Menu
2019-10-14T14:12:14-03:00
Líder da negociação

Maia diz saber onde está ‘problema político’ de cada reforma tributária

Presidente da Câmara também disse não saber qual das reformas que estão na mesa é tecnicamente melhor

16 de agosto de 2019
14:20 - atualizado às 14:12
Rodrigo Maia
Presidente da Câmara, Rodrigo Maia - Imagem: Luis Macedo/Câmara dos Deputados

O presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ), disse nesta sexta-feira, 16, que não sabe qual das reformas tributárias que estão na mesa é tecnicamente melhor, mas sabe "onde está o problema político de cada uma".

Hoje, além da PEC 45, de autoria do deputado federal Baleia Rossi (MDB-SP), há uma proposta no Senado, de autoria do ex-deputado Luiz Carlos Hauly, um texto sendo idealizado pelo governo e outro pelo Instituto Brasil 200.

Durante evento do Lide, Maia afirmou, por exemplo, acreditar que a retomada de um tributo similar à CPMF "não tem voto" no Legislativo.

Quer nossas melhores dicas de investimentos de graça em seu e-mail? Cadastre-se agora em nossa newsletter
Quer nossas melhores dicas de investimentos de graça em seu e-mail? Cadastre-se agora em nossa newsletter

Tanto a proposta do governo quanto a do Brasil 200 preveem a criação desse imposto sobre pagamentos. Maia afirmou, no entanto, que o Legislativo pode tentar discutir o assunto.

"O governo pensa numa CPMF, o presidente Bolsonaro é contra. Temos muita dificuldade com a CPMF, mas não temos problema em fazer o debate", comentou.

Ele afirmou que a proposta do governo é muito parecida com a PEC 45, defendida pela Câmara. E disse que aguardará o envio do texto pela Receita Federal para agilizar a tramitação e permitir que a proposta seja apensada à PEC 45.

"Se governo encaminhar semana que vem, vamos para CCJ, botar relator e votar na outra semana, aprovar admissibilidade. Posso apensar proposta do governo à do Baleia e reabro prazo para emendas. Estamos com urgência mas a urgência não pode atropelar o bom debate e bom texto", completou, completando: "Como expectativa é ter texto pronto para outubro, acho que se abrir o prazo novamente para novas emendas, a gente dá solução."

Ele disse ainda esperar o encaminhamento do projeto de lei, por parte do governo, que altera regras do Imposto de Renda. Segundo ele, mesmo não sendo necessária uma PEC para isso, pretende fazer com que a proposta para os impostos sobre o consumo e sobre a renda caminhem juntas.

Maia afirmou que será necessário avaliar qual proposta gera "menor dano" para os diversos setores da economia. Questionado, ele disse que o texto que irá para frente será o que obtiver maioria ao longo do processo legislativo, que naturalmente ganhará mais força ante os outros.

Ele destacou esperar construir uma maioria ainda maior para a tributária do que para a Previdência, com um processo menos custoso. E brincou: "Espero que a reforma não me dê 10 quilos como a Previdência."

Faxina nas contas da Câmara

O presidente da Câmara voltou a dizer que espera que o Executivo encaminhe em breve o próprio texto de reforma administrativa. Ele ressaltou que a Câmara já iniciou o próprio processo - na quinta-feira, a Casa assinou um convênio nesse sentido - e pretende rever carreiras e revisar para baixo o salário inicial dos funcionários, além de fazer mudanças no processo legislativo, taxado como "confuso" por Maia.

"Queremos construir uma nova estrutura administrativa para a Câmara. Isso sinaliza que, quando o governo mandar a dele, vai ter todo o apoio da Câmara", disse Maia.

E completou: "Hoje temos uma estrutura em que carreiras do Legislativo têm um salário médio alto em relação à sociedade. As carreiras mais importantes da Câmara, num prazo muito curto, já estão no teto, o que desestimula competição e eficiência, não há esse estímulo em nenhum dos três poderes hoje. A Câmara custa muito."

*Com Estadão Conteúdo.

Comentários
Leia também
A REVOLUÇÃO 3.0 DOS INVESTIMENTOS

App da Pi

Aplique de forma simples, transparente e segura

no roda viva

‘Não tenho esse tipo de pretensão’, diz Moro sobre 2022

Pesquisa Datafolha divulgada em janeiro indica que o ministro da Justiça é conhecido por 93% dos brasileiros e aprovado por 53%

UM PLANO DE INVESTIMENTOS

Já pensou em se aposentar aos 40 anos e viver de renda?

Esse conteúdo é para quem não está disposto a esperar até os 65 anos para se aposentar

Tudo que vai mexer com seu dinheiro hoje

12 notícias para você começar o dia bem informado

Antes de apresentar os destaques de hoje, quero te dar um recado. Ontem o Seu Dinheiro lançou um projeto feito a pedido dos leitores. É um plano para te ajudar a antecipar a sua aposentadoria e juntar dinheiro suficiente para viver de renda. Além de aprender a investir nas diferentes fases da vida, você receberá uma […]

matemática da mudança

Iluminação pública sob iniciativa privada pode economizar R$ 39 bilhões

Apenas para modernizar, ou seja, trocar todos os pontos de luz, operadores privados poderiam movimentar investimento total entre R$ 10,2 bilhões e R$ 11,7 bilhões, nas contas da consultoria Houer

Novo líder

Carne desbanca tomate do posto de vilão dos preços

Grande importação de proteína animal feita pela China por causa da peste suína africana que dizimou os plantéis do país asiático fez a cotação da arroba do boi gordo atingir o pico histórico no fim do ano passado

clima de otimismo

CEOs brasileiros apostam em receita maior em 2020

Segundo a pesquisa anual da consultoria PwC, 78% dos executivos dizem esperar crescimento de receita neste ano

o que mexe com os negócios hoje?

Mercados reagem e ficam no vermelho após aumento de casos do coronavírus na China

O Fórum Econômico Mundial de Davos fica em primeiro plano em dia de agenda esvaziada

tensão na ásia

China e países próximos adotam medidas diante da nova pneumonia

Governo revelou que novo tipo de coronavírus, que causa infeções respiratórias em seres humanos e animais, é transmissível entre seres humanos

dinheiro que entra

Positivo anuncia oferta de ações que pode movimentar R$ 521 milhões

Recursos serão usados para o crescimento de contratos com instituições públicas e expansão do negócio Positivo as a Service e de outras avenidas de crescimento

em davos

Trump vai mencionar crescimento econômico e China em discurso, diz secretário

Para Steven Mnuchin, acordo comercial “de fase 1” criará “enormes oportunidades” para empresas e trabalhadores americanos, mas segunda fase do pacto pode não ser um “Big Bang”

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu
Advertisements