Menu
2019-08-07T18:35:49-03:00
Eduardo Campos
Eduardo Campos
Jornalista formado pela Universidade Metodista de São Paulo e Master In Business Economics (Ceabe) pela FGV. Cobre mercado financeiro desde 2003, com passagens pelo InvestNews/Gazeta Mercantil e Valor Econômico cobrindo mercados de juros, câmbio e bolsa de valores. Há 6 anos em Brasília, cobre Banco Central e Ministério da Fazenda.
Gestoras

Fundo Verde volta a aumentar posição em bolsa

Em carta aos cotistas, gestora de Luis Stuhlberger também demonstra preocupação com os fantasmas da guerra comercial global

7 de agosto de 2019
18:35

A carta de gestão do Fundo Verde, de Luis Stuhlberger, referente ao mês de julho veio bem mais enxuta em comparação com a do mês anterior, quando foram dedicadas algumas páginas a justificar postura positiva com o Brasil, de uma casa conhecida pela cautela. Mas a mensagem principal, que vem sendo construída desde maio, é esta: “o fundo voltou a aumentar sua posição em ações brasileiras”.

Ainda na parte de estratégia, o Verde afirma que a posição vendida em bolsa global via opções foi incrementada, como hedge (proteção) do portfólio. A posição aplicada em juro real foi parcialmente alongada e foi mantida a posição tomada em inclinação de juros nos EUA.

A carta é referente ao mês de julho, quanto o fundo rendeu 0,44%, contra 0,57% do CDI, mas há um comentário sobre esses primeiros dias de agosto que “reavivaram os fantasmas da guerra comercial global, com o presidente Trump impondo nova rodada de tarifas na China, e os chineses respondendo com desvalorização do Renminbi”.

“Embora bastante positivos com as perspectivas para a economia brasileira, esse recrudescimento nos preocupa na medida em que põe em risco o crescimento global. Na margem, também aumenta a probabilidade de mais acomodação monetária por parte dos Bancos Centrais”, diz o documento.

Ainda de acordo com o Verde, a aprovação da reforma da Previdência em primeiro turno “foi melhor do que o mais otimista dos prognósticos” e coloca o país em trajetória fiscal mais saudável, permitindo taxas de juros estruturalmente mais baixas. O primeiro sinal desse quadro foi o corte de meio ponto na Selic, para 6% ao ano, pelo Comitê de Política Monetária (Copom).

Além disso, o Verde destaca que até o fim de julho, o mercado brasileiro passava pelo processo de digerir mais de R$ 24 bilhões de reais em ofertas de ações, “com uma acomodação bastante saudável dos preços”.

Em tempo, no acumulado de 2019 até julho o fundo tem rendimento de 8,6%, contra 3,66% do CDI.

Comentários
Leia também
OS MELHORES INVESTIMENTOS NA PRATELEIRA

Garimpei a Pi toda e encontrei ouro

Escolhi dois produtos de renda fixa para aplicar em curto prazo e dois para investimentos mais duradouros. Você vai ver na prática – e com a translucidez da matemática – como seu dinheiro pode render mais do que nas aplicações similares dos bancos tradicionais.

mercado de ações

A B3 vai ter concorrência, mas não hoje: os riscos e oportunidades dos desafiantes ao monopólio da bolsa brasileira

Autorização para a empresa Mark2Market operar como central depositária de títulos volta a esquentar debate sobre atuação da B3, mas mercado vê quebra de monopólio improvável no curto prazo

Triste marca

Brasil registra mais de 500 mil mortos por covid-19

Em 24 horas foram 2.301 óbitos e 82.288 novos casos. Em nota, Conass ressalta que o Brasil tem 2,7% da população mundial, e é responsável por 12,8% das mortes

Here comes the sun

Energia solar ruma para liderança no País até 2050

O sol será responsável por 32% da geração, ao mesmo tempo em que a participação das hidrelétricas deve cair para cerca de 30%

ESTRADA DO FUTURO

Os três setores mais lucrativos em tecnologia, e por que você deve investir neles

Integração entre softwares e Inteligência Artificial são dois dos segmentos que devem fazer parte de qualquer portfólio de investimentos vencedor

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies