Menu
2020-11-09T15:07:38-03:00
Estadão Conteúdo
Há espaço para mais

Empresas ainda não tomaram todo o crédito disponibilizado na pandemia, diz Banco Central

O presidente do BC, Roberto Campos Netp, disse que os recursos ainda estão disponíveis

9 de novembro de 2020
15:07
Roberto Campos Neto
O presidente do Banco Central, Roberto Campos Neto, em audiência pública na Comissão Mista de Orçamento da Câmara dos Deputados. - Imagem: Fabio Rodrigues Pozzebom/Agência

O presidente do Banco Central, Roberto Campos Neto, disse que as empresas brasileiras ainda não tomaram todos os recursos disponíveis nos programas de crédito abertos para fazer frente à pandemia do coronavírus. "Os recursos ainda estão disponíveis", afirmou, durante evento virtual Greenwich Economic Forum 2020, organizado pela The Economist.

Campos Neto disse que o País vive uma "recuperação robusta" da economia. Ele ressaltou as medidas adotadas pela autoridade monetária para minimizar os efeitos da crise econômica, como a redução de juros, medidas de aumento de liquidez e de estímulo ao crédito. "Nós não cruzamos a linha de fazer política fiscal. Se isso ocorrer, perde-se credibilidade", completou.

O presidente do BC afirmou que o Brasil estava "reiventando o Estado" com reformas, redução de juros e corte de subsídios, quando foi atingido pela pandemia. "Tomamos medidas de capital e liquidez para proteger o setor financeiro. O objetivo foi estabilizar o mercado e ter liquidez no sistema", completou.

Nível de emprego

Campos Neto disse ainda que o nível de emprego em países emergentes como o Brasil não voltará tão rápido quanto o nível da atividade econômica e o consumo, o que demandará ações dos governos. Ele ressaltou que será preciso fazer "mais com dinheiro privado do que com dinheiro público", uma vez que o espaço fiscal dos emergentes para novos estímulos é pequeno. "Os governos terão que fazer mais programas, e a questão é: temos espaço fiscal para isso ir muito longe? Nos mercados emergentes, e especialmente no Brasil que tem uma divida alta, a resposta é não", declarou.

O presidente do BC ressaltou que todos os países estão falando em programa de renda mínima ou imposto negativo a serem adotados no pós-pandemia e que a retomada deve ser "inclusiva e sustentável". "A mudança no padrão de consumo irá acelerar uso de tecnologia", completou.

Ele citou o fomento a investimentos ambientalmente sustentáveis e disse que o trabalho de encontrar precificação do carbono ainda não está feito.

Comentários
Leia também
INVISTA COMO UM MILIONÁRIO

Sirva-se no banquete de investimentos dos ricaços

Você sabe como ter acesso aos craques que montam as carteiras dos ricaços com aplicações mínimas de R$ 30? A Pi nasceu para colocar esses bons investimentos ao seu alcance

RADIO CASH

‘O Banco Central não parece estar comprometido em atingir a meta de inflação’, diz Rogério Xavier, fundador da SPX Capital

Em entrevista ao podcast RadioCash, Rogério Xavier critica o ajuste parcial da Selic e comenta a estratégia por trás dos resultados expressivos que fundos da SPX obtiveram no primeiro trimestre do ano, confira:

destravando valor

Pão de Açúcar lidera altas do Ibovespa com mercado vendo ganhos em venda de participação em e-commerce

Casino, controlador da empresa, estuda fazer oferta de ações de unidade de e-commerce, em que Pão de Açúcar detém participação de 34,17%

Mercados hoje

Ibovespa é pressionado pelo cenário político-fiscal e opera em queda; dólar sobe

Com o cenário político-fiscal pesado, o mercado brasileiro acaba sucumbindo às pressões. No exterior, inflação dos Estados Unidos é destaque

Exile on Wall Street

Meu professor polvo

Desenvolvi um hábito peculiar. Quando preciso ter algum papo difícil com alguém ou há entre mim e alguma pessoa querida algum entrevero, mínima rusga que seja, envio um vinho português chamado “Conversa” e convido para o diálogo. É um gesto carinhoso, de afeto. Mas — confesso — é também um pouco egoísta e parte de […]

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies