Menu
2020-10-27T17:24:21-03:00
Jasmine Olga
Jasmine Olga
Cursando jornalismo na Universidade de São Paulo (ECA-USP), já passou pelo Centro de Cidadania Fiscal (CCiF) e o setor de comunicação da Secretaria da Educação do Estado de São Paulo
Felipe Saturnino
Felipe Saturnino
Graduado em Jornalismo pela USP, passou pelas redações de Bloomberg e Estadão.
Mercados hoje

Ibovespa perde 100 mil pontos em meio à cautela externa; dólar sobe com risco político e juros fecham em alta

Presidente da Câmara, Rodrigo Maia, acusa base do governo de obstruir reformas, alimentando risco político. Bolsas americanas fecham mistas; por aqui, ações do Santander tombam e puxam bancos, e queda de Ambev e JBS também pesam

27 de outubro de 2020
10:33 - atualizado às 17:24
Selo Mercados AGORA Ibovespa dólar
Imagem: Montagem Andrei Morais / Shutterstock

O Ibovespa foi arrastado para uma queda forte nesta terça-feira (27), em meio à cautela externa com falta de estímulos e novos casos de covid-19, e, também, o fim da trégua política.

A temporada de balanços corporativos locais, para a qual os investidores têm mantido expectativas positivas que fizeram o índice retomar os 100 mil pontos na semana passada, começa a ganhar força no Brasil e no exterior, mas não conseguiu se sobrepor.

As bolsas americanas fecharam com sinais mistos às vésperas das eleições, na esteira da indefinição sobre o pacote de estímulos.

O índice S&P 500 terminou caindo 0,3%, e o Dow Jones, 0,8%, refletindo balanços negativos de duas empresas componentes do índice, a Caterpillar e a 3M. Enquanto isso, o Nasdaq é o único que fechou no azul hoje, subindo 0,64%, com ajuda de ações de big techs que divulgam seus balanços nesta semana.

Em meio a este cenário misto em Nova York, o principal índice da bolsa brasileira até abriu apontando para cima, mas se firmou no campo negativo — e afundou.

Por volta das 17h05, o índice opera em queda forte de 1,43%, aos 99.567,65 pontos. Na mínima do dia, caiu 1,59%, para 99.413,93 pontos.

O dólar começou o dia também instável, tendo marcado queda de 0,3% mais cedo na mínima, para R$ 5,6005. No mesmo horário, no entanto, a moeda americana avança 1,11%, a R$ 5,6767.

Uma fala de Rodrigo Maia, presidente da Câmara dos Deputados, por volta das 15h20 azedou o humor dos investidores financeiros: ele acusou a base do governo Jair Bolsonaro de obstruir o andamento das reformas, reabrindo a divisão política.

Vale lembrar que o clima doméstico também é recheado de espera, já que os investidores aguardam a decisão do Comitê de Política Monetária (Copom) sobre a taxa básica de juros, que será anunciada amanhã, em meio à alta da inflação como indicado pelo IPCA-15 de sexta, embalada pelos preços de alimentos.

A Selic se encontra em seu piso histórico no momento, em 2% ao ano. Hoje, os juros futuros subiram, reagindo à alta do dólar e ainda às incertezas fiscais. Confira as taxas dos principais vencimentos:

  • Janeiro/2021: de 1,96% para 1,95%
  • Janeiro/2022: de 3,39% para 3,44%
  • Janeiro/2023: de 4,84% para 4,93%
  • Janeiro/2025: de 6,57% para 6,67%

Santander arrasta bancos; Ambev, JBS e Petrobras também para baixo

O balanço do Santander local foi positivo, mas as ações têm queda forte de 4,7%, segunda maior baixa do Ibovespa.

O banco teve um lucro líquido gerencial de R$ 3,902 bilhões — uma alta de 82,7% se comparado ao trimestre anterior —, um valor muito acima da estimativa de mercado.

Os analistas que cobrem o banco, assim como o mercado, não questionam o quão positivo foram os números. No entanto, apresentam dúvidas sobre a sustentabilidade deles nos próximos trimestres.

Por isso, as ações dos bancos são arrastadas neste momento no índice: papéis ordinários (ON) e preferenciais (PN) do Bradesco caem 2,9% e 3%, e os PN do Itaú marcam perdas superiores 3%.

Os papéis ON de JBS caem 3,1%. Enquanto isso, os ON e PN de Petrobras também pesam, marcando quedas de 1,6% e 2,%, respectivamente. Ações ON da Ambev, outro peso-pesado da bolsa, também recuam fortemente, caindo 3,4% neste momento.

Os investidores também repercutem a nova aquisição anunciada pela Notre Dame Intermédica. As ações da empresa agora sobem 0,03%, enquanto as da Hapvida, do mesmo setor, têm ganhos de 0,4%.

Vale lembrar que o setor de saúde já havia se beneficiado ontem, após a mesma companhia anunciar uma outra aquisição.

Tanto Petrobras e Ambev são destaques de balanços nesta semana, já que divulgam seus resultados nos próximos dias.

Comentários
Leia também
Um self service diferente

Como ganhar uma ‘gorjeta’ da sua corretora

A Pi devolve o valor economizado com comissões de autônomos na forma de Pontos Pi. Você pode trocar pelo que quiser, inclusive, dinheiro

Tema do momento

Acionista do Carrefour, Abilio Diniz quer que a empresa se torne referência na luta contra o racismo

No evento online, o empresário também falou sobre o futuro do varejo e suas visões positivas para a economia brasileira

BOAS NOTÍCIAS

País tem saldo positivo recorde de vagas formais em outubro

Mercado de trabalho registra a abertura de 394.989 vagas em outubro, de acordo com Caged, superando projeções

Títulos públicos

Veja os preços e as taxas do Tesouro Direto nesta quinta-feira

Confira os preços e taxas de todos os títulos públicos disponíveis para compra e resgate

abrindo os negócios

Ibovespa abre em queda com desentendimento entre Guedes e Campos Neto; dólar e juros sobem com temor fiscal

Embate no seio da equipe econômica deixa investidores cautelosos. Mercados nos Estados Unidos ficam fechados por ocasião do Dia de Ação de Graças

DINHEIRO NO BOLSO

Smiles e Guararapes anunciam pagamento de JCP

Empresa de fidelidade vai pagar R$ 53,9 milhões, enquanto confecção vai repassar R$ 202,5 milhões aos acionistas

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu
Advertisements

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies