Menu
2020-05-27T15:58:02-03:00
Estadão Conteúdo
Fluxo cambial

Saída de dólar supera entrada em US$ 10,264 bilhões no ano até dia 22 de maio, diz BC

Em igual período do ano passado, o resultado era positivo em US$ 3,787 bilhões. Os dados refletem, em grande parte, os efeitos da pandemia do novo coronavírus sobre o fluxo de moeda estrangeira

27 de maio de 2020
15:58
Dólar
Imagem: Shutterstock

O fluxo cambial do ano até 22 de maio ficou negativo em US$ 10,264 bilhões, informou nesta quarta-feira, 27, o Banco Central. Em igual período do ano passado, o resultado era positivo em US$ 3,787 bilhões. Os dados refletem, em grande parte, os efeitos da pandemia do novo coronavírus sobre o fluxo de moeda estrangeira, em especial nos meses de março e abril.

A saída pelo canal financeiro neste ano até 22 de maio foi de US$ 32,918 bilhões. O resultado é fruto de aportes no valor de US$ 213,236 bilhões e de envios no total de US$ 246,154 bilhões. O segmento reúne os investimentos estrangeiros diretos e em carteira, remessas de lucro e pagamento de juros, entre outras operações.

No comércio exterior, o saldo anual acumulado até 22 de maio ficou positivo em US$ 22,654 bilhões, com importações de US$ 60,926 bilhões e exportações de US$ 83,580 bilhões. Nas exportações estão incluídos US$ 13,599 bilhões em Adiantamento de Contrat

Maio

Depois de encerrar abril com saídas líquidas de US$ 1,378 bilhão, o País registrou fluxo cambial positivo de US$ 2,466 bilhões em maio até o dia 22.

O canal financeiro apresentou saídas líquidas de US$ 399 milhões no período. Isso é resultado de aportes no valor de US$ 27,608 bilhões e de retiradas no total de US$ 28,007 bilhões. O segmento reúne os investimentos estrangeiros diretos e em carteira, remessas de lucro e pagamento de juros, entre outras operações.

No comércio exterior, o saldo de maio até o dia 22 é positivo em US$ 2,865 bilhões, com importações de US$ 9,664 bilhões e exportações de US$ 12,529 bilhões. Nas exportações, estão incluídos US$ 1,266 bilhão em Adiantamento de Contrato de Câmbio (ACC), US$ 6,267 bilhões em Pagamento Antecipado (PA) e US$ 4,996 bilhões em outras entradas.

Semana

O fluxo cambial registrado na semana passada (de 18 a 22 de maio) para o Brasil ficou positivo em US$ 129 milhões.

O canal financeiro apresentou entrada líquida de US$ 438 milhões na semana, resultado de aportes no valor de US$ 9,268 bilhões e de envios no total de US$ 8,831 bilhões. Este segmento reúne os investimentos estrangeiros diretos e em carteira, remessas de lucro e pagamento de juros, entre outras operações.

No comércio exterior, o saldo na semana passada ficou negativo em US$ 308 milhões, com importações de US$ 4,971 bilhões e exportações de US$ 4,662 bilhões. Nas exportações, estão incluídos US$ 297 milhões em Adiantamento de Contrato de Câmbio (ACC), US$ 2,768 bilhões em Pagamento Antecipado (PA) e US$ 1,597 bilhão em outras entradas.

Prejuízo com swap

Após prejuízo de R$ 8,340 bilhões com sua posição em swap cambial em abril, o Banco Central registrou resultado negativo de R$ 8,658 bilhões em maio até o dia 22 com estes contratos pelo critério caixa.

Pelo conceito de competência, houve perdas de R$ 5,612 bilhões. O resultado pelo critério de competência inclui ganhos e perdas ocorridos no mês, independentemente da data de liquidação financeira. A liquidação financeira desse resultado (caixa) ocorre no dia seguinte, em D+1.

O BC registrou ainda no período ganhos de R$ 54,240 bilhões com a rentabilidade na administração das reservas internacionais. Entram no cálculo ganhos e prejuízos com a correção cambial, a marcação a mercado e os juros.

O resultado líquido das reservas, que é a rentabilidade menos o custo de captação, ficou positivo em R$ 48,705 bilhões em maio até o dia 22. Já o resultado das operações cambiais no período ficou no positivo em R$ 43,093 bilhões.

No acumulado de 2020 até 22 de maio, o Banco Central registra resultado negativo de R$ 63,477 bilhões com os contratos de swap pelo critério caixa. Pelo conceito de competência, houve perdas de R$ 65,114 bilhões. O BC obteve ganhos de R$ 611,246 bilhões com a rentabilidade na administração das reservas internacionais no acumulado do ano. Já o resultado líquido das reservas ficou positivo em R$ 564,839 bilhões e o resultado das operações cambiais no período foi positivo em R$ 499,726 bilhões.

O BC sempre destaca que, tanto em relação às operações de swap cambial quanto à administração das reservas internacionais, não visa ao lucro, mas fornecer hegde ao mercado em tempos de volatilidade e manter um colchão de liquidez para momentos de crise.

Anual

A posição cambial líquida do Banco Central atingiu US$ 299,129 bilhões, conforme dados divulgados pela instituição. O montante tem como referência o dia 22 de maio. No fim de abril, essa posição estava em US$ 303,410 bilhões.

A posição cambial líquida traduz o que está disponível para que o BC faça frente a alguma necessidade de moeda estrangeira - como fornecer liquidez ao mercado em momentos de crise, por exemplo.

A posição leva em conta as reservas internacionais, o estoque de operações de linha do BC (venda de dólares com compromisso de recompra), a posição da instituição em swap cambial e os Direitos Especiais de Saque (DES) do Brasil no Fundo Monetário Internacional (FMI).

Comentários
Leia também
DINHEIRO QUE PINGA NA SUA CONTA

Uma renda fixa pra chamar de sua

Dá para ter acesso a produtos melhores do que encontro no meu banco? (Spoiler: sim).

Prévia operacional

Cyrela tem crescimento de vendas e lançamentos em 2020, e BTG considera números fortes

Lançamentos totalizaram R$ 2,873 bilhões, enquanto vendas líquidas somaram R$ 1,860 bilhão; banco mantém recomendação de compra para a construtora

EM ALTA

Com petróleo em alta, Credit Suisse reitera recomendação de compra da Petrobras

Banco eleva preço-alvo de ADRs após revisar para cima projeção para Ebitda da indústria do petróleo em 2021 e 2022

Exile on Wall Street

Private equity para pessoas físicas

Há uma frase de que gosto muito no livro “Princípios do Estrategista”: as ideias do Taleb são tão boas que se dessem dinheiro seria sacanagem.

Panorama das fintechs

Goldman Sachs recomenda compra de ação da Stone, XP e PagSeguro e venda de Banco Inter

Embora o Inter seja o grande destaque de crescimento de clientes, os analistas do banco norte-americano apontam a ação da da Stone como a favorita entre as fintechs

Títulos públicos

Veja os preços e as taxas do Tesouro Direto nesta terça-feira

Confira os preços e taxas de todos os títulos públicos disponíveis para compra e resgate

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu
Advertisements
Advertisements

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies