Menu
2020-12-28T18:15:26-03:00
Jasmine Olga
Jasmine Olga
Cursando jornalismo na Universidade de São Paulo (ECA-USP), já passou pelo Centro de Cidadania Fiscal (CCiF) e o setor de comunicação da Secretaria da Educação do Estado de São Paulo
Felipe Saturnino
Felipe Saturnino
Graduado em Jornalismo pela USP, passou pelas redações de Bloomberg e Estadão.
MERCADOS HOJE

Ibovespa se aproxima de recorde com estímulos nos EUA e acordo pós-Brexit

Pacote de alívio contra a covid-19 no país deve ajudar a maior economia do mundo, em meio às preocupações com o avanço do coronavírus, e faz índice local ficar a 500 pontos do topo

28 de dezembro de 2020
10:46 - atualizado às 18:15
Estados Unidos e União Europeia
Estados Unidos e União Europeia - Imagem: Shutterstock

O Ibovespa registra alta nesta segunda-feira (28), na primeira sessão da última semana do ano, no mesmo pique registrado antes da pausa para o Natal — com fôlego para subir mais e buscar a sua máxima histórica.

Apesar da demora no início da vacinação contra o coronavírus no Brasil causar apreensão entre os investidores, o bom humor que chega dos mercados internacionais sustenta o ânimo dos negócios e faz o índice flertar com o seu recorde.

Após meses de negociação, dois acordos muito esperados pelos mercados tiveram um desfecho feliz. Eram assuntos dignos de novelas, visto que suas conclusões sempre se estendiam e estavam acompanhadas de perto pelos agentes financeiros.

O primeiro desses acertos veio ainda na véspera de Natal, quando a União Europeia e o Reino Unido, enfim, fecharam um acordo comercial para após o Brexit.

Enquanto isso, na noite de ontem, o presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, aprovou o pacote fiscal de US$ 900 bilhões, que deve socorrer a maior economia do mundo e injetar ainda mais liquidez no mercado.

Com isso, por volta das 16h30, o principal índice acionário da B3 subia 1%, cotado aos 119.100 pontos, sendo sustentado por pesos-pesados. É o maior nível do Ibovespa desde 18 de dezembro, quando, na máxima intradiária, subiu aos 119.400 pontos.

O bom desempenho das blue chips impulsiona o índice hoje, com as altas das ações da Petrobras (mais de 1%) e da Ambev (2,1%).

Os papéis da petroleira avançam em meio à venda de participação em 12 campos terrestres no Polo Remanso, na Bahia. A alta ocorre apesar de o petróleo Brent ter zerado sua alta no mercado internacional mais cedo e agora operar em leve alta, de 0,1%.

Ações da Vale também avançam. No caso da mineradora, a boa nova é que a companhia retomou gradualmente as suas operações em Mariana (MG) e em Ubu (ES).

O dólar, por sua vez, registra alta firme, de 1,15%, aos R$ 5,2397, com os bancos buscando a moeda pela diminuição de seu overhedge (proteção excessiva no mercado) e por demanda de empresas estrangeiras pela divisa com remessas internacionais.

O movimento destoa da performance da moeda frente a pares emergentes do real brasileiro — o dólar tem leve alta contra o peso mexicano e o rand sul-africano, por exemplo.

Riscos no radar

Embora o clima geral seja de otimismo, alguns riscos persistem sendo monitorados pelos investidores locais e podem limitar o fôlego da bolsa brasileira.

O primeira é o avanço da pandemia do coronavírus, no que se destacam as declarações polêmicas do presidente Jair Bolsonaro em torno do início da vacinação no Brasil.

Outras notícias que também envolvem a covid-19 têm a ver com o aumento do número de casos que envolvem uma nova variante da doença e problemas logísticos de distribuição das vacinas na Europa.

Quem sobe, quem desce

Após a divulgação de prévias operacionais acima do esperado, a resseguradora IRB Brasil lidera as altas do Ibovespa nessa segunda.

Confira as principais altas da sessão de hoje:

CÓDIGOEMPRESAPREÇO (R$)VARIAÇÃO
IRBR3IRB ON             8,16 12,71%
CIEL3Cielo ON             3,81 7,93%
CVCB3CVC ON           19,74 4,22%
PCAR3GPA ON           75,63 4,02%
WEGE3Weg ON           74,99 3,26%

As ações da Usiminas recuam, após a queda do minério de ferro negociado no porto de Qingdao, na China. Os papéis da Gerdau também caem, embora levemente. Veja as principais baixas:

CÓDIGOEMPRESAPREÇO (R$)VARIAÇÃO
USIM5Usiminas PNA           14,41 -1,44%
QUAL3Qualicorp ON           35,30 -1,34%
GOLL4Gol PN           24,26 -1,14%
MRFG3Marfrig ON           14,56 -0,82%
BTOW3B2W ON           75,04 -0,74%

Comentários
Leia também
DINHEIRO QUE PINGA NA SUA CONTA

Uma renda fixa pra chamar de sua

Dá para ter acesso a produtos melhores do que encontro no meu banco? (Spoiler: sim).

Prévia operacional

Com avanço em vendas e lançamentos em 2020, Mitre divulga prévias operacionais fortes

Houve crescimento nos números da construtora tanto no trimestre quanto no ano. BTG Pactual considerou resultados “excepcionais”

ambições

Prestes a colocar mais R$ 2,5 bi no caixa, BTG prepara aquisições na área digital

Banco deve fazer novas aquisições para fortalecer plataforma e viabilizar crescimento orgânico de área digital, diz fonte

Prévia operacional

Vendas da Even totalizam R$ 402 milhões no 4º trimestre, queda de 33% na comparação anual

Lançamentos totalizaram R$ 482 milhões no período, 40% a menos que no quarto trimestre de 2019, mas geração de caixa foi robusta; Melnick também viu queda de vendas e lançamentos no ano e no trimestre

Mercados hoje

Bolsa cai mais de 1% com incerteza sobre pacote de Biden e segunda onda da covid-19

Existe uma certa desconfiança de que o plano encontre dificuldades de ser aprovado pelo Congresso, ainda que o democrata tenha conquistado a maioria das duas casas

números promissores

Aura Minerals projeta crescimento de até 42% da produção em 2021

Desempenho neste ano deve ser puxado por mina em Honduras, que deve ser manter como principal fonte de minério

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu
Advertisements
Advertisements

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies