Menu
2020-09-14T17:29:41-03:00
Vinícius Pinheiro
Vinícius Pinheiro
Formado em jornalismo, com MBA em Derivativos e Informações Econômico-Financeiras pela FIA. Trabalhou por 18 anos nas principais redações do país, como Agência Estado/Broadcast, Gazeta Mercantil e Valor Econômico. É coautor do ensaio “Plínio Marcos, a crônica dos que não têm voz" (Boitempo) e escreveu os romances “O Roteirista” (Rocco), “Abandonado” (Geração) e "Os Jogadores" (Planeta).
Educação

Ações da Ser disparam com acordo para comprar Laureate, mas Yduqs quer entrar na disputa

O contrato da Ser Educacional com a Laureate possui uma cláusula de “go-shop”, ou seja, o grupo tem até o dia 13 de outubro para receber uma proposta mais vantajosa de um terceiro

14 de setembro de 2020
12:46 - atualizado às 17:29
Anhembi Morumbi
Imagem: Laureate.net

O acordo para a aquisição das operações da rede de ensino Laureate — dona das universidades Anhembi Morumbi e FMU no país — impulsiona as ações da Ser Educacional no pregão desta segunda-feira na B3.

Os papéis da empresa (SEER3) encerraram a sessão em alta de 10,21%, cotados a R$ 16,76. Leia também nossa cobertura completa de mercados.

O acordo para aquisição prevê o pagamento de R$ 1,7 bilhão em dinheiro mais 101.138.369 em ações que serão emitidas pela Ser. Os papéis serão emitidos com a criação de um programa de recibos de ações (ADRs) na bolsa de Nova York

O grupo norte-americano Laureate conta com 11 unidades no Brasil e aproximadamente 267 mil estudantes. A aquisição mais que dobra o total de alunos da Ser para 455 mil alunos, aproximando a rede de nomes como Yduqs e Cogna.

Mas apesar da reação positiva das ações ao negócio, o jogo ainda não está ganho para a Ser. Isso porque o contrato com a Laureate possui uma cláusula de “go-shop”, ou seja, o grupo tem até o dia 13 de outubro para receber uma proposta mais vantajosa de um terceiro.

E a empresa já tem pelo menos uma potencial interessada. A Yduqs informou hoje pela manhã que está “aprofundando o entendimento” dos ativos e acredita ter condições de apresentar uma proposta mais atraente.

“Os dados públicos divulgados da transação demonstram um forte potencial estratégico e de geração de valor que as nossas empresas combinadas teriam”, acrescentou a Yduqs, em fato relevante.

O negócio impulsionou as ações do setor de educação como um todo hoje na B3. Os papéis da Yduqs (YDUQ3) fecharam negociados em forte alta de 7,96% e os da Cogna (COGN3) subiram 4,91%. Fora do Ibovespa, Ânima ON (ANIM3) subiu mais de 8,96%.

Comentários
Leia também
CUIDADO COM OS ATRAVESSADORES

Onde está o seu iate?

Está na hora de tirar os intermediários do processo de investimento para deixar o dinheiro com os investidores

Necessidade econômica

Reação do mercado de trabalho na pandemia depende de condição sanitária, diz IBGE

A população ocupada encolheu em 8,373 milhões de pessoas em um ano, enquanto o total de desempregados aumentou em 2,294 milhões.

Subindo

Insumo no atacado tem forte alta em 12 meses, diz FGV

Em 12 meses, registraram a maior alta da série iniciada em agosto de 1995.

Informalidade

País tem taxa de informalidade de 39,5% no trimestre até dezembro, mostra IBGE

Em apenas um trimestre, mais 2,391 milhões de pessoas passaram a atuar como trabalhadores informais

A combinação perfeita

Depois da cerveja e do hambúrguer, Lemann faz grande aposta em educação

Agora, um dos donos da cervejaria ABInBev está no caminho de ter em sua carteira de investimentos, na qual já figuram empresas como Lojas Americanas, Burger King e Kraft Heinz

Banco Central

Superávit nominal do setor público soma R$ 17,928 bi em janeiro, mostra BC

O resultado nominal representa a diferença entre receitas e despesas do setor público, já após o pagamento dos juros da dívida pública

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies