Menu
Richard Camargo
Aposente-se aos 40 (ou o quanto antes)
Richard Camargo
Formado em Economia pela Universidade de São Paulo, Richard trabalhou por 5 anos na área tecnológica até chegar na Empiricus.
2020-02-09T08:29:18-03:00

Dá para se aposentar com 1 milhão de reais?

O primeiro milhão é um número místico que aparace no sonho de muita gente que está construindo seu patrimônio. Mas será que esse montante é suficiente para você parar de trabalhar? Eu fiz algumas contas e mostro alguns exemplos.

9 de fevereiro de 2020
6:06 - atualizado às 8:29
Montagem mostra velas que formam 1 milhão
1 milhão: o número mítico de quem busca sua independência financeira - Imagem: Shutterstock

Seja bem-vindo ao nosso papo de domingo sobre aposentadoria FIRE (Financial Independence, Retire Early). Hoje eu quero responder uma dúvida recorrente desde que passei a ocupar o espaço desta coluna: muitos leitores me perguntam se dá para se aposentar com 1 milhão de reais.

Será que é R$ 1 milhão é muito? Ou será que é pouco? Quem ficou milionário já pode se aposentar?

Vamos à resposta: Dá para se aposentar sim com R$ 1 milhão, mas é preciso entender em que termos…

Enquanto pensava em como organizar essa coluna com conceitos econômicos e teoria, eis que me apareceu o exemplo perfeito. Em clima de BBB sei lá qual edição, fui impactado num site de notícias por uma manchete mais ou menos assim: "depois do 1 milhão, veja como estão os ex-campeões do BBB".

Não me pergunte onde eu estava navegando para ser impactado por essa manchete...

O que nos interessa é o seguinte: será que a bolada do BBB foi suficiente para que os campeões e novos milionários alcançassem uma aposentadoria FIRE?

Kleber Bambam
Kleber Bambam, o vencedor do primeiro BBB

Diz a matéria que o Kleber Bambam está muito bem (e pelo que pude averiguar, ele ganhou menos que um milhão). Investiu tudo em imóveis e fez bastante propaganda com a própria imagem…

Mas o caso do Bambam não é uma regra. A mesma matéria dizia que a Cida (campeã da quarta edição) foi do luxo ao lixo, ao perder não só a bolada do BBB, como ainda por cima ficou endividada e vive hoje um baita drama pessoal.

Ou seja: dá para você conquistar uma aposentadoria FIRE com 1 milhão, mas é preciso entender sob quais termos…

1 - Quanto vai render seu dinheiro da aposentadoria? A regra dos 4%

Estou assumindo que você não poderá gerar renda extra fazendo stories para o seu Instagram durante a aposentadoria, tal como o Bambam.

Partindo desta premissa básica, muitos economistas e planejadores financeiros recorrem à matemática simples para resolver o problema complexo do “número mágico”.

Intuitivamente, funciona assim: definimos um percentual (4% ao ano) cujos rendimentos serão integralmente consumidos na aposentadoria para sustentar nosso padrão de vida.

  • Se você acumulou 1 milhão de reais, 4% ao ano desse montante significa R$ 40 mil reais.
  • Divididos em 12 meses, isso significa uma renda mensal de R$ 3.333.

A regra dos 4% assusta, pois intuitivamente, imagino que você esperasse por uma renda maior… a Cida provavelmente esperava.

Mas isso acontece porque essa é uma regra super conservadora.

Ao retirar 4% ao ano do seu patrimônio num país cuja taxa básica de juros (a Selic) é de 4,25% , você não está alterando a composição principal do seu patrimônio.

Isso significa que se você acumular 1 milhão de reais e gastar apenas os rendimentos, você deixará o mesmo R$ 1 milhão (ou algo muito próximo disso) para seus herdeiros.

A regra dos 4% pode parecer excessivamente conservadora num primeiro momento, mas têm um benefício valioso aqui: ela te ajuda a se proteger de imprevistos.

E convenhamos: imprevistos acontecem.

Se você é uma pessoa normal, imagino que não passe o dia inteiro confabulando sobre as infinitas maneiras pelas quais as coisas podem dar errado. Ótimo, isso fará bem para sua saúde mental em longo prazo.

Infelizmente, porém, seu otimismo não vai impedir que uma coisa ou outra não saiam conforme o planejado. Por isso eu gosto da regra dos 4%, mas ela não é nossa única opção…

2 - Você quer viver de renda por quantos anos? Multiple por “X”

Por quantos anos você pretende permanecer aposentado e viver de renda? Cinco? Dez? Vinte?

O que nós podemos fazer é inverter a lógica dos 4%. Ao invés de deixar todo o “principal” para nossos herdeiros, podemos fazer uma conta de chegada, de modo que - quando batermos as botas - não sobre muito mais que umas migalhas…

Neste caso, o que precisamos fazer é multiplicar nossos gastos mensais por 12 vezes (de modo a torná-los anuais) e então multiplicá-los novamente, agora pela quantidade de anos que permaneceremos aposentados.

Por exemplo: se você gasta R$ 5 mil por mês e deseja permanecer 20 anos sem qualquer outro rendimento além das suas próprias economias… como fica?

Pela regra do “Multiplique por X”, teríamos um gasto anual de R$ 60 mil. O que, ao longo de 20 anos, representaria um montante de aproximadamente R$ 1,2 milhão.

Simples, não? Sim, até simples demais… a regra do “Multiplique por X” é legal, mas têm alguns problemas… o primeiro, é que ela não leva em conta a inflação. Isso é algo muito perigoso (ainda mais no Brasil).

Outro problema é que se você faz uma conta de chegada, isso significa que sua grana vai acabar num determinado momento. Agora, imagine que você tenha o “azar” de viver mais que o planejado… já entendeu, certo?

E se você acha que estou exagerando, pesquise no Google por “Jorginho Guinle - o playboy brasileiro” e depois me conte…

Como calcular quanto economizar para a aposentadoria? O número mágico

A minha sugestão é que você busque um equilíbrio entre a regra dos 4% e a regra do “Multiplique por X” para definir quando você precisa poupar para se aposentar e viver de renda.

Um milhão é um número “mítico” e super representativo, mas você precisa testar.

Repita em casa as contas que eu fiz… mexa nos 4% (assuma rendimentos maiores ou menores), inclua outras fontes de renda na sua conta (INSS se você tiver, aluguel de imóveis, trabalhos que você pretende tocar por hobby quando se aposentar…).

Tente também adicionar um FDC (fator de cagaço) ao “Multiple por X”, de modo que você tenha estimativas mais conservadoras… e por aí vai.

O mais importante é exercitar os cenários e, acima de tudo, não ter medo do seu número mágico.

Ele provavelmente está situado nas margens do R$ 1 milhão - um pouco mais, ou um pouco menos, a depender obviamente do seu estilo de vida.

E lembre-se também do seguinte: mais importante do que definir um número mágico é traçar um plano para alcançá-lo.

Não adianta nada você ter planilhas incríveis que te digam - na precisão dos centavos - de quanto você precisa, sob diferentes premissas de rentabilidade, se você não souber como investir e alcançar esse patrimônio.

Você consegue facilmente um rendimento de 4% ao ano parado em instrumentos simples de renda fixa. Mas, a não ser que você faça esforços sobre-humanos para economizar, os 4% dificilmente te levaram da situação atual ao objetivo traçado.

Não deixe que a definição do número mágico sirva como desculpa para postergar sua entrada no mundo dos investimentos.

Se a sua dificuldade é começar, eu sugiro a leitura do “Pequeno Livro da Grande Renda”, o livro que escrevi com o Rodolfo e sobre o qual comentamos na semana passada.

Ainda restam algumas unidades, que estamos oferecendo a preço de custo (apenas a impressão e o frete para todo o Brasil).

Você pode garantir o seu aqui.

Um abraço e até semana que vem!

Comentários
Leia também
OS MELHORES INVESTIMENTOS NA PRATELEIRA

Garimpei a Pi toda e encontrei ouro

Escolhi dois produtos de renda fixa para aplicar em curto prazo e dois para investimentos mais duradouros. Você vai ver na prática – e com a translucidez da matemática – como seu dinheiro pode render mais do que nas aplicações similares dos bancos tradicionais.

Críticas

Presidente do BB tem de tratar de liquidez e não sobre isolamento, diz Maia

Presidente da Câmara, Rodrigo Maia aproveitou a videoconferência que realizou hoje para criticar a postura do presidente do Banco do Brasil

Crescimento de ganhos

Lucro de companhias abertas sem Vale, Petrobras e Oi cresce 7% em 2019, diz estudo

Lucro cresceu 7,16% em 2019, passando de R$ 94,2 bilhões em 2018 para R$ 101 bilhões no ano passado, segundo levantamento da Economática

não está em diário oficial

Doze horas após Bolsonaro anunciar sanção de auxílio, MP ainda não foi publicada

Ajuda a trabalhadores informais, autônomos e microempreendedores durante a pandemia do coronavírus ainda não tem validade

setor afetado

Venda de veículos novos em março é a menor para o mês desde 2006

Foram 163,5 mil unidades vendidas, em soma que considera os segmentos de automóveis, comerciais leves, caminhões e ônibus, segundo balanço divulgado pela Fenabrave

agenda de brasília

Senado escolhe 3 projetos relacionados à Covid-19 para votar na próxima semana

Todas são iniciativas de senadores, ou seja, dependerão na sequência de análise da Câmara

tensão nos negócios

Varejo raciona e acusa indústria de reajustar preços

Fornecedores, por sua vez, alegam aumento de demanda e questões operacionais para essa alta, como o custo logístico

baixa pelo coronavírus

Latam reduz operações em 95% em abril

Afetada pela pandemia do novo coronavírus, Latam Airlines Brasil diz que continuará voando para 39 destinos com frequências reduzidas

Maior nível em quase um mês

Ações da Petrobras disparam mais de 10% após Trump sinalizar uma trégua na guerra de preços do petróleo

As ações da Petrobras sobem mais de 10%, na esteira da valorização do petróleo — lá fora, cresce a expectativa quanto a um acordo entre russos e sauditas

Não tão rápido...

Pagamento de benefícios não vale para salários de março, afirma secretário do Trabalho

Questionado sobre a nova MP do governo federal, Dalcolmo disse que o pagamento – que complementa a renda de quem tiver o salário reduzido – diz respeito apenas ao mês já trabalhado

Exile on Wall Street

Investimos em conversas que vão longe

São raros os dias em que tudo cai — ou tudo sobe —, e eles sugerem um mercado irracional, que não sabe bem o que está fazendo.

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu