Menu
2020-10-07T11:03:31-03:00
Seu Dinheiro
Seu Dinheiro
AUTORIDADE MONETÁRIA

‘Ruído fiscal’ é responsável pela desvalorização do real, diz Campos Neto

Presidente do BC defende que controle das contas públicas é importante para garantir a imagem de credibilidade do Brasil no exterior

7 de outubro de 2020
9:21 - atualizado às 11:03
Roberto Campos Neto
O presidente do Banco Central, Roberto Campos Neto, em audiência pública na Comissão Mista de Orçamento da Câmara dos Deputados. - Imagem: Fabio Rodrigues Pozzebom/Agência

O presidente do Banco Central, Roberto Campos Neto, afirmou nesta quarta-feira (7) que um dos fatores para a perda de valor da moeda brasileira é o "ruído todo que vem do fiscal".

Em entrevista à rádio Jovem Pan, o responsável pela política monetária do País defendeu em vários momentos a ideia de que o controle fiscal é importante para garantir a imagem de credibilidade do Brasil no exterior.

"O Brasil tem capacidade enorme de se reinventar e crescer", afirmou. "O que nós precisamos é de credibilidade. Há estrangeiros que querem investir no País."



Ao analisar os movimentos mais recentes do câmbio no Brasil, Campos Neto lembrou que, com a queda da Selic (a taxa básica de juros), muitas empresas decidiram trocar dívidas no exterior por compromissos no Brasil.

Isso gerou um movimento de pagamento de dívidas em outros países - o que o BC vinha qualificando como "pré-pagamentos" -, o que contribuiu para elevar o dólar ante o real. Este fenômeno foi perceptível no segundo semestre de 2019.

Depois disso, conforme Campos Neto, surgiu um período em que todas as moedas de países emergentes se desvalorizaram, sendo que "o real um pouco mais".

O terceiro ponto citado por Campos Neto foi justamente a questão fiscal, que coloca em dúvida a sustentabilidade da dívida no longo prazo e acaba por impactar o câmbio. Em 2020, sob os efeitos da pandemia do novo coronavírus, o dólar à vista acumula uma alta de quase 40% ante o real.

Retomada

O presidente do Banco Central disse também que a retomada econômica após a crise provocada pela pandemia do novo coronavírus será feita "com tecnologia". Segundo ele, era importante acelerar no Brasil o processo tecnológico.

Em função disso, o BC optou por não adiar projetos importantes na área, como o lançamento do PIX – o sistema brasileiro de pagamentos instantâneos - e do open banking – o sistema de compartilhamento de informações bancárias de clientes. Ambos serão lançados neste fim de 2020.

"O PIX é um avanço importante", disse Campos Neto. "A pessoa passará a ter uma identidade digital."

Questionado sobre a possibilidade de o governo adotar um imposto que recaia sobre as transações financeiras, o que poderia englobar o PIX, Campos Neto lembrou que costuma evitar comentários sobre temas tributários. "Impostos sobre transações financeiras independem do PIX", afirmou.

Segundo ele, caso um tributo deste tipo seja adotado, ele iria incidir sobre quaisquer transações financeiras - e não apenas sobre as instantâneas.

* Com informações da Estadão Conteúdo

Comentários
Leia também
ENCRUZILHADA FINANCEIRA

Confissões de um investidor angustiado

Não vou mais me contentar com os ganhos ridículos que estou conseguindo hoje nas minhas aplicações. Bem que eu queria ter alguém extremamente qualificado – e sem conflito de interesses – para me ajudar a investir. Só que eu não tenho o patrimônio do Jorge Paulo Lemann. E agora?

Aviso aos caminhoneiros

Em meio a debates sobre alta do diesel, ANTT aumenta o frete em até 8,58%

Pela legislação, a ANTT tem de reajustar os valores do frete a cada seis meses ou quando a variação do preço do diesel for igual ou superior a 10%

Exile on Wall Street

Governo dos 100 dias

O período entre a fuga de Napoleão do exílio na Ilha de Elba em março de 1815 e sua derrota definitiva na batalha de Waterloo é bastante conhecido. Enquanto o Congresso de Viena tenta restabelecer a ordem e a monarquia na Europa depois das guerras napoleônicas, foi subitamente surpreendido pela aclamação de Napoleão, cujo objetivo […]

MERCADOS HOJE

Ibovespa opera em queda com repercussão do PIB e novas mudanças na Petrobras

A votação da PEC emergencial e a divulgação do livro bege ficaram para tarde, o que não deve afetar a bolsa, por enquanto, nesta manhã

Varejista avança

Com nova aquisição, Magazine Luiza quer virar o seu supermercado digital

A empresa fechou a compra da VipCommerce, uma plataforma que permite a supermercados e atacarejos venderem online usando suas próprias marcas

Controle do orçamento

Líderes do Senado querem tirar Bolsa Família do teto

Os senadores pegaram carona na ideia e concordaram em ampliar a sugestão para tirar o Bolsa Família do teto de gastos

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies