Menu
2020-02-27T15:58:59-03:00
Estadão Conteúdo
Olho no câmbio

BC: Fluxo cambial total em fevereiro até dia 21 é negativo em US$ 2,321 bi

Brasil encerrou janeiro com saídas líquidas de US$ 384 milhões

27 de fevereiro de 2020
15:58
Banco Central do Brasil
Banco Central do Brasil - Imagem: Shutterstock

Depois de encerrar janeiro com saídas líquidas de US$ 384 milhões, o País registrou fluxo cambial negativo de US$ 2,321 bilhões em fevereiro até o dia 21, informou nesta quinta-feira, 27, o Banco Central.

O canal financeiro apresentou saídas líquidas de US$ 7,035 bilhões no período. Isso é resultado de aportes no valor de US$ 31,033 bilhões e de retiradas no total de US$ 38,068 bilhões. O segmento reúne os investimentos estrangeiros diretos e em carteira, remessas de lucro e pagamento de juros, entre outras operações.

No comércio exterior, o saldo de fevereiro até o dia 21 é positivo em US$ 4,714 bilhões, com importações de US$ 9,189 bilhões e exportações de US$ 13,902 bilhões. Nas exportações, estão incluídos US$ 1,548 bilhão em Adiantamento de Contrato de Câmbio (ACC), US$ 7,345 bilhões em Pagamento Antecipado (PA) e US$ 5,009 bilhões em outras entradas.

Semanal

O fluxo cambial registrado na semana passada (de 17 a 21 de fevereiro) ficou negativo em US$ 4,199 bilhões.

O canal financeiro apresentou saída líquida de US$ 7,891 bilhões na semana, resultado de aportes no valor de US$ 8,018 bilhões e de envios no total de US$ 15,909 bilhões. Este segmento reúne os investimentos estrangeiros diretos e em carteira, remessas de lucro e pagamento de juros, entre outras operações.

No comércio exterior, o saldo na semana passada ficou positivo em US$ 3,692 bilhões, com importações de US$ 3,875 bilhões e exportações de US$ 7,566 bilhões. Nas exportações, estão incluídos US$ 577 milhões em Adiantamento de Contrato de Câmbio (ACC), US$ 5,075 bilhões em Pagamento Antecipado (PA) e US$ 1,915 bilhão em outras entradas.

Anual

O fluxo cambial do ano até 21 de fevereiro ficou negativo em US$ 2,706 bilhões. Em igual período do ano passado, o resultado era positivo em US$ 6,052 bilhões.

A saída pelo canal financeiro neste ano até 21 de fevereiro foi de US$ 8,553 bilhões. O resultado é fruto de aportes no valor de US$ 83,035 bilhões e de envios no total de US$ 91,588 bilhões. O segmento reúne os investimentos estrangeiros diretos e em carteira, remessas de lucro e pagamento de juros, entre outras operações.

No comércio exterior, o saldo anual acumulado até 21 de fevereiro ficou positivo em US$ 5,847 bilhões, com importações de US$ 23,370 bilhões e exportações de US$ 29,217 bilhões. Nas exportações estão incluídos US$ 3,393 bilhões em Adiantamento de Contrato de Câmbio (ACC), US$ 10,755 bilhões em Pagamento Antecipado (PA) e US$ 15,069 bilhões em outras entradas.

Comentários
Leia também
CUIDADO COM OS ATRAVESSADORES

Onde está o seu iate?

Está na hora de tirar os intermediários do processo de investimento para deixar o dinheiro com os investidores

seu dinheiro na sua noite

Petróleo, minério e tudo que há de bom

Entre o fantasma do Orçamento com pedaladas, a besta da PEC “fura-teto”, o gigante da CPI da Covid e o monstro da pandemia, o Ibovespa conseguiu hoje engatar a terceira alta seguida e fechar acima dos simbólicos 120 mil pontos, marca que o índice não via desde fevereiro. Mas como pode? Bem, mais uma vez […]

hoje não

Hering rejeita proposta da Arezzo para potencial fusão

Segundo a Cia. Hering, a proposta “não atende ao melhor interesse dos acionistas e da própria companhia”

Polêmica na privatização

CVM vai investigar CEEE por suposta omissão na divulgação de informações

A autarquia começará a apuração de uma denúncia de omissão de fatos relevantes sobre a privatização da estatal gaúcha

FECHAMENTO

Commodities em alta levam o Ibovespa acima dos 120 mil pontos pela primeira vez desde fevereiro; dólar recua

O clima incerto em Brasília segue assombrando os investidores, mas ainda assim a bolsa brasileira consegue fôlego com as commodities para se manter no azul

Combinação promete

Aura Minerals (AURA33): ouro e dividendos no mesmo investimento

Max Bohm, sócio e analista de Empiricus, enxerga um potencial enorme de crescimento na combinação oferecida pela mineradora

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies