Menu
2020-10-06T13:05:39-03:00
Seu Dinheiro
Seu Dinheiro
RELAÇÃO RESTAURADA

Maia pede desculpas a Guedes e fala em retomar união por reformas

Maia pediu desculpas por declarações feitas na semana passada e reforçou que é preciso dar andamento às reformas e tirar um programa de renda mínima do papel

6 de outubro de 2020
6:38 - atualizado às 13:05
Rodrigo Maia e Paulo Guedes 05 02 19
Presidente da Câmara, Rodrigo Maia, e ministro da Economia, Paulo Guedes - Imagem: Eduardo Campos/SeuDinheiro

Após serem protagonistas de um conflito público, o presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), e o ministro da Economia, Paulo Guedes, levantaram a bandeira branca nesta segunda-feira (5) e prometeram união pelo andamento da agenda econômica no Congresso.

Após jantar com ministros e parlamentares na residência do ministro Bruno Dantas, do Tribunal de Contas da União (TCU), Maia pediu desculpas publicamente a Guedes pelas declarações feitas na semana passada. Ele reforçou que é preciso dar andamento às reformas tributária e administrativa e tirar um programa de renda mínima do papel sem comprometer o teto de gastos.

"O teto de gastos é a primeira de nossa urgências porque com a regulamentação do teto a gente resolve o programa social", disse Maia, em declaração à imprensa, após o jantar.

Na semana passada, o presidente da Câmara chegou a chamar o ministro de "desequilibrado" após Guedes falar que Maia estava articulando com a oposição obstáculos a privatizações. "Semana passada até, deixo aqui meu pedido de desculpas, fui indelicado e grosseiro e (isso) não é do meu feitio."

O parlamentar expressou "gratidão" por Guedes tê-lo apoiado na disputa pela presidência da Câmara. A partir desta terça-feira (6), segundo Maia, é preciso retomar os trabalhos com união. O parlamentar destacou que a agenda de reformas não pode parar por causa das eleições municipais.

Pauta boa

O ministro da Economia disse ontem à noite que haverá união para andamento da agenda econômica no Congresso. Guedes voltou a defender a aprovação de um programa de renda básica para 2021 e uma medida de desoneração da folha salarial para gerar "empregos em massa".

Além disso, repetiu compromissos com o envio de outra etapa da reforma tributária, pontuando que o prazo depende da articulação política.

"Essas coisas estão basicamente prontas, mas quem dá o timing das reformas sempre é a política", disse o ministro.

O programa de renda, reforçou Guedes, será bastante diferente e mais estruturado em comparação ao auxílio emergencial. Sem entrar em detalhes, o ministro declarou que o modelo vai juntar 27 programas sociais. O pacto federativo no Senado, pontuou, irá absorver, ainda, dispositivos do Orçamento de Guerra, em vigor durante a pandemia de covid-19.

Após Maia pedir desculpas a Guedes por declarações feitas na semana passada, o ministro foi questionado se faria o mesmo. "Eu nunca ofendi o presidente Rodrigo Maia. Isso não tem problema. Isso não é ofensa pessoal. Isso foi uma troca de opiniões", disse.

"Caso eu tenha ofendido o presidente Rodrigo Maia ou qualquer político, eu posso ter ofendido inadvertidamente, eu posso pedir desculpas também. Não há problema", afirmou o ministro.

*Com informações da Estadão Conteúdo

Comentários
Leia também
Um self service diferente

Como ganhar uma ‘gorjeta’ da sua corretora

A Pi devolve o valor economizado com comissões de autônomos na forma de Pontos Pi. Você pode trocar pelo que quiser, inclusive, dinheiro

NOVIDADES

BC anuncia o Pix Cobrança, para emissão de QR Code com juros, multas e descontos

Função permitirá que lojistas, fornecedores, prestadores de serviços e outros empreendedores possam emitir um QR Code para operações de pagamento imediato ou em data futura

NÚMEROS DA PANDEMIA

Covid-19: Brasil acumula 5,49 milhões de casos e 158,9 mil mortes

Ministério da Saúde informou também que casos por semana voltaram a crescer no país, enquanto mortes seguem trajetória de queda

Sextou com o Ruy

Bilionários como Warren Buffett gostam de ver a bolsa cair, não subir

Se você é dos que ficam felizes em ver os preços caindo, saiba que tem o que é necessário para se tornar um grande investidor em ações

varejo online

B2W tem alta de 56% nas vendas e diminui prejuízo, que chega a R$ 43,8 milhões

Linha final do balanço é 57% melhor do que há um ano, enquanto mercado falava em prejuízo de R$ 60 milhões no terceiro trimestre; receita teve alta de 58,5% no período

cardápio de balanços

Suzano, Fleury e Totvs: os balanços que mexem com o mercado nesta sexta

São empresas cujas ações fazem parte da carteira teórica do Ibovespa – ou seja, os resultados das companhias ajudam a calibrar o índice

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu
Advertisements

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies