Menu
Rodolfo Amstalden
Aposente-se aos 40 (ou o quanto antes)
Rodolfo Amstalden
Sócio-fundador da Empiricus e autor do Programa de Riqueza Permanente
2020-03-11T11:32:24-03:00
TEMPORADA DE CAÇA ÀS PECHINCHAS

A bolsa caiu? Aproveite a descida para dar um gás na sua aposentadoria

Você tem agora a raríssima chance de comprar belos ativos de risco a preço de banana. Custos de entrada convidativos fazem uma enorme diferença sobre a taxa de retorno obtida com investimentos de longo prazo

11 de março de 2020
10:04 - atualizado às 11:32
Descida de montanha-russa em Orlando
Descida de montanha-russa em Orlando - Imagem: Shutterstock

Banho de sangue nos mercados. Você está com sorte. Eu sei que parece contra intuitivo, mas este é um cenário particularmente interessante para começar um projeto de aposentadoria.

Você tem agora a raríssima chance de comprar belos ativos de risco a preço de banana. Custos de entrada convidativos fazem uma enorme diferença sobre a taxa de retorno obtida com investimentos de longo prazo.

Supondo um preço de entrada "justo" a R$ 100, e uma estratégia de investimentos capaz de multiplicar por 6x o capital investido ao longo de dez anos, teríamos um retorno acumulado de +500% no período. 

Já se os preços dos ativos de risco caírem à metade do preço justo, o retorno esperado sobe para +1.100%.

E chega até mesmo a +2.300% caso encontremos a oportunidade de entrada a um quarto do preço justo.

Em tese, podemos achar irreal que belos ativos de risco (empresas sérias, fundos imobiliários ocupados) sejam capazes de custar metade ou mesmo um quarto do que custavam no ambiente pré-corona.

Mas isso é perfeitamente possível. Aquele mesmo Ibovespa que em janeiro negociava a 120 mil pontos agora tenta recuperar os 90 mil pontos. Tudo aconteceu em questão de segundos.

Na última grande crise, em 2008, me lembro de ações de Ambev e Itaú negociando a um quarto do que valem hoje.

Apesar de estarmos construtivos, com um claro viés de compra em meio ao pânico, precisamos também ponderar que o momento corrente ainda pede paciência. No jargão do mercado, dizemos: "não tente pegar uma faca caindo".

O petróleo é um dos ativos mais relevantes da economia global, para o bem e para o mal.

Ao mesmo tempo em que uma queda do petróleo é deflacionária, estimulando o poder de compra das famílias, há toneladas de dívidas corporativas, pelo mundo todo, atreladas ao preço do barril.

Isso significa que podemos esperar uma série de moratórias nos próximas semanas, capazes de gerar efeitos em cadeia bastante graves.

Por outro lado, os Bancos Centrais buscarão políticas monetárias coordenadas de aumento da liquidez, enquanto cada governo implementará sua política fiscal expansionista.

Por aqui, Rodrigo Maia já tweetou provocando os Três Poderes a parar de frescura e aproveitar o péssimo clima internacional como gatilho para aprovar reformas domésticas. O custo de oportunidade aumentou muito.

Dada a relativa capacidade de reação, nem todas as notícias serão ruins. No entanto, é provável que haja muito mais notícias ruins do que boas no curto prazo.

E agora, o que fazer?

A melhor coisa que temos a fazer, por enquanto, é esperar até que os preços de tela fiquem ridiculamente convidativos para quem investe em longo prazo. 

Eu já encontrei dois ativos baratos para comprar e recomendei aos assinantes do meu novo programa de investimentos, o Empiricus Fire. São papéis que estão baratos agora e que, a meu ver, podem engordar sua aposentadoria no longo prazo.

Existem outras pechinchas por aí que vamos indicar ao longo das próximas semanas. Deixo aqui o link de acesso para quem quiser aproveitar a temporada de compras e receber as indicações.

Comentários
Leia também
ENCRUZILHADA FINANCEIRA

Confissões de um investidor angustiado

Não vou mais me contentar com os ganhos ridículos que estou conseguindo hoje nas minhas aplicações. Bem que eu queria ter alguém extremamente qualificado – e sem conflito de interesses – para me ajudar a investir. Só que eu não tenho o patrimônio do Jorge Paulo Lemann. E agora?

Disparou

Dívida bruta do governo deverá encerrar o ano em 96% do PIB

Endividamento cresceu 20,2 pontos por causa de pandemia.

fechando a conta

Mais um tombo aí? Ibovespa cai 3% e termina outubro no vermelho, com avanço da covid-19

Índice tem novas perdas fortes em semana difícil e fecha mês em queda de 0,7%. Desempenho reflete mau humor de Nova York com coronavírus e a sangria das ‘big techs’, antes das eleições dos Estados Unidos, fator de incerteza adicional. Após intervenção do Banco Central e com a formação da Ptax, dólar tem queda

pandemia

Governo vai comprar vacina desenvolvida na China, diz Mourão

Vice-presidente disse que polêmica em torno da vacina desenvolvida pela farmacêutica chinesa Sinovac em parceria com o Instituto Butantan é “briga política” com Doria

DESTAQUE DO DIA

Apesar do prejuízo, Suzano tem balanço bem avaliado por analistas

Analistas destacam que Ebitda superou estimativas e elogiam fluxo de caixa livre e desalavancagem

sob pressão

Inflação e redução do auxílio emergencial já derrubam vendas nos supermercados

Em outubro, a prévia da inflação, medida pelo Índice de Preços ao Consumidor-15 (IPCA-15) atingiu 0,94%. O resultado é mais que o dobro da inflação registrada em setembro e a maior alta para o mês em 25 anos

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies