Menu
Dados da Bolsa por TradingView
2020-09-14T16:41:23-03:00
Ricardo Gozzi
mercado agora

Ibovespa recupera os 100 mil pontos acompanhando exterior após retomada de testes com vacina

Retomada dos testes clínicos pela AstraZeneca coloca em segundo plano a leitura mista do IBC-Br de julho

14 de setembro de 2020
10:15 - atualizado às 16:41
Selo Mercados AGORA Ibovespa dólar
Imagem: Montagem Andrei Morais / Shutterstock

O Ibovespa iniciou a semana em alta sustentado pela melhora do ambiente de negócios no exterior depois do anúncio da retomada dos testes clínicos de uma vacina contra o novo coronavírus desenvolvida pelo laboratório AstraZeneca.

Diante de uma agenda repleta de decisões de juros no decorrer da semana, o principal índice do mercado brasileiro de ações repercute nesta segunda-feira a alta consistente em Wall Street e opera próximo das máximas do dia, tentando firmar-se acima da marca de 100 mil pontos.

Por volta das 16h40, o Ibovespa operava em alta de 2,01%, aos 100.338 pontos.

O setor varejista destaca-se hoje na bolsa brasileira diante da percepção entre os investidores de que os papéis do varejo e de shopping centers ficaram baratos em meio à volatilidade das últimas semanas.

Outro setor cobiçado hoje é o de educação. As ações da Ser Educacional figuram entre os destaques da B3 depois do anúncio de um acordo para comprar a Laureate. Entretanto, a Yduqs informou que também elabora uma proposta pela proprietária da Anhembi-Morumbi e da FMU.

Mesmo os papéis do setor bancário, que começaram o dia patinando diante dos sinais mistos da economia brasileira, passou a acompanhar a alta observada no Ibovespa.

Indicadores mistos em segundo plano

A notícia sobre a retomada dos testes da vacina coloca em segundo plano a leitura mista do IBC-Br, o índice de atividade econômica medido pelo Banco Central do Brasil (BCB) considerado como prévia do Produto Interno Bruto (PIB) nacional.

Os investidores também observam o aumento das projeções dos participantes do mercado para a inflação deste ano na pesquisa Focus às vésperas da reunião do Comitê de Política Monetária (Copom) do BCB.

Um dos poucos fatores a limitarem um desempenho ainda melhor do Ibovespa hoje reside na queda do preço do barril de petróleo nos mercados internacionais - e seu impacto sobre as ações da Petrobras - depois de a Organização dos Países Exportadores de Petróleo (Opep) ter atualizado sua projeção para a queda da demanda global em 2020. O cartel também estima que a recuperação em 2021 será mais lenta do que o imaginado anteriormente.

Dólar e juro

Os mercados de câmbio e juros futuros também repercutiram a notícia sobre a retomada dos testes clínicos de uma vacina para a covid-19.

O dólar iniciou a segunda-feira em queda com os investidores mais dispostos a assumirem riscos nos mercados financeiros em um dia no qual as divisas de países emergentes ganharam terreno.

Por volta das 16h40, a moeda norte-americana recuava 1,00%, cotada a R$ 5,2800.

Já os contratos de juros futuros acompanham a dinâmica do mercado de câmbio e operam em queda.

Confira as taxas negociadas de alguns dos principais contratos negociados na B3:

  • Janeiro/2022: de 2,830% para 2,810%;
  • Janeiro/2023: de 4,120% para 4,060%;
  • Janeiro/2025: de 5,980% para 5,930%;
  • Janeiro/2027: de 6,960% para 6,920%.
Comentários
Leia também
UMA OPÇÃO PARA SUA RESERVA DE EMERGÊNCIA

Um ‘Tesouro Direto’ melhor que o Tesouro Direto

Você sabia que existe outro jeito de investir a partir de R$ 30 em títulos públicos e com um retorno maior? Fiz as contas e te mostro o caminho

Fusão cheia de travas

Na Omega Geração (OMGE3), um grupo importante de acionistas está descontente — e quer barrar os planos da empresa

Fundos detentores de 28,6% da Omega Geração (OMGE3) se uniram e dizem que não vão aprovar a fusão com a Omega Distribuição nos termos atuais

Potencial de 36% de alta

Como fica a XP após a separação do Itaú? Para o JP Morgan, é hora de comprar as ações da corretora

A equipe do JP Morgan vê as pressões vendedoras nas ações da XP após a separação com o Itaú se dissipando; assim, a recomendação é de compra

Digitalização

A hora e a vez do e-commerce: com pandemia, comércio online mais que dobra e já chega a 21% das vendas do varejo

O fechamento das lojas físicas promovido pela pandemia fez o setor de varejo acelerar a aposta no e-commerce e nas vendas digitais

A bolsa como ela é

Stone, Inter e Méliuz caem forte na bolsa. É o fim das fintechs como as conhecemos?

Muito desse movimento tem a ver com a subida dos juros. Mas alguns fatores específicos também pesaram sobre as ações. Em alguns casos, pesaram com razão; em outros, nem tanto

Ajuste seu relógio

Pregão terá uma hora a mais a partir de novembro; entenda a mudança e veja a nova agenda da bolsa

As alterações começam a valer a partir do dia 8 de novembro; a B3 vai ajustar a bolsa para refletir o fim do horário de verão nos EUA

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies