Menu
2020-02-17T18:55:57-03:00
Victor Aguiar
Victor Aguiar
Jornalista formado pela Faculdade Cásper Líbero e com MBA em Informações Econômico-Financeiras e Mercado de Capitais pelo Instituto Educacional BM&FBovespa e UBS Escola de Negócios. Trabalhou nas principais redações de economia do país, como Bloomberg, Agência CMA, Agência Estado/Broadcast e Valor Econômico.
Altas e baixas

Magazine Luiza, Carrefour Brasil, Cosan e Vale: os destaques do Ibovespa nesta segunda-feira

O mercado reagiu bem ao balanço trimestral do Magazine Luiza, o que deu forças às ações ON da empresa (MGLU3). Por outro lado, os papéis ON da Cosan (CSAN3) caíram, em meio à cautela com as projeções da empresa para 2020

17 de fevereiro de 2020
15:48 - atualizado às 18:55
Lu do Magazine Luiza
Imagem: Facebook / Magazine Luiza

O cenário corporativo deu as cartas para o Ibovespa nesta segunda-feira (17), com diversas ações reagindo de maneira intensa às novidades no noticiário. Em destaque, aparecem os papéis do Magazine Luiza e da Cosan, em meio à divulgação de seus balanços trimestrais, e do Carrefour Brasil, após o anúncio de uma importante aquisição no fim de semana.

As ações ON do Magazine Luiza (MGLU3) fecharam em alta de 4,47%, a R$ 58,85, com os investidores reagindo positivamente aos resultados da varejista nos três últimos meses de 2019, divulgados nesta manhã.

Apesar de o lucro líquido do Magalu ter recuado 11% na base anual, totalizando R$ 168 milhões no quarto trimestre de 2019, o resultado consolidado do ano passado foi forte: os ganhos chegaram a R$ 921,8 milhões, alta de 54% em relação a 2018.

Em relatório, os analistas Luiz Guanais e Gabriel Savi, do BTG Pactual, elogiaram os resultados do Magazine Luiza, afirmando que os indicadores qualitativos do balanço reforçam a confiança no modelo multicanal de negócios desenvolvido pela empresa.

"Os números trimestrais surpreenderam positivamente", escreveram os analistas, destacando que, mesmo com a forte valorização dos últimos anos, as ações ON do Magazine Luiza continuam como 'top pick' no universo de cobertura do BTG no setor de varejo.

O BTG Pactual possui recomendação de compra para as ações do Magalu, com preço-alvo em 12 meses de R$ 44,00 — a cotação atual dos papéis, assim, já está muito acima das projeções do banco.

Cosan derrapa

Na ponta oposta do Ibovespa, as ações ON da Cosan (CSAN3) caíram 1,98%, a R$ 81,06, e apareceram entre as maiores as perdas do índice, também em meio à divulgação de seus resultados trimestrais. O problema, aqui, foram as projeções da companhia para 2020, que decepcionaram o mercado.

A companhia terminou o quarto trimestre com um lucro líquido de R$ 792,5 milhões, queda de 40,3% em relação ao mesmo período do ano anterior. No acumulado de 2019, os ganhos totalizaram R$ 2,4 bilhões, alta de 46,8% na base anual.

Segundo Regis Cardoso, analista do Credit Suisse, a divisão de combustíveis da Cosan apresentou um bom desempenho no trimestre, enquanto o setor de Energia ficou aquém das expectativas — assim, considerando o todo, o balanço da companhia ficou em linha com o esperado.

No entanto, o banco pondera que o guidance da Cosan para 2020 foi decepcionante, com uma projeção de Ebitda pró-forma entre R$ 5,9 bilhões e R$ 6,4 bilhões.

O Credit Suisse mostrou-se particularmente incomodado com a estimativa para a Raízen Combustíveis, com previsão de Ebitda entre R$ 2,8 bilhões e R$ 3 bilhões — Em 2019, a linha totalizou R$ 3,9 bilhões.

O banco possui recomendação neutra para as ações da Cosan, com preço-alvo em 12 meses de R$ 80,00 — a cotação atual, assim, já está muito próxima à estimativa do Credit Suisse.

Carrefour Brasil sob os holofotes

Voltando à ponta positiva, outra ação que despontou entre as maiores altas do dia foi Carrefour Brasil ON (CRFB3), com ganhos de 3,46%, a R$ 22,40. Neste fim de semana, a companhia anunciou a compra de 30 unidades do Makro, por R$ 1,95 bilhão — um movimento que fortalece sua divisão de "atacarejo".

As lojas adquiridas serão convertidas para a bandeira Atacadão, elevando a presença da marca em dois mercados estratégicos para o Carrefour Brasil: o Rio de Janeiro e o Nordeste.

Para Victor Saragiotto e Pedro Pinto, analistas do Credit Suisse, a operação tem um viés neutro: por um lado, há a importância estratégica para o Carrefour Brasil, mas, por outro, o valor pago pelas unidades do Makro inspira alguma cautela.

Já a equipe de análise do Itaú BBA, liderada pelo analista Thiago Macruz, tem uma percepção mais positiva a respeito da novidade, citando o baixo risco de competição interna — as lojas Makro adquiridas ficam fora do estado de São Paulo, onde o Atacadão é mais forte — e os ganhos financeiros decorrentes da transação.

Segundo o banco, a operação irá adicionar pouco mais de R$ 1 bilhão ao valor de mercado do Carrefour Brasil. "Recebemos bem o anúncio, mas ele reforça nossa percepção de que as oportunidades de crescimento orgânico estão ficando menos atraentes, e que fusões e aquisições podem aumentar".

O Credit Suisse possui recomendação neutra para as ações do Carrefour Brasil, com preço-alvo em 12 meses de R$ 22,50; o Itaú BBA tem recomendação 'outperform' (acima da média do mercado), com preço-alvo ao fim de 2020 de R$ 26,00.

Vale e CSN: otimismo com a China

Também entre as maiores altas do dia, Vale ON (VALE3) e CSN ON (CSNA3) avançaram 4,73% e 3,40%, respectivamente, em meio às notícias mais animadoras vindas da China, importante consumidor global de minério de ferro.

Mais cedo, o governo de Pequim anunciou medidas para estimular a economia local e neutralizar eventuais efeitos negativos gerados pelo surto de coronavírus. O banco central chinês cortou juros em sua linha de crédito de médio prazo e injetou cerca de US$ 43 bilhões no sistema bancário.

Essa postura das autoridades chinesas melhorou o humor dos investidores globais e deu um impulso ao preço do minério de ferro: a tonelada da commodity negociada no porto de Qingdao subiu 2,04% hoje, a US$ 90,48.

Top 5

Confira os cinco papéis de melhor desempenho do Ibovespa nesta segunda-feira:

  • Totvs ON (TOTS3): +7,75%
  • Marfrig ON (MRFG3): +7,64%
  • IRB ON (IRBR3): +5,63%
  • Vale ON (VALE3): +4,73%
  • Magazine Luiza ON (MGLU3): +4,47%

Saiba também quais foram as maiores baixas do índice:

  • BB Seguridade ON (BBSE3): -2,18%
  • Cosan ON (CSAN3): -1,98%
  • Klabin units (KLBN11): -1,78%
  • BR Malls ON (BRML3): -1,77%
  • Usiminas PNA (USIM5): -1,72%
Comentários
Leia também
Um self service diferente

Como ganhar uma ‘gorjeta’ da sua corretora

A Pi devolve o valor economizado com comissões de autônomos na forma de Pontos Pi. Você pode trocar pelo que quiser, inclusive, dinheiro

Arsenal contra o coronavírus

BC vai emprestar recursos a bancos cobrando Selic + 0,60% ao ano

Com potencial de liberação de até R$ 670 bilhões, Linha Temporária Especial de Liquidez é a medida de maior calibre dentro das anunciadas pelo BC nos esforços para fazer o dinheiro circular na economia em meio à crise do coronavírus

piora da economia

Produção de veículos em março tem menor volume em 16 anos

Segundo a Anfavea, foram 190 mil unidades produzidas, em soma que considera os segmentos de automóveis, comerciais leves, caminhões e ônibus

mudança de cenário

Comprar está melhor do que alugar um imóvel

Por muito tempo, a balança pendeu para o aluguel. Com a queda dos juros, a situação se inverteu

Tudo que vai mexer com seu dinheiro hoje

18 notícias para você começar o dia bem informado

Se você é um leitor assíduo do Seu Dinheiro, já sabe que os investimentos em ouro e dólar funcionam como ativos de proteção para cenários de estresse. O problema é que com a crise pegando forte, fica mais caro comprar ouro e dólar. É como comprar um guarda-chuva em dia de temporal. Certamente você vai […]

entrevista

‘Pandemia não pode virar uma farra fiscal’, diz Mansueto

Secretário do Tesouro antecipou que prepara uma mudança para que Estados não sejam punidos nas operações de empréstimos já analisadas

pessimismo no mercado

Mercado prevê queda de 1,18% do PIB e Selic a 3,25% em 2020

Projeção da semana passada era de um recuo de 0,48% do PIB e de Selic a 3,50%, segundo o Boletim Focus

medidas contra a crise

Compra direta de carteiras é aposta do BC contra ‘empoçamento’ de dinheiro

Compra direta de carteiras ou títulos já é utilizada por outros bancos centrais do mundo, como o Federal Reserve (Fed), dos Estados Unidos

desgaste

Embaixada da China repudia tuíte irônico de Weintraub: ‘cunho fortemente racista’

Ministro da Educação insinuou que a China vai sair “fortalecida” da crise atual causada pelo novo coronavírus

diante da crise

BTG Pactual aprova novo programa de recompra de ações

Decisão também cancelou, sem redução de capital social, 10,4 milhões de ações ordinárias e 20,9 ações preferenciais classe A mantidas em tesouraria, adquiridas em programa de recompra

Após redução de casos...

Itália prepara suspensão “gradual e controlada” das restrições

Uso generalizado de máscara, um rastreamento, a multiplicação dos testes de diagnóstico e a assistência especializada nos domicílios estão entre as medidas citadas pelo ministro da Saúde italiano, Roberto Speranza

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu
Advertisements