Menu
Richard Camargo
Aposente-se aos 40 (ou o quanto antes)
Richard Camargo
Formado em Economia pela Universidade de São Paulo, Richard trabalhou por 5 anos na área tecnológica até chegar na Empiricus.
2020-02-16T12:10:11-03:00
AS LIÇÕES 'FIRE' DO BILIONÁRIO

O que você perguntaria a Warren Buffett?

Aos 89, o mago de Omaha tem muito a ensinar a quem procura dar um gás nos seus investimentos em busca da sua aposentadoria precoce

16 de fevereiro de 2020
5:57 - atualizado às 12:10
Warren Buffett, investidor americano
Imagem: Shutterstock

Olá, seja bem-vindo ao nosso papo de domingo sobre aposentadoria precoce. Na semana passada, respondi à seguinte pergunta dos leitores desta coluna: é possível ter uma aposentadoria FIRE (Financial Independence, Retire Early) com 1 milhão de reais?

Foi uma das matérias mais lidas do Seu Dinheiro naquele dia, mas nós perdemos em audiência para o almoço entre o jovem executivo chinês Justin Sun e o bilionário (também maior investidor de todos os tempos), Warren Buffett.

Como assim?

Todos os anos, o mago de Omaha (como Buffett é conhecido) leiloa um almoço beneficente. Para discutir com ele e ouvir suas ideias, Justin pagou US$ 4,6 milhões - que claro, foram 100% revertidos para caridade.

Minha vontade de participar do almoço inspirou o tema da nossa coluna de hoje. Baseado nas 1.000 páginas que li em A Bola de Neve - a biografia de Warren Buffett -, vamos imaginar como seria uma conversa entre o maior investidor de todos os tempos, e seus conselhos aos dedicados e virtuosos membros da comunidade FIRE!

Aqui está a minha entrevista imaginária com Warren Buffett:

Pergunta 1: o senhor começou com nada. Hoje têm mais de US$ 85 bilhões. Qual seu segredo?

Warren Buffett: Querido membro da comunidade FIRE. Eu realmente comecei com nada… meus primeiros investimentos foram feitos aos 11 anos de idade, com a renda que eu conseguia entregando jornais pelas ruas de Omaha.

Mas não quero fazer disso uma história de superação; minha família é um exemplo típico de classe média e o mundo está repleto de exemplos bem melhores que o meu.

Mas… quando o assunto são investimentos e seus segredos, eu acho que posso dar uma ou outra dica para você.

Inclusive, tome cuidado com o que a internet diz que eu disse. Já tenho quase mais frases atribuídas a mim do que a Clarice Lispector e o Albert Einstein (juntos).

Mas, em resumo, aqui estão alguns dos meus maiores princípios de investimentos.

  • “É muito melhor investir numa empresa maravilhosa a um preço justo, do que adquirir uma empresa justa a um preço maravilhoso”.
  • “É muito mais lucrativo apegar-se a casos simples e óbvios do que àqueles que se propõem a resolver problemas muito complexos”.
  • “Com frequência, nos saímos melhor evitando dragões do que tentando domesticá-los”. Confio em você para entender minha metáfora…
  • “Em negócios complicados, tão logo um problema é resolvido, outro emerge imediatamente - nunca há só uma barata na cozinha”.

E por último:

  • “O tempo é amigo de negócios maravilhosos, e inimigo dos negócios medíocres”.

Pergunta 2: o Senhor é um dos homens mais ricos do mundo, e continua trabalhando aos 89 anos. Por que não parar e curtir a aposentadoria?

Warren Buffett: Jovenzinho… e quem foi que te falou que eu não curto? Para mim, trabalhar na Berkshire é quase como tirar férias todos os dias.

E se você acha que eu exagero aos 89 anos, o que dizer do meu sócio, o Charlie, que têm 96, perdeu a visão de um dos olhos, e ainda enxerga o que 99% dos analistas de Wall Street são incapazes de ver? E nem vou compará-lo aos da Faria Lima…

Falo de brincadeira, mas meu ponto é sério: o que você pretende fazer quando parar de trabalhar?

Não venha me dizer que quer viver para sempre numa praia paradisíaca, tomando margaritas e caipirinhas o dia inteiro. Isso não é uma vida, é no máximo uma capa de calendário de ano novo.

Depois de uma semana, você vai estar cansado das ressacas e deprimido pelo tédio. Aposentadoria é coisa séria. Eu amo a Berkshire, e recomendo que você encontre algo que ama fazer para se dedicar após a sua aposentadoria FIRE.

Inclusive… trabalhar me faz tão bem que, mesmo mantendo uma dieta a base de hambúrguer, batata frita e Coca-Cola há 50 anos, eu estou melhor que muito crossfiteiro.

Pergunta 3: Senhor Buffett, para encerrar: me diga uma ação para eu comprar agora e ficar podre de rico, feito o senhor.

Warren Buffett: Menino, para começar, eu não fiquei rico comprando uma única ação. Aliás, todo ano eu adiciono uma ou duas empresas ao gigantesco portfólio da Berkshire.

Eu até posso te dar uma diquinha quente (de longo prazo, óbvio), mas eu preciso que você tenha isso claro: não é um diquinha que vai mudar sua vida. Você precisa de uma carteira completa de investimentos, independente do seu patrimônio. Foco nisso…

Mas, só para você não dizer que eu sou um velho “enrolão”, eu vou te dar uma dica de investimento.

Hoje, as ações da Apple são a maior posição que temos na Berkshire. Baita empresa: líder de mercado, com produtos de excelente qualidade e que sempre se reinventa. Uma máquina de geração de caixa e com lucros crescentes há tantos anos que, eu nem me lembro quando foi a última vez que tivemos de nos preocupar com ela.

Para comprar ações da Apple, você precisa ter acesso ao mercado norte-americano. Mas tudo bem se você não tiver… eu falei com o Richard e com o Rodolfo, e parece que estão sobrando 14 unidades do “Pequeno Livro da Grande Renda”. Sim, 14.

Leve o seu para casa - para acabar com o que eles estão guardando no estoque da Empiricus - e aprenda a encontrar empresas com características parecidas, mas no mercado brasileiro.

Um grande abraço!

Comentários
Leia também
A REVOLUÇÃO 3.0 DOS INVESTIMENTOS

App da Pi

Aplique de forma simples, transparente e segura

Seu Dinheiro na sua noite

La bolsa de papel

O roteiro dramático da bolsa nesses tempos de crise do coronavírus muitas vezes me lembra o da série espanhola La Casa de Papel. Para quem não conhece, trata-se da história de um grupo de ladrões que invade a Casa da Moeda para produzir e roubar o próprio dinheiro. A quarta temporada, aliás, acaba de estrear […]

Atualização do covid-19

Brasil registra 667 mortes por coronavírus e 13,7 mil casos

O número representa um aumento de 20% em relação a ontem

Flexibilização de regras

B3 suspende prazo para Oi e outras ‘penny stocks’ ajustarem cotação

Devido ao estado de calamidade pública decretado por conta do coronavírus, a bolsa anunciou uma série de suspensões e prorrogações de prazos para que empresas listadas façam ajustes de forma a se readequar às regras do mercado

Pisando fundo

Mini-rali: Ibovespa desacelera na reta final, mas fecha em alta e acumula 10% de ganhos em dois dias

O Ibovespa ganhou terreno pelo segundo dia consecutivo, amparado pela menor percepção de risco político e pelos dados econômicos domésticos mais animadores — fatores que compensaram o viés mais cauteloso visto no exterior

Precisa ser mais rápido

Luiza Trajano diz que medidas foram adequadas, mas precisam chegar na ponta

Medidas adotadas pelo governo para combater o coronavírus foram adequadas, disse a presidente do Conselho do Magazine Luiza, a empresária Luiza Trajano

Ajuda de emergência

Caixa já tem 10 milhões de cadastros finalizados, diz presidente

Presidente da Caixa Econômica Federal, Pedro Guimarães atualizou na tarde desta terça-feira, 7, as informações sobre a procura por trabalhadores informais, autônomos e microempreendedores individuais (MEIs) ao cadastro para o recebimento do auxílio emergencial

Mais crédito

BCE anuncia medidas que flexibilizam garantias necessárias para empréstimos

Banco Central Europeu (BCE) anunciou nesta terça-feira, 7, um pacote de medidas que flexibiliza garantias necessárias para empréstimos, com o objetivo de ampliar a tomada de crédito em meio à crise trazida pelo novo coronavírus

Efeito covid-19

S&P muda perspectiva de positiva para estável de instituições financeiras do Brasil

S&P informou em comunicado que a revisão da perspectiva, de positiva para estável, dos ratings de 15 instituições do setor financeiro do Brasil

Efeitos negativos

Com coronavírus, setor de telecom e TI deve perder US$ 15 bilhões na América Latina

Setor de telecomunicações e tecnologia da informação vai interromper o ciclo de crescimento e encerrar o ano em queda devido à crise do coronavírus, de acordo com projeção da consultoria IDC

o baque da pandemia

Covid-19 faz comércio perder R$ 53,3 bi em faturamento, diz CNC

Estimativa sinaliza uma queda de 46,1% no faturamento do comércio varejista desde a introdução de medidas restritivas até esta terça-feira

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu