Menu
2020-03-19T08:16:23-03:00
Jasmine Olga
Jasmine Olga
Cursando jornalismo na Universidade de São Paulo (ECA-USP), já passou pelo Centro de Cidadania Fiscal (CCiF) e o setor de comunicação da Secretaria da Educação do Estado de São Paulo
O que mexe com os mercados

Mesmo com atuação dos BCs, cautela segue ditando o mercado

Lá fora, os investidores seguem apreensivos com o efeito do coronavírus na economia e custam a responder de forma positiva aos pacotes de estímulos dos BCs.

19 de março de 2020
8:01 - atualizado às 8:16
Touros e Ursos CAPA Selic Corte
Imagem: Montagem Andrei Morais / Shutterstock

O corte já era esperado. O Copom decidiu renovar a mínima histórica da taxa Selic e promoveu uma queda de 50 pontos, levando a taxa a 3,75%.

O Comitê de Política Monetária justificou o corte com os problemas trazidos pelo coronavírus, mas não deixou de destacar os impactos fiscais que a medida pode ter.

Aparentemente, o ciclo de cortes parece mesmo ter chegado ao fim, com o BC pedindo novamente cautela na condução da política monetária. Segundo o comunicado "cortes adicionais podem ser contraproducentes, se resultarem em aperto nas condições financeiras”.

Mesmo assim, a curva DI já precifica em 30% a probabilidade de um novo corte em maio.

O corte das taxas de juros custam a trazer algum efeito real de animação para a economia. Muitos analistas acreditam que o BC deve tomar outras medidas de estímulo.

Sem reação

O impacto econômico do coronavírus segue sendo o principal fator que afunda as bolsas globais. Mesmo com os governos anunciando uma série de medidas e estímulos, os investidores custam a retornar aos ativos mais arriscados.

O mercado ainda desconfia do efeito das medidas na economia e as instituições continuam a revisar as expectativas de crescimento, jogando o mundo em uma nova recessão global.

Seguindo os passos do Federal Reserve, o Banco Central Europeu lançou ontem um novo programa de compra de ativos, de 750 bilhões de euros. As taxas de juros também sofreram queda na Austrália, Filipinas e Indonésia.

Mesmo assim, as bolsas asiáticas tiveram mais um dia de forte queda, capitaneados pelo índice sul-coreano Kospi, que caiu cerca de 8,39%.

Pacote Coronavírus

No Brasil, a bolsa brasileira ficou bem próxima de acionar o segundo circuit breaker do dia, mas fechou em baixa de 10,35%, desabando aos 66.894,95 pontos.

O presidente Jair Bolsonaro, ao lado da sua equipe econômica anunciou medidas que buscam aliviar a economia local e auxiliar os trabalhadores, com o alívio de regras trabalhistas.

  • Permissão para as empresas reduzirem em 50% a jornada de trabalho e salário dos empregadores.
  • Suspensão temporária do contrato de trabalho, com pagamento de 50% do salário.
  • Antecipação de férias, decreto de férias coletivas ou uso de banco de horas para dispensar trabalhadores.
  • Suspensão do recolhimento do FGTS.
  • Apoio de R$ 200 per capita para trabalhadores informais.

Para aliviar as companhias aéreas, que junto com as empresas do setor de turismo são as que mais sofrem com a crise, o governo criou uma MP que permite o atraso na devolução do dinheiro das passagens canceladas.

Ontem, a Câmara aceitou o pedido de Estado de Calamidade Pública, que permite que o governo não cumpra a meta fiscal.

Sem alívio

O dia começa anunciando mais tensão no mercado.

No começo da manhã, os índices futuros das bolsas de Nova York operavam em queda de cerca de 2%. Uma melhora com relação ao visto durante a madrugada, quando os futuros caíam 4%.

Na Europa, os investidores tentam surfar na onda dos pacotes de estímulos e operam de forma mista.

Subindo cada vez mais

O dólar à vista fechou o dia de ontem em forte alta de 3,74%, a R$ 5,1960.

O Banco Central bem que tentou e ofereceu quatro leilões de linha, onde o BC vendeu bem menos que a oferta. Analistas acreditam que o novo corte na Selic pode colocar ainda mais pressão no câmbio.

Agenda

A divulgação de resultados corporativos continua. Hoje temos os números do quarto trimestre de Bradespar e Braskem.

Lá fora, o presidente Donald Trump deve participar de nova coletiva de imprensa sobre o coronavírus. Na China, o Banco Central chinês define a taxa de juros de curto prazo.

Crise diplomática

O Twitter foi palco de mais uma crise diplomática envolvendo a família bolsonaro.

Eduardo Bolsonaro postou uma mensagem na rede social culpando a China pela pandemia. O perfil oficial da Embaixada Chinesa no Brasil respondeu a provocação.

Fique de olho

  • Subsidiária da TIM Participações, a TIM S.A obtve registro de companhia aberta.
  • A Assembleia Geral Ordinária e Extraordinária das Lojas Renner, que aconteceria dia 16 de abril, foi cancelada.
  • Trisul aprovou programa de recompra de ações de até R$ 5 milhões de ações Ordinárias.
  • Azevedo e Travassos deixou o programa de recuperação judicial.
  • A Gol suspendeu a distribuição de dividendos aos acionistas.
  • Banco BMG cancelou ações mantidas em tesouraria (11,9 milhões de ações PN) e anunciou um novo programa de recompra.
  • Petrobras iniciou processo de venda de fatia em Polo Golfinho e Camarupim (ES)
Comentários
Leia também
DINHEIRO QUE PINGA NA SUA CONTA

Uma renda fixa pra chamar de sua

Dá para ter acesso a produtos melhores do que encontro no meu banco? (Spoiler: sim).

em Minas Gerais

Notre Dame Intermédica compra Grupo Serpram por R$ 170 milhões

Aquisição marca avanço da empresa em Minas Gerais; mais cedo, companhia anunciou compra de outra empresa, no Sul do País

forte expansão

Unidas reporta lucro líquido de R$ 124 milhões, alta de 44,4% e melhor da história

Empresa registrou uma forte retomada no segmento de Terceirização de Frotas, que apresentou recordes de contratação

desinvestimentos

Compass apresenta proposta para adquirir participação da Petrobras na Gaspetro

Empresa, que chegou a desistir de abrir capital, não revelou valor pela fatia; processo é mais um desinvestimento da Petrobras, que desembarca de vez da companhia

Dinheiro na conta

Santander pagará R$ 1 bilhão em juros sobre capital próprio

O valor líquido por ação será de R$ 0,10859906709 por ON, com retenção de IR na fonte.

PLANOS

Agora parte do BTG, Necton vai em busca de pequenos investidores

Corretora pretende lançar iniciativas e produtos para a base dos investidores, para quem tem entre R$ 10 mil e R$ 15 mil aportados no mercado

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu
Advertisements

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies