Menu
2020-02-18T18:00:00-03:00
Estadão Conteúdo
Ostentação à venda

Mansão de Edemar Cid Ferreira, do Banco Santos, é arrematada por R$ 27,5 milhões

Valor foi atingido depois de 16 lances em evento da D1 Lance Leilões, que partiu de R$ 10 milhões

18 de fevereiro de 2020
17:59 - atualizado às 18:00
Mansão de Edemar Cid Ferreira
Imagem: Estadão Conteúdo

Depois de vários leilões fracassados, a mansão de Edemar Cid Ferreira, ex-dono do Banco Santos, foi arrematada nesta terça-feira, 18, às 15h11, por R$ 27,5 milhões - 0 valor foi atingido depois de 16 lances em evento da D1 Lance Leilões, que partiu de R$ 10 milhões.

O valor representa cerca de um terço da última avaliação feita por um perito, que estimou o imóvel em R$ 78 milhões. O arrematante terá de fazer o pagamento de 40% desse total em até 72 horas.

Construída entre 2000 e 2004, ao custo de R$ 120 milhões, o imóvel ficou pronto justamente na época em que o Banco Central decretou a falência do Banco Santos.

À medida que os bens da instituição financeira e de seu dono passaram a ser confiscados para fazer frente às obrigações com o órgão regulador, de cerca de R$ 3 bilhões, a mansão também entrou no alvo da Justiça. Em 2011, o ex-banqueiro, que chegou a ser preso, foi obrigado a deixar o imóvel.

Segundo o advogado Pedro Amorim, diretor da empresa D1 Lance Leilões, o comprador só terá a posse do imóvel após homologada a quitação integral do lance pelo juízo.

Caso o vencedor não pague no prazo estabelecido, o participante com o segundo maior lance será acionado para fazer a quitação, caso tenha interesse.

As decisões relacionadas à falência do banco Santos tramitam na 2ª Vara de Falências e Recuperação Judicial do Tribunal de Justiça de São Paulo (TJ-SP) com o juiz Paulo Furtado de Oliveira Filho.

Ostentação

A reportagem do jornal O Estado de S. Paulo visitou o imóvel em uma das tentativas de venda, em 2017. Instalada em terreno de 12 mil m², a residência tem 4,5 mil m² de área construída e inclui facilidades como duas piscinas - uma coberta e outra ao ar livre -, uma adega que abriga 5 mil garrafas de vinho, duas bibliotecas (com coleção de livros de arte incluída).

Alguns objetos de arte e móveis ainda restam na casa. Só a mesa de jantar de 24 lugares teria custado, na época da aquisição, US$ 350 mil (mais de R$ 1 milhão).

Manter um imóvel dessa magnitude não é fácil nem barato. Desde a expulsão de Edemar, há oito anos, a residência - que, em um certo período, contabilizava quatro moradores e 54 empregados -, custou milhões à massa falida. Isso porque o projeto do arquiteto Ruy Ohtake já incluía, 20 anos atrás, a automação de persianas e um sistema completo de ar-condicionado - luxos que elevaram a conta de luz a R$ 100 mil por mês.

Além dos gastos fixos salgados, um eventual novo dono também terá de arcar com uma reforma, já que os problemas se proliferam entre corredores de mármore e escadarias suntuosas: há pisos de madeira podres, lâmpadas caídas e portas que já não abrem e nem fecham.

Comentários
Leia também
UMA OPÇÃO PARA SUA RESERVA DE EMERGÊNCIA

Um ‘Tesouro Direto’ melhor que o Tesouro Direto

Você sabia que existe outro jeito de investir a partir de R$ 30 em títulos públicos e com um retorno maior? Fiz as contas e te mostro o caminho

Proventos

Banco do Brasil anuncia pagamento de R$ 416 milhões em Juros sobre Capital Próprio (JCP)

Terão direito ao provento os investidores com posição acionária na empresa no dia 11 de março

o melhor do seu dinheiro

Brandão balança mais não cai?

Chegamos ao fim de mais uma semana tensa nos mercados, que começou com a derrocada das ações da Petrobras, em razão da interferência do governo na presidência da estatal, e termina com pressões na bolsa e no dólar motivadas pelas preocupações dos investidores com a inflação nos Estados Unidos e alta nas taxas dos títulos […]

URGENTE

Hapvida e NotreDame chegam a um acordo sobre fusão, afirma site

A maior combinação entre duas empresas brasileiras criará uma gigante do setor de saúde, com um valor de R$ 110 bilhões.

fechamento da semana

Tensão em Brasília leva Ibovespa de volta aos 110 mil pontos e afunda estatais; dólar vai a R$ 5,60

Em semana marcada pela tensão entre governo e mercado, o Ibovespa recuou 7,09%, de volta aos 110 mil pontos. O dólar disparou acima dos R$ 5,60

Abandonando o barco?

Ações do Banco do Brasil recuam quase 5% com possibilidade de saída de André Brandão

Brandão tem mostrado insatisfação com o cargo e quer deixar o comando da estatal, segundo jornal; BB nega que presidente tenha renunciado

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies