Menu
Dados da Bolsa por TradingView
2020-04-22T15:03:02-03:00
Estadão Conteúdo
Dados anuais

Compras com cartões crescem 18,7% e somam R$ 1,84 trilhão em 2019, diz Abecs

Com o desempenho, o segmento de pagamentos digitais atingiu penetração de 43% no consumo das famílias em 2019 contra 38% um ano antes

22 de abril de 2020
15:03
Cartões de crédito
Cartões de crédito - Imagem: Shutterstock

As compras com cartões totalizaram R$ 1,84 trilhão no ano passado, número 18,7% maior que o registrado em 2018, de acordo com dados publicados nesta quarta-feira, 22, pela Associação Brasileira das Empresas de Cartões de Crédito e Serviços (Abecs). Com o desempenho, o segmento de pagamentos digitais atingiu penetração de 43% no consumo das famílias em 2019 contra 38% um ano antes. A meta do setor é chegar a 60% até 2022.

"Tudo indica, com o atual momento, no qual as transações seguem crescendo, que essa meta possa ser atingida até um pouco antes do final de 2022", disse o presidente da Abecs, Pedro Coutinho, sem mencionar eventuais reflexos da crise de coronavírus no setor de meios de pagamentos. "Atingimos 28% do PIB (Produto Interno Bruto) - ante 24,8% em 2018, uma marca histórica e muito importante para a indústria", acrescentou, durante vídeo para comentar os resultados do setor.

No ano passado, somente as transações com cartões de crédito registraram, pela primeira vez, um volume acima de R$ 1 trilhão, chegando a R$ 1,16 trilhão, com alta de 19,8% frente a 2018.

Já o volume movimentado no débito foi de R$ 664,4 bilhões, expansão de 15,5%. Por sua vez, os cartões pré-pagos atingiram R$ 22 bilhões, incremento de 73,6%, na mesma base de comparação.

A Abecs também passou a acompanhar o volume de compras que foram pagas com cartões que dispõe da tecnologia de aproximação NFC (Near Field Communication, na sigla em inglês). No ano passado, essa modalidade cresceu 565%, movimentando um total de R$ 6 bilhões.

Comentários
Leia também
A REVOLUÇÃO 3.0 DOS INVESTIMENTOS

Que pi… é essa?

Eu decidi sair do banco, mas não queria entrar em uma enrascada. Bem, acredito que eu tenha encontrado um portal para fugir dessa Caverna do Dragão das finanças. E cá estou para explicar essa descoberta.

De onde vem o dinheiro?

Governo confirma Auxílio Brasil em R$ 400, mas sem revelar de onde vai tirar o dinheiro para bancar o benefício

O ministro da Cidadania não respondeu às perguntas da imprensa nem confirmou a fonte de renda para o novo programa social, o que é a grande preocupação dos mercados

O que vem depois da lua?

Depois do recorde: até onde vai a alta do bitcoin? Especialista em criptomoedas responde

Depois da aprovação do primeiro ETF em criptomoedas, o bitcoin (BTC) não para de subir e as estimativas são otimistas — mas os EUA podem mudar o jogo

Analistas respondem

Ações da Vale aprofundam queda com sinais ruins do relatório de produção e vendas no 3º trimestre. Hora de comprar VALE3?

Analistas apontam que, enquanto a produção foi sólida, a venda de minério de ferro veio abaixo do esperado até pelas estimativas mais conservadoras

Puxando os ETFS

Chove bitcoin, molha ETF: fundos de índice brasileiros sobem até 19% em dia de recorde do BTC

Enquanto o primeiro ETF de criptomoeda dos Estados Unidos avança tímidos 3%, na B3, o avanço é de até 19,78%

Cabo de guerra

Sem explicar origem da verba, Bolsonaro confirma Auxílio Brasil em R$ 400 e promete respeitar teto de gastos

Apesar da promessa do presidente, o governo flerta com a flexibilização do teto para conseguir arcar com o valor do benefício

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies