Menu
2020-09-09T16:02:50-03:00
Estadão Conteúdo
fluxo cambial

Saída de dólar supera entrada em US$ 15,872 bilhões no ano até 4/09, diz BC

No mesmo período de 2019, o resultado havia sido negativo em US$ 8,100 bilhões

9 de setembro de 2020
16:02
Dólar
Imagem: Shutterstock

O fluxo cambial total do ano até 4 de setembro foi negativo em US$ 15,872 bilhões, informou nesta quarta-feira, 9, o Banco Central. No mesmo período de 2019, o resultado havia sido negativo em US$ 8,100 bilhões.

O resultado do ano está diretamente ligado aos efeitos da pandemia de covid-19 sobre a economia. Em meio à crise, investidores aceleraram em março e abril o envio de dólares a outros países, em movimento de busca por segurança. Em maio, porém, houve fluxo de entrada líquida de recursos no Brasil. Nos meses de junho e julho, ocorreram saídas líquidas. Em agosto, houve novo saldo positivo.

No ano até 4 de setembro, a saída líquida de dólares pelo canal financeiro foi de US$ 47,979 bilhões. Este resultado é fruto de aportes no valor de US$ 330,816 bilhões e de envios no total de US$ 378,792 bilhões. O segmento reúne investimentos estrangeiros diretos e em carteira, remessas de lucro e pagamento de juros, entre outras operações.

No comércio exterior, o saldo acumulado ficou positivo em US$ 32,103 bilhões, com importações de US$ 104,914 bilhões e exportações de US$ 137,017 bilhões. Nas exportações estão incluídos US$ 18,748 bilhões em Adiantamento de Contrato de Câmbio (ACC), US$ 50,212 bilhões em Pagamento Antecipado (PA) e US$ 68,057 bilhões em outras entradas.

Semana

O fluxo cambial da semana passada (de 31 de agosto a 4 de setembro) ficou positivo em US$ 496 milhões.

O canal financeiro registrou na semana passada entrada líquida de US$ 554 milhões pelo canal financeiro. Isso foi resultado de aportes no valor de US$ 7,695 bilhões e de envios no total de US$ 7,141 bilhões. Este segmento reúne investimentos estrangeiros diretos e em carteira, remessas de lucro e pagamento de juros, entre outras operações.

No comércio exterior, o saldo ficou negativo em US$ 58 milhões no período, com importações de US$ 3,029 bilhões e exportações de US$ 2,971 bilhões. Nas exportações, estão incluídos US$ 341 milhões em Adiantamento de Contrato de Câmbio (ACC), US$ 933 milhões em Pagamento Antecipado (PA) e US$ 1,696 bilhão em outras entradas.

Agosto

Depois de registrar saídas líquidas de US$ 3,282 bilhões em julho, o Brasil fechou agosto com fluxo cambial positivo de US$ 602 milhões.

No canal financeiro, houve saída líquida de US$ 4,485 bilhões em agosto, resultado de aportes no valor de US$ 28,041 bilhões e de retiradas no total de US$ 32,526 bilhões. Este segmento reúne investimentos estrangeiros diretos e em carteira, remessas de lucro e pagamento de juros, entre outras operações.

No comércio exterior, o saldo ficou positivo em US$ 5,087 bilhões, com importações de US$ 11,166 bilhões e exportações de US$ 16,253 bilhões. Nas exportações, estão incluídos US$ 1,606 em Adiantamento de Contrato de Câmbio (ACC), US$ 6,945 bilhões em Pagamento Antecipado (PA) e US$ 7,702 bilhões em outras entradas.

Posição cambial líquida

A posição cambial líquida do Banco Central atingiu US$ 299,988 bilhões no dia 4 de setembro, conforme dados divulgados nesta quarta-feira, 9, pela instituição. No fim de dezembro de 2019, essa posição estava em US$ 327,801 bilhões e, em agosto deste ano, em US$ 300,690 bilhões.

A posição traduz o que está disponível para que o BC faça frente a alguma necessidade de moeda estrangeira - como fornecer liquidez ao mercado em momentos de crise como a atual, por exemplo.

A posição leva em conta as reservas internacionais, o estoque de operações de linha do BC (venda de dólares com compromisso de recompra), a posição da instituição em swap cambial e os Direitos Especiais de Saque (DES) do Brasil no Fundo Monetário Internacional (FMI).

Vendas

Os bancos fecharam agosto com posição vendida no câmbio à vista de US$ 27,448 bilhões. No fim de julho, essa posição estava vendida em US$ 29,707 bilhões.

As instituições financeiras atuam como contrapartes em operações cambiais. Assim, quando há remessas de moeda estrangeira ao exterior, elas fornecem dólares a empresas e fundos, por exemplo, para envio. Neste caso, a "posição vendida" das instituições tende a aumentar.

Em movimento contrário, quando há entrada de recursos no Brasil, as instituições financeiras recebem os dólares, o que reduz a "posição vendida" ou eleva a "posição comprada".

A posição dos bancos no mercado à vista também é alterada sempre que o BC realiza leilões de dólares. Assim, quando o BC vende moeda aos bancos, a posição vendida à vista tende a diminuir.

Comentários
Leia também
DINHEIRO QUE PINGA NA SUA CONTA

Uma renda fixa pra chamar de sua

Dá para ter acesso a produtos melhores do que encontro no meu banco? (Spoiler: sim).

Melhorias no ar

Azul divulga projeções e aposta em recuperação total no início de 2022

A companhia aérea foi a única das Américas a aumentar seu caixa em 2020 e aposta em um Ebitda de cerca de R$ 4 bilhões no próximo ano

Podcast Tela Azul

CASH3: Conheça a Méliuz, sua estratégia de cashback e saiba por que esta ação tech está bombando

Em entrevista para o Podcast Tela Azul da Empiricus, Lucas Marques, COO da Méliuz, conta sobre a onda da estratégia de cashback e como ela funciona. É falado também do atual foco da companhia em Growth, e dos planos futuros. Entenda o que é o “jabutiCAC”, jargão que surgiu nesta edição.

Desceu redondo

Na Ambev, a venda de cerveja garantiu o happy hour no primeiro trimestre

A Ambev reportou forte crescimento na receita líquida e no lucro no primeiro trimestre, impulsionada pelas vendas de cerveja no Brasil

cardápio dos balanços

Balanços de Copel, Braskem, Azul e outros mexem com o mercado nesta quinta; veja os destaques

Só no Ibovespa, foram ao menos cinco companhias que revelaram os resultados do primeiro trimestre entre esta quarta e quinta; desempenho mexe com os papéis das companhias

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies