tempos pelo mercado levou os papéis da Linx a dispararem mais de 30%. As ações da Stone (STNE), negociadas na bolsa norte-americana Nasdaq, reagem em alta de quase 15% à possível fusão. Leia também nossa cobertura completa de mercados.

Mesmo com a alta de hoje, as ações da Linx ainda não refletem os ganhos potenciais de uma combinação com a Stone. “As cotações atuais não levam em conta nem a própria Linx sozinha”, me disse Ricardo Campos, sócio da gestora Reach Capital, que tem a empresa como principal posição de seu fundo.

As ações da Linx sofreram bastante neste ano com a percepção de que a empresa seria afetada pela queda do varejo com a pandemia do coronavírus. Mas Campos considera essa visão equivocada. “A empresa tem uma grande base de receitas recorrentes e ainda aproveitou a quarentena para ganhar participação no e-commerce.”

Caso a união com a Stone se concretize, a Linx ainda tem a chance de crescer em um negócio em que já atua, mas provavelmente teria mais dificuldades de caminhar sozinha: serviços financeiros.

A empresa já conta, por exemplo, com o Linx Pay, mas ainda se trata de um negócio pequeno e em um ramo de concorrência bastante acirrada. “A companhia não tinha estrutura voltada pra atuar nesse tipo de mercado”, disse o sócio da Reach.

Do ponto de vista da Stone, o negócio também faz todo o sentido, já que a empresa consegue adicionar mais valor aos serviços que presta aos lojistas que operam com as maquininhas da empresa, segundo Campos. “O negócio tem muitas sinergias.”.

Esse tipo de estratégia faz ainda mais sentido com a futura entrada em operação do PIX, o sistema de pagamentos instantâneos do Banco Central, que representa uma ameaça em potencial para as transações com cartões. “Com a Linx, a Stone pode passar a oferecer uma solução que atende a todos os problemas do varejista”, disse.

Com o anúncio das tratativas para a combinação dos negócios, a divulgação do balanço da Linx, remarcado para hoje à noite, e a teleconferência de resultados prevista para amanhã de manhã ganham ainda mais importância.

Comentários
Leia também
ENCRUZILHADA FINANCEIRA

Confissões de um investidor angustiado

Não vou mais me contentar com os ganhos ridículos que estou conseguindo hoje nas minhas aplicações. Bem que eu queria ter alguém extremamente qualificado – e sem conflito de interesses – para me ajudar a investir. Só que eu não tenho o patrimônio do Jorge Paulo Lemann. E agora?

follow on

Ânima levanta R$ 918 milhões em oferta restrita de ações

Recursos levantados serão destinados a financiar parte da aquisição dos ativos do grupo americano de educação Laureate no Brasil

na briga

Em meio a IPO da Rede D’Or, Dasa adquire rede de hospitais em SP por R$ 1,77 bi

Com Leforte, companhia passa a ter cinco hospitais na região metropolitana de São Paulo e expande número de leitos de internação para 2,6 mil

Entrevista exclusiva

Meta da Mitre é lançar cerca de R$ 1,5 bi por ano e pagar ‘bastante dividendo’, diz CEO

Com queda de cerca de 20% no preço das ações desde o IPO, a construtora Mitre Realty entregou bons resultados no 3º trimestre e atingiu 75% da meta inicial de lançamentos para o ano; a partir de 2021, objetivo é estabilizar em seu “tamanho ideal” e focar em rentabilidade e dividendos, diz o presidente Fabrício Mitre.

Sextou com o Ruy

Compre ações de empresas que ganham junto com o cliente

A Pagseguro e a Stone são ótimos exemplos dessa mudança. Elas surgiram com o propósito de melhorar a experiência para os clientes insatisfeitos com os serviços da Cielo e da Redecard

prévias operacionais

Na Gol, demanda por voos cai 43,8% em novembro na comparação anual

No acumulado em 11 meses, a demanda tem recuo de 53,6% na comparação com 2019, enquanto a oferta recuou 52,4%

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu
Advertisements

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies