Menu
2020-04-27T18:39:06-03:00
Victor Aguiar
Victor Aguiar
Jornalista formado pela Faculdade Cásper Líbero e com MBA em Informações Econômico-Financeiras e Mercado de Capitais pelo Instituto Educacional BM&FBovespa e UBS Escola de Negócios. Trabalhou nas principais redações de economia do país, como Bloomberg, Agência CMA, Agência Estado/Broadcast e Valor Econômico.
Altas e baixas

Embraer, Via Varejo e Hypera: os destaques do Ibovespa nesta segunda-feira

As ações ON da Embraer lideraram as perdas do Ibovespa após o cancelamento da parceria entre a empresa brasileira e a Boeing. Os papéis da Via Varejo, por outro lado, subiram mais de 18%

27 de abril de 2020
15:26 - atualizado às 18:39
Embraer E195-E2
Aeronave Embraer modelo E195-E2. exposta no Salão Internacional de Aviação de 2019, na Rússia - Imagem: Shutterstock

Como era de se esperar, as ações ON da Embraer (EMBR3) apareceram entre os destaques da bolsa brasileira nesta segunda-feira (27), em meio ao cancelamento da parceria entre a empresa e a Boeing no setor de aviação comercial — e, mesmo após as fortes quedas da semana passada, os papéis da companhia continuaram afundando.

Os ativos da Embraer recuaram 7,49% hoje, a R$ 7,66, e apresentaram o pior desempenho de todo o Ibovespa nesta segunda-feira — o índice fechou em alta de 3,86%. Com a forte baixa de hoje, as ações da companhia já acumulam perdas de mais de 62% em 2020.

A operação entre Embraer e Boeing foi anunciada em 2018 — pelos termos originais do acerto, a empresa americana compraria 80% da divisão de aviação comercial da fabricante brasileira, por US$ 4,2 bilhões, numa negociação que se arrastou por muitos e muitos meses.

A negociação fazia sentido do ponto de vista estratégico para ambas as partes: a Embraer fabrica aviões de pequeno e médio porte, enquanto a Boeing tem foco nas aeronaves de grande capacidade. Juntas, elas conseguiriam atender a diferentes demandas das companhias aéreas globais e fariam frente à parceria firmada entre Airbus e Bombardier.

Só que, já na sexta-feira passada (24), começaram a surgir rumores de que as tratativas entre as partes não corriam bem — o que já fez as ações da Embraer despencarem mais de 10%. E, de fato, a Boeing confirmou o cancelamento da parceria no sábado pela manhã, afirmando que os brasileiros não cumpriram algumas pré-condições para a assinatura.

A Embraer, por outro lado, alega que a Boeing 'fabricou falsas alegações' para não cumprir com suas obrigações — a empresa americana vem sofrendo enorme pressão financeira, impactada pela crise do 737 Max e pela menor demanda global no setor aéreo por causa da pandemia de coronavírus.

Independente de quem esteja falando a verdade, fato é que a tão aguardada parceria não existe mais — e, após tanto tempo de expectativa, os investidores reagem negativamente ao cancelamento do acordo.

Em relatório, o analista Lucas Marquiori, do BTG Pactual, afirma que as perspectivas de curto prazo para a Embraer ficam mais turvas com o fim da parceria com a Boeing, considerando que toda a empresa já se organizava para uma realidade em que grande parte da divisão de aviação comercial seria vendida.

No entanto, o analista também pondera que as ações da Embraer já estão em níveis de preço bastante descontados — tanto o fim do acordo com a Boeing quanto o cenário de incertezas no setor aéreo já estariam mais que precificados. "O mercado, agora, irá reavaliar o valuation da Embraer enquanto uma empresa 'autônoma'".

Também em relatório, os analistas Myles Walton, Louis Raffetto e Emilee Deutchman, do UBS, ponderam que há a possibilidade de outras empresas se interessarem num potencial acordo com a Embraer — especialmente algum player da China que esteja interessado em ganhar terreno na indústria aérea global.

Via Varejo aposta no e-commerce

Na ponta oposta do Ibovespa, destaque para as ações ON da Via Varejo (VVAR3), em forte alta de 18,65%. Mais cedo, a companhia anunciou a compra da ASAPLog, uma empresa do setor de logística com foco no e-commerce.

A transação reforça a leitura de que a nova administração da Via Varejo está focada no desenvolvimento do comércio eletrônico, tentando recuperar o tempo perdido.

No passado, enquanto os rivais Magazine Luiza e B2W apostaram no e-commerce e obtiveram enorme sucesso na empreitada, a dona das Casas Bahia e do Ponto Frio ficou para trás, permanecendo focada num modelo de lojas físicas.

Em comunicado, a Via Varejo diz que a aquisição da ASAPLog é mais um passo importante no processo de transformação digital, dado o potencial de fortalecimento da malha logística — segundo a companhia, há a expectativa de redução de custos e do prazo de entrega das mercadorias vendidas on-line.

As ações do setor de varejo têm conseguido reportar bons desempenhos desde a semana passada, em meio à expectativa de reabertura gradual do comércio em São Paulo e outros grandes centros urbanos a partir de maio.

No acumulado de abril, os papéis da Via Varejo acumulam ganhos de mais de 46% — Magazine Luiza ON (MGLU3) avança 26%, B2W ON (BTOW3) tem alta de 56% e Lojas Americanas PN (LAME4) sobe 33%.

Lucro da Hypera em baixa

Voltando à ponta negativa, Hypera ON (HYPE3) recuou 2,27%. A empresa reportou lucro líquido de R$ 238,2 milhões, queda de 25,8% em relação ao mesmo período de 2019.

A receita líquida subiu 112,5% na mesma base de comparação, mas vale ressaltar que os três primeiros meses de 2019 foram marcados por diversos ajustes no balanço da empresa.

Em relatório, os analistas Luiz Guanais e Gabriel Savi, do BTG Pactual, destacam que a receita líquida ficou ligeiramente abaixo do projetado — eles ponderam que a Hypera tende a enfrentar pressão no curto prazo, mas que as recentes aquisições fortalecem o portfólio da companhia num horizonte mais longo.

Top 5

Veja abaixo as cinco ações de melhor desempenho do Ibovespa hoje:

CÓDIGONOMEPREÇO (R$)VARIAÇÃO
VVAR3Via Varejo ON7,57+18,65%
BRKM5Braskem PNA21,49+13,52%
BRFS3BRF ON20,56+10,84%
TOTS3Totvs ON58,44+10,06%
MRFG3Marfrig ON11,50+10,05%

Confira também as maiores baixas do índice:

CÓDIGONOMEPREÇO (R$)VARIAÇÃO
EMBR3Embraer ON7,66-7,49%
QUAL3Qualicorp ON25,05-2,45%
HYPE3Hypera ON29,33-2,27%
SMLS3Smiles ON13,90-0,36%
COGN3Cogna ON4,60-0,22%
Comentários
Leia também
CUIDADO COM OS ATRAVESSADORES

Onde está o seu iate?

Está na hora de tirar os intermediários do processo de investimento para deixar o dinheiro com os investidores

varejo online

B2W tem alta de 56% nas vendas e diminui prejuízo, que chega a R$ 43,8 milhões

Linha final do balanço é 57% melhor do que há um ano, enquanto mercado falava em prejuízo de R$ 60 milhões no terceiro trimestre; receita teve alta de 58,5% no período

cardápio de balanços

Suzano, Fleury e Totvs: os balanços que mexem com o mercado nesta sexta

São empresas cujas ações fazem parte da carteira teórica do Ibovespa – ou seja, os resultados das companhias ajudam a calibrar o índice

Sucessão no bancão

Milton Maluhy Filho será o novo presidente do Itaú Unibanco

Maluhy tem 44 anos e ingressou no Itaú em 2002. Após passar por diversas funções, o executivo ocupa o cargo de vice-presidente da área de riscos e finanças do maior banco privado brasileiro.

Big Techs

Resultados de Facebook, Google, Amazon, Twitter e Apple mexem com o mercado; veja números

Apesar dos resultados estarem bastante acima do esperado pelos analistas, as ações de algumas das gigantes caíram no pós-mercado em NY

Rombo

Governo Central tem déficit de R$ 76,1 bilhões em setembro

O resultado, que reúne as contas do Tesouro Nacional, Previdência Social e Banco Central, sucede o déficit de R$ 96,096 bilhões de agosto.

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu
Advertisements

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies