2020-04-10T12:32:48-03:00
Reação à crise

México “fura” acordo da Opep e vai cortar menos produção de petróleo

País vai aderir ao pacto da Opep+ para reduzir a produção de petróleo, mas fez acordo com EUA para corte de apenas 100 mil barris por dia

10 de abril de 2020
12:32
Andrés Obrador, presidente do México - Imagem: Shutterstock

O presidente do México, Andrés Manuel López Obrador, disse nesta sexta-feira que seu país decidiu aderir ao pacto da Opep+ para reduzir a produção de petróleo, mas ressaltou que os mexicanos contribuirão com um corte de apenas 100 mil barris por dia (bpd), após entrar em acordo também com os EUA.

Quer nossas melhores dicas de investimentos de graça em seu e-mail? Clique aqui e receba a nossa newsletter diariamente

Segundo Obrador, os EUA se comprometeram a fazer um corte adicional de 250 mil barris por dia, além do que já iriam implementar.

Obrador disse que o acordo é temporário e foi selado após conversar por telefone com o presidente americano, Donald Trump.

Leia também:

Ontem, a Opep+, formada pela Organização dos Países Exportadores de Petróleo (Opep) e aliados que incluem a Rússia, chegaram a um pacto para reduzir sua produção coletiva em mais 10 milhões de barris por dia (bpd).

A medida foi uma resposta ao impacto que a pandemia de coronavírus tem exercido na demanda pela commodity. O México, porém, foi o único integrante da Opep+ a não endossar o acerto.

Obrador disse nesta sexta que a Opep+ queria que o México contribuísse com um corte de 400 mil bpd, proposta que, conforme ele, foi posteriormente reduzida para 350 mil bpd.

*Com informações da Dow Jones Newswires e Estadão Conteúdo

Quer nossas melhores dicas de investimentos de graça em seu e-mail? Clique aqui e receba a nossa newsletter diariamente
Comentários
Leia também
UMA OPÇÃO PARA SUA RESERVA DE EMERGÊNCIA

Um ‘Tesouro Direto’ melhor que o Tesouro Direto

Você sabia que existe outro jeito de investir a partir de R$ 30 em títulos públicos e com um retorno maior? Fiz as contas e te mostro o caminho

NOVOS NEGÓCIOS

Google está de olho nas criptomoedas e vai criar unidade de negócio dedicada ao blockchain; entenda o que está por trás da decisão

Antes de se aventurar, gigante de tecnologia assistiu com cautela as movimentações das concorrentes para entrar no mercado de criptomoedas

MELHORA ARTIFICIAL

Pedidos de recuperação judicial caem em 2021 ao menor nível desde 2014

Para os especialistas os números do ano passado não representam uma recuperação econômica, mas uma melhora artificial no ambiente de negócios promovida por políticas públicas pontuais

APOSTA NA SIDERURGIA

A vez da Usiminas: BTG estima alta de mais de 55% para USIM5 nos próximos meses; saiba o que pode impulsionar as ações

Segundo os analistas, a empresa negocia nos múltiplos mais baixos da década e deve surfar na recuperação dos preços do aço

pessimismo nos mercados

Por que a ameaça de conflito entre Rússia e Ucrânia derruba as bolsas mundo afora?

Escalada de tensões entre os dois países levou EUA e Reino Unido a retirarem funcionários de embaixadas na Ucrânia; veja como uma eventual invasão russa ao país pode afetar os mercados