Menu
2020-02-07T08:14:17-03:00
Jasmine Olga
Jasmine Olga
Cursando jornalismo na Universidade de São Paulo (ECA-USP), já passou pelo Centro de Cidadania Fiscal (CCiF) e o setor de comunicação da Secretaria da Educação do Estado de São Paulo
O que mexe com os mercados hoje?

Em dia de payroll, coronavírus volta ao primeiro plano

Bolsas asiáticas interromperam sequência de alta e voltaram a cair com a retomada da cautela em torno do coronavírus

7 de fevereiro de 2020
7:59 - atualizado às 8:14
Vírus coronavírus China Ibovespa
Imagem: Shutterstock

A semana chega ao fim com a divulgação de importantes indicadores econômicos.

Aqui no Brasil, temos a inflação oficial de janeiro (9h). A estimativa é que com a diminuição do impacto no preço das proteínas o índice apresente uma desaceleração consistente.

Lá fora, expectativa pelos dados do relatório de emprego dos Estados Unidos, o payroll. A previsão de números mais fortes para o mês ajuda a moeda americana a se manter firme, prejudicando ainda mais o real.

Ontem, o dólar atingiu nova máxima e fechou o dia cotado a R$ 4,2852, após alta demais de 1%.

Colocando na balança

Depois de alguns dias de alívio, as preocupações com os efeitos do coronavírus na economia mundial voltam a assombrar o mercado financeiro.

São mais de 31 mil pessoas infectadas na China. O número de mortos ultrapassa os 630 e diversas fábricas e grandes centros populacionais continuam fechados. O BC chinês admitiu que a doença é uma 'turbulência temporaria' e que os números do primeiro trimestre devem afetados.

As projeções para o PIB deste ano já começam a diminuir e o governo chinês corre para injetar alguma segurança. Ontem, os presidentes Xi Jinping e Donald Trump conversaram por telefone. Segundo a imprensa chinesa, o líder chinês cobrou uma postura mais razoável dos americanos.

A retomada da cautela em torno do coronavírus atingiu em cheio as bolsas asiáticas, que interromperam sequência de alta.Somente o índice da China continental descolou da tendência e encerrou o dia com uma alta de 0,33%.

Diante do cenário, a China decidiu adiar a divulgação da balança comercial de janeiro, que estava prevista para hoje. Os números serão divulgados juntos com os resultados de fevereiro.

Faltou folêgo

Após um dia de novos recordes nas bolsas americanas, os índices futuros amanhecem no negativo em Wall Street.

Por aqui, nem mesmo o tom positivo dos mercados em Nova York sustentaram a alta da bolsa brasileira e o índice fechou o dia com uma queda de 0,72%, aos 115.189,97 pontos.

Na Europa, as bolsas também recuam nas primeiras horas da manhã.

De olho nos resultados

Ontem, Lojas Renner e Sanepar divulgaram os seus resultados do quarto trimestre de 2019.

  • A primeira, teve lucro líquido de R$ 513 milhões no 4º trimestre, uma alta de 16,7%. No ano, a alta foi de 7,7%.
  • Já a Sanepar reportou um lucro de R$ 108 bilhões em 2019, uma alta de 21,01%.

Fique de olho

  • Natura & Co aprovou programa de recompra 1.114.460 papéis ordinários da companhia.
  • Geraldo José Alckmin Neto será o novo diretor de negócios digitais do Santander. Kohler Marcondes será diretor de emissão de dívidas e Vitor Ohtsuki cuidará do private banking
  • Carrefour entrou em fase final de negociação para a compra da Makro. A transação deve movimentar R$ 5,5 bilhões.
Comentários
Leia também
A REVOLUÇÃO 3.0 DOS INVESTIMENTOS

App da Pi

Aplique de forma simples, transparente e segura

sinal verde

Anac autoriza Virgin Atlantic, do bilionário Richard Branson, a operar no Brasil

Segundo o órgão regulador, a empresa manifestou interesse em voar, a partir de março deste ano, entre as cidades de Londres e São Paulo.

Esquenta dos mercados

Tensão renovada nos mercados com disseminação do coronavírus para fora da China

Com coronavírus no radar, os investidores brasileiros devem buscar cautela para se proteger do movimento dos mercados durante o feriado

comunicado oficial

Banco Central do Japão diz que é cedo para discutir medidas em resposta ao coronavírus

Coronavírus pode afetar a economia japonesa, ao desacelerar suas exportações para a China, segundo presidente da autoridade monetária

novidade do bc

BC cria linha de redesconto para participantes do PIX nos pagamentos instantâneos

Em novembro, o BC planeja colocar em funcionamento o PIX. O sistema permitirá pagamentos instantâneos – ou seja, transferências de recursos 24 horas por dia, sete dias por semana, durante todo o ano

decisão do supremo

STF mantém lei que libera renovação antecipada de concessões de ferrovias

Processo foi apresentado em 2018 pela então PGR, para quem as normas previstas na legislação ofenderiam as regras de licitações e o princípio da competitividade

de olho nas cifras

CMN aprova limite de R$ 8,4 bi de crédito por estados e municípios e estatais

Valor ficou bem abaixo do liberado em anos anteriores – em 2019 foi de R$ 24,5 bilhões em 2019 e R$ 24 bilhões em 2018

Sextou com o Ruy

Alguém te deu uma dica de investimento? Leia este texto antes de aceitar

Seja na cadeira do dentista ou no mercado financeiro, cuidado com os conflitos de interesse, que podem ser extremamente danosos para você e sua família

Contas analisadas

CMN aprova balanço do Banco Central no 2º semestre de 2019, com lucro de R$ 64,5 bilhões

Com os R$ 21,04 bilhões de lucro no primeiro semestre, o resultado total do ano para a instituição em 2019 foi de R$ 85,57 bilhões

Novidade na área

Caixa confirma parceria om Visa em cartões

Acordo marca o primeiro negócio fechado pelo banco público para constituir um braço de meios de pagamentos

Ano trágico

Vale tem prejuízo de US$ 1,7 bilhão em 2019; provisões e despesas por Brumadinho chegam a US$ 7,4 bilhões

A Vale fechou 2019 com um prejuízo bilionário, fortemente pressionada pelas provisões relacionadas ao rompimento da barragem em Brumadinho — efeitos que superaram em muito os ganhos relacionados à valorização do minério de ferro no ano

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu
Advertisements