Menu
Vinícius Pinheiro
O melhor do Seu Dinheiro
Vinícius Pinheiro
2020-03-24T20:08:46-03:00
SEU DINHEIRO NA SUA NOITE

Tratamento contra o coronavírus: imprimir dinheiro

24 de março de 2020
20:08
Selo O Melhor do Seu Dinheiro; investimentos
Imagem: Montagem Andrei Morais / Shutterstock

Enquanto cientistas em todo mundo correm em busca de uma vacina ou medicamento capaz de nos imunizar contra o coronavírus, as autoridades se valem um velho tratamento na tentativa de evitar uma catástrofe econômica: imprimir dinheiro.

Quanto dinheiro precisamente? Que tal “ilimitado”? Essa foi a mensagem que o Banco Central dos Estados Unidos (Fed) passou ontem ao ampliar as linhas de recompra de títulos. Ao comprar os papéis, o Fed na prática coloca dinheiro no mercado.

Nas contas da gestora Pimco, o volume de ativos no balanço do BC norte-americano já passou o da crise financeira de 2008 e pode passar dos US$ 6 trilhões. Estamos falando de mais de quatro vezes o PIB brasileiro e o equivalente a R$ 30,6 trilhões nas cotações de hoje.

Esses recursos se somam ao pacote de auxílio de mais US$ 2 trilhões à economia dos EUA que parece perto de um acordo para aprovação no Congresso.

Aqui no Brasil, o BC anunciou ontem um programa que pode injetar até R$ 1,2 trilhão no sistema financeiro – mais de dez vezes superior ao adotado na crise de 2008. O governo também vai liberar R$ 85,8 bilhões para reforçar o caixa de Estados e municípios.

Ou seja, a equipe econômica liberal do ministro Paulo Guedes aos poucos também vem adotando o receituário mais heterodoxo para lidar com a pandemia.

Por falar em Paulo Guedes, a notícia publicada pelo colunista Lauro Jardim, de O Globo, de que o ministro foi passar uns dias no Rio voltou a alimentar burburinhos sobre a situação dele no governo. O próprio Guedes, porém, negou que pensa em deixar o posto.

De todo modo, o noticiário político não chegou a contaminar o dia de alívio nos mercados com os estímulos adotados pelos governos contra a crise.

O Ibovespa fechou em forte alta de 9,69%, aos 69.729,30 pontos, e o dólar recuou para a casa dos R$ 5,08. O Victor Aguiar traz para você todo o panorama na bolsa nesta terça-feira.

Diário do corona

Leia a seguir as medidas de bancos e empresas em reação à pandemia do coronavírus:

Chega de dúvidas sobre o IR 

Como a Receita Federal anunciou que não há previsão de postergar a data de declaração do Imposto de Renda 2020, melhor aproveitar a quarentena para prestar contas com o Leão. Para tirar as dúvidas dos nossos leitores, a Julia Wiltgen conversou hoje com o advogado Samir Choaib. Reveja a live que foi ao ar hoje. 

Deixo também o convite para você conhecer o Guia Definitivo do Imposto de Renda. São 35 tutoriais em vídeo sobre vários temas da declaração do IR 2020. E você poderá também mandar sua pergunta para a próxima live, que será realizada em abril.

Ninguém sai 

A situação para os fundos de crédito ficou ainda mais complicada diante da crise de liquidez aguda do mercado de debêntures – títulos de dívida emitidos por empresas. O fundo de investimentos Select Light, sob gestão da Quatá Investimentos, foi fechado para resgates. A medida abrange inclusive os resgates que já foram solicitados e ainda não foram pagos. Nesta matéria, eu conto todos os detalhes do caso.

Pacto de sangue 

Qual será o momento de voltar a investir na bolsa? Para o nosso colunista Felipe Miranda, podemos estar próximos de uma “virada de mão”. Diante dos preços extremamente depreciados das ações, essa pode ser uma grande oportunidade de multiplicação de capital. Ele propõe inclusive um “pacto de sangue” com quem estiver disposto a acompanhá-lo nas próximas semanas. Mas antes reflita sobre as três condições necessárias para encarar essa trilha.

Uma ótima noite para você.
Aquele abraço!

Comentários
Leia também
A REVOLUÇÃO 3.0 DOS INVESTIMENTOS

App da Pi

Aplique de forma simples, transparente e segura

O melhor do Seu Dinheiro

A vida da renda fixa após a alta da Selic, o Telegram do Seu Dinheiro e outros destaques

A tribo dos investidores mais conservadores foi dormir um pouco mais contente ontem, após a decisão do Banco Central sobre a Selic. Como esperado, a taxa básica de juros subiu mais 0,75 ponto percentual, para 3,5% ao ano. No comunicado, o Comitê de Política Monetária (Copom) voltou a encarnar o “falcão” — mais duro no […]

Abertura

Bolsa abre sem direção definida, sem apoio do exterior e com cenário interno dividido

Confira os principais eventos e indicadores para o dia de hoje

análise dos balanços

Juntos, Santander, Itaú e Bradesco têm salto no lucro, mas saúde financeira não tranquiliza mercado

Um contraste fica visível na comparação entre Santander e Itaú, principalmente: o comportamento da margem financeira das operações com clientes

Desmatamento em foco

Varejistas europeus ameaçam boicote a produtos do Brasil por risco à Amazônia

O movimento foi visto como “precipitação” por empresários brasileiros que acompanham dois projetos de lei que tramitam no Congresso sobre o tema

CÉU DE BRIGADEIRO

No pós-Copom, Ibovespa tem tudo para amanhecer com céu azul e sol brilhante

Com o Banco Central fora da cena principal, bolsa brasileira tem tudo para acompanhar o apetite por risco no exterior

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies