Menu
Ruy Hungria
Sextou com o Ruy
Ruy Hungria
É formado em Física e especialista em bolsa e opções na Empiricus
2020-11-13T08:21:57-03:00
Sextou com o Ruy

Como as eleições municipais podem mexer com as ações do setor imobiliário

O resultado das urnas pode alterar significativamente o destino das companhias do setor imobiliário da cidade de São Paulo nos próximos anos

13 de novembro de 2020
5:45 - atualizado às 8:21
São Paulo centro imóveis
Centro de São Paulo - Imagem: Shutterstock

Eu já perdi as contas de quantas vezes ouvi um amigo ou parente dizer: "ah, pra que ir votar? Não vai mudar nada."

Se você é do time que prefere ficar em casa assistindo televisão em vez de comparecer ao local onde vota, não vou te dar sermão nem nada, mas saiba que as urnas paulistanas podem alterar significativamente o destino das companhias do setor imobiliário da cidade de São Paulo (SP) nos próximos anos. 

Leia também:

O Plano Diretor Estratégico

Isso porque o próximo prefeito da capital paulista vai assumir o cargo com uma missão: revisar o Plano Diretor da cidade logo no primeiro ano de mandato, em 2021. 

Se você nunca ouviu falar sobre o tal plano, ele estabelece as diretrizes para o crescimento e desenvolvimento urbano da cidade. 

É ele quem diz, por exemplo, em quais bairros pode ter prédios, qual é o tamanho máximo das edificações em determinadas regiões, o número de vagas de garagem por apartamento, se há possibilidade de uma construtora ultrapassar os limites estabelecidos em troca de uma compensação financeira para a prefeitura, entre outras decisões. 

E como o mercado imobiliário da capital paulista foi responsável por nada menos do que R$ 27,9 bilhões em empreendimentos lançados em 2019, este acaba se tornando um assunto relevante para o bolso de muita gente.

O campeão das doações

Não é à toa que o setor que mais tem se destacado no financiamento das campanhas eleitorais para o cargo de prefeito de São Paulo em 2020 é o imobiliário.

Conforme você pode verificar na página de divulgação de contas do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), dos pouco mais de R$ 2 milhões de doações de pessoas físicas realizadas para o atual prefeito e candidato à reeleição, Bruno Covas (PSDB), cerca de R$ 800 mil foram feitas por membros ligados à construtoras e incorporadoras, como Jorge Mitre (da família controladora da Mitre Realty, MTRE3), Ernesto Zarzur (da Eztec, EZTC3), Elie Horn (da Cyrela, CYRE3), entre outros. 

É óbvio que não há qualquer ilegalidade nisso. Mas sabemos como funciona a política, não é mesmo? 

Tendo recebido generosas contribuições de executivos do setor, me parece muito pouco provável que o candidato do PSDB queira dificultar a vida dessas companhias no momento de estabelecer as novas regras para o Plano Diretor da capital paulista caso seja reeleito. 

Isso pode significar permissão de mais áreas para empreendimentos imobiliários ou flexibilização de regras que hoje dificultam edificações em determinadas regiões, por exemplo. 

Por outro lado, o grande risco seria a vitória de um candidato com ideias contrárias aos planos de expansão das construtoras.

Apesar de não dizer diretamente quais seriam seus objetivos para o Plano Diretor, o candidato Guilherme Boulos, do PSOL, faz menção a um plano de combate à especulação imobiliária em seu plano de governo, o que levanta alguns receios sobre a possíveis restrições às atividades delas.

Por esse motivo, se você vir alguma dessas companhias caindo em caso de vitória do psolista, já terá uma boa pista dos motivos. 

Que fique claro aqui: não estou nem aí para quem você vota ou deixa de votar. Só você pode entender quem é o candidato que mais atende aos seus anseios.

O meu objetivo aqui é te ajudar a entender como a votação pode afetar o seu bolso como investidor.

Aproveite as quedas

De qualquer maneira, apesar de um Plano Diretor favorável ajudar, a verdade é que o setor imobiliário já vive um momento fantástico, mesmo com a pandemia afetando seriamente a economia em 2020.

Points scored
Elaboração: Seu Dinheiro. Fonte: Secovi

Já conversamos sobre o assunto em julho, mas apenas para contextualizar, com as taxas de juros nas mínimas históricas e a necessidade de imóveis maiores ou mais bem planejados neste momento em que precisamos ficar mais tempo dentro de casa, houve um boom na demanda do setor – demanda esta que tem tudo para continuar por um bom tempo se a Selic permanecer em patamares comportados.

Por esse motivo, mesmo no caso em que o desejo dos executivos das empresas de construção não seja realizado e seu candidato preferido perca a disputa, veríamos qualquer "fraquejada" das ações do setor imobiliário como uma oportunidade de compra, especialmente para as companhias focadas na cidade de São Paulo e no público de média e alta renda (HBOR3, MTRE3, CYRE3 e EZTC3). 

A série Oportunidades de Uma Vida, inclusive, tem uma ótima sugestão para quem quer surfar esse bom momento do setor e, quem sabe, aproveitar as benesses do novo Plano Diretor (spoiler: ela é justamente uma daquelas na lista de grandes doadoras). 

Se quiser conferir a seleção com esta e todas as outras empresas sugeridas na série, fica aqui o convite

Um grande abraço e até a próxima!

Comentários
Leia também
OS MELHORES INVESTIMENTOS NA PRATELEIRA

Garimpei a Pi toda e encontrei ouro

Escolhi dois produtos de renda fixa para aplicar em curto prazo e dois para investimentos mais duradouros. Você vai ver na prática – e com a translucidez da matemática – como seu dinheiro pode render mais do que nas aplicações similares dos bancos tradicionais.

Corrida contra o tempo

Moody’s: vacinação em massa tem potencial significativo de melhora do PIB global

Hoje foi a vez da AstraZeneca, que seguiu as farmacêuticas Moderna e Pfizer nas semanas anteriores, todas com eficácia na casa dos 90%.

privatizações na agenda

Guedes diz que é preciso privatizar os Correios ‘antes que o ativo se deteriore’

Ministro classificou como importante a rede de entregas da estatal; ele justificou demora em desestatizações e reiterou que auxílio emergencial acaba no final do ano

Tudo normal?

Maioria das empresas está otimista para vendas na Black Friday, diz Boa Vista

Cerca de 66% das empresas acreditam que as vendas da Black Friday em 2020 serão iguais ou superiores às de 2019.

DINHEIRO NO BOLSO

BB Investimentos muda carteira de dividendos após resultados do 3º trimestre

Analistas avaliam que retomada da economia fomenta a expectativa de melhores resultados, resultando no maior pagamento de proventos

homem negro espancado

Carrefour tomba 6% e lidera quedas do Ibovespa após protestos e pedidos de boicote pela morte de João Alberto de Freitas

Homem negro foi assassinado por dois seguranças de um estabelecimento da rede de supermercados em Porto Alegre. Ato gerou pedidos de boicotes por artistas e usuários de redes sociais, além de manifestações em frente e dentro de lojas do Carrefour

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies