Menu
2020-09-24T08:47:47-03:00
Seu Dinheiro
Seu Dinheiro
de olho na retomada

BC revisa projeção de tombo do PIB de 6,4% para 5% em 2020

Para o PIB de 2021, ainda com incerteza acima da usual, projeta-se crescimento de 3,9%. A perspectiva, diz o BC está condicionada ao cenário de continuidade das reformas e de manutenção do atual regime fiscal

24 de setembro de 2020
8:45 - atualizado às 8:47
crise coronavírus brasil
Imagem: Shutterstock

A projeção do Banco Central para a queda do Produto Interno Bruto (PIB) em 2020 foi revisada de 6,4% para 5,0%, mostra o Relatório de Inflação de junho publicado nesta quinta-feira (24) pela instituição.

Segundo a autoridade monetária, apesar do forte recuo da atividade no segundo trimestre, o conjunto de indicadores disponíveis mostra que a retomada da atividade econômica, "ainda que parcial, está ocorrendo mais rapidamente do que antecipado".

Mas o BC ressalta que a retomada acontece de forma diferente entre os entre os segmentos da atividade econômica. A nova projeção considera crescimento acentuado no terceiro trimestre.

Para o último trimestre do ano, espera-se arrefecimento da taxa de crescimento, associado, em parte, à diminuição esperada de transferências de recursos extraordinários às famílias, diz a instituição.

Projeção do PIB para 2021

Para o PIB de 2021, ainda com incerteza acima da usual, projeta-se crescimento de 3,9%. A perspectiva, diz o BC está condicionada ao cenário de continuidade das reformas e de manutenção do atual regime fiscal, assegurando o equilíbrio de longo prazo das contas públicas, e pressupõe arrefecimento da pandemia.

Pelo lado da oferta, as atividades da agropecuária, da indústria e de serviços devem avançar 3,4%, 4,5% e 3,7%, na ordem. "A projeção para a agropecuária repercute prognósticos favoráveis para a safra 2020/2021 e recuperação da produção de carne, em especial de bovinos", diz o BC.

Para o setor secundário, projeta-se recuperação disseminada, com a produção voltando ao longo do ano aos patamares do período pré-pandemia, em linha com a gradual recuperação do mercado de trabalho e aumento das demandas interna e externa.

Para o setor de serviços, as atividades mais severamente impactadas pela pandemia devem ter as maiores altas devido, em parte, às bases de comparação deprimidas de 2020, ainda conforme o BC.

Comentários
Leia também
A REVOLUÇÃO 3.0 DOS INVESTIMENTOS

App da Pi

Aplique de forma simples, transparente e segura

Futuro da estatal

‘Temos dentro da Eletrobras profissionais capazes de me suceder’, diz Wilson Ferreira

Após deixar presidência, Wilson Ferreira responde se há conflito de interesse ao se manter no conselho da Eletrobras e, ao mesmo tempo, presidir a BR Distribuidora

Expectativas

Novo presidente da Eletrobras (ELET3) deve dar prioridade à privatização, diz Caio Megale

Após saída de Wilson Ferreira, analista afirma que ‘a privatização da Eletrobras tem sua importância pela sua situação atual e pelo seu grau de maturidade (para ser privatizada)’

Reformas

‘Vamos limpar a pauta, destravando o horizonte de investimentos’, diz Paulo Guedes

Ministro prometeu que o governo não irá aumentar impostos e reforçou que a atividade está se recuperando em ‘V’

Inflação

Brasileiros acreditam que inflação será de 5,2% nos próximos 12 meses

Em janeiro, 14,2% dos consumidores projetaram valores abaixo do limite inferior da meta de inflação para 2021 (3,75%)

Alta nos preços

Preço do diesel no Brasil está entre os que mais subiram no mundo, diz estudo

Segundo o documento, na 1ª semana deste mês, o diesel ficou mais caro em 6 dos 7 países analisados

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu
Advertisements
Advertisements

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies