Menu
2019-05-02T16:16:04-03:00
Definindo as pautas

Previdência é prioridade do governo e da Câmara, diz Maia

Presidente da Câmara afirmou que a reforma é necessária para colocar fim a um ciclo de subsídios que agora dá sinais de esgotamento

15 de abril de 2019
17:21 - atualizado às 16:16
Rodrigo Maia
Rodrigo Maia - Imagem: André Dusek/Estadão Conteúdo

O presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ), disse nesta segunda-feira, 15, que a reforma da Previdência é a agenda prioritária do governo federal e também da Câmara.

Maia participa do Fórum Veja Exame 100 dias de governo, que o Grupo Abril realiza hoje em São Paulo. "A reforma da Previdência é um agenda prioritária do governo e, do meu ponto de vista, da Câmara também", comentou.

Quer nossas melhores dicas de investimentos de graça em seu e-mail? Cadastre-se agora em nossa newsletter
Quer nossas melhores dicas de investimentos de graça em seu e-mail? Cadastre-se agora em nossa newsletter

De acordo com Maia, a reforma da Previdência se faz necessária porque após 30 anos da Constituição Federal de 1988 iniciou-se no Brasil um ciclo de subsídios que agora dá sinais de esgotamento.

Junto a isso, segundo Maia, o governo perdeu sua capacidade de atender às demandas sociais. Agora, inicia-se um novo ciclo com a eleição de um governo mais à direita. Movimentos como o que levou à eleição de Bolsonaro no Brasil, sob um desejo generalizado de mudanças, gera rupturas.

Esta ruptura, de acordo com o deputado não é diferente das que ocorreram nos Estados Unidos com a eleição de Trump e na Europa com o Brexit.

"O que a gente tenta agora é compreender qual é a agenda da direita para o Brasil. Para mim é colocar a agenda da organização fiscal, onde as despesas não correspondem mais às demandas do povo. Tanto que a agenda dos Estados e dos municípios em Brasília é descobrir fontes de recursos", disse Maia.

Para o presidente da Câmara, o principal ponto a ser combatido é o equilíbrio das contas previdenciárias que chegam a R$ 300 bilhões.

Economia fiscal

Maia afirmou que confia na aprovação da admissibilidade da reforma da Previdência na Comissão de Constituição de Justiça (CCJ). O parlamentar acredita que é grande a chance de aprovação da proposta no Congresso e diz ter certeza que a economia fiscal em 10 anos, se não for de cerca de R$ 1 trilhão como na proposta original, ficará próxima do que espera o ministro da Economia, Paulo Guedes.

Para Maia, é preciso entender a reforma da Previdência como uma medida importante para o Brasil, e não o governo afirmar que está enviando para o Congresso a reforma porque está sendo obrigado.

Ele evitou dar uma nota aos 100 dias do governo Bolsonaro, porque não quer parecer que está contra ou a favor. No entanto, ele ressaltou que foram "100 dias com turbulência, mas que o avião passou pela turbulência".

O presidente da Câmara lembrou que o País passa por transformações políticas e que, portanto, a dificuldade inicial é compreensível. "Todas essas transformações geram um conflito num primeiro momento, de debates, não é só no Brasil, esses movimentos geram alguma ruptura no sistema. Na verdade, não chega a ser uma ruptura, é uma nova construção", disse.

Reforma tributária

Maia disse ainda que a admissibilidade da reforma tributária deverá ser aprovada nas próximas semanas. Afirmou que existe na casa uma proposta de reforma tributária de referência, baseada nas propostas do ex-deputado Luiz Carlos Hauly e do economista Bernard Appy. "Vamos aprovar a admissibilidade da reforma tributária nas próximas semanas", reiterou.

Comentários
Leia também
ENCRUZILHADA FINANCEIRA

Confissões de um investidor angustiado

Não vou mais me contentar com os ganhos ridículos que estou conseguindo hoje nas minhas aplicações. Bem que eu queria ter alguém extremamente qualificado – e sem conflito de interesses – para me ajudar a investir. Só que eu não tenho o patrimônio do Jorge Paulo Lemann. E agora?

CORONAVÍRUS

Xi Jinping alerta para a ‘grave situação’ criada pela disseminação ‘acelerada’ do novo coronavírus

Até agora, as autoridades disseram que a doença já infectou mais de 1.300 pessoas e matou 41. Mas a Comissão Nacional de Saúde anunciou que 237 pacientes estão em condições graves

ECONOMIA

‘Recessão profunda torna retomada lenta’, diz economista do Insper

“Um ponto a se considerar é que, somando com os resultados de 2018, já são quase 1,2 milhão de empregos desde a crise. O mercado de trabalho demorou para responder, porque a recessão foi muito profunda, mas está respondendo”, falou Sergio Fripo

AINDA SOBRE A 'CAIXA-PRETA'

TCU dá 20 dias para BNDES explicar auditoria milionária da ‘caixa-preta’

Após um ano e dez meses focado em oito operações com as empresas JBS, Bertin, Eldorado Brasil Celulose, a auditoria não apontou nenhuma irregularidade

DE OLHO NA VALE

Vale paga multas ao governo mineiro, mas questiona cobranças do Ibama

De acordo com dados da Semad, foram aplicados até o momento 11 autos de infração em decorrência do rompimento da barragem no dia 25 de janeiro de 2019

OLHO NAS STARTUPS

Volume de aportes em startups do País cresce 80% e atinge US$ 2,7 bi em 2019

O número de aportes, por sua vez, cresceu 8,3% na comparação com 2018, mas não bateu recordes – em 2017, foram 263 investimentos no País, mas com valor individual menor, totalizando US$ 905 milhões

ACORDOS

Bolsonaro assina 15 acordos com a Índia e fala que comércio poderá superar US$ 50 bilhões até 2022

O principal acordo assinado é o de cooperação e facilitação de investimentos (ACFI), segundo o jornal Folha de S.Paulo

MAIS LIDAS DO SEU DINHEIRO

MAIS LIDAS: O sonho da aposentadoria rápida

Caro leitor, O que te assusta mais: o coronavírus ou a fila do INSS? Não tenho dúvidas de que a nova doença foi o assunto da semana no mundo todo, mas o desejo de se aposentar rápido – e sem depender do governo – foi o que bombou aqui no Seu Dinheiro.  O projeto Aposente-se aos […]

DE OLHO NA TECNOLOGIA

Toyota investe US$ 394 milhões em companhia de táxi aéreo elétrico, Joby Aviation

Parecida a um drone, a aeronave tem capacidade para quatro passageiros mais o piloto, possui seis hélices, um alcance de 150 milhas (aproximadamente 240 km) e pode voar até 200 milhas por hora (cerca de 320 km/h)

POLÍTICA

Em Davos, Doria se ‘afasta’ de Bolsonaro

Nesses 12 meses de intervalo, o clima entre os dois não apenas esfriou como houve troca de farpas tendo como pano de fundo o cenário político de 2022

EMPREGO

Em 1º ano, Bolsonaro gera mais vagas que Temer, mas fica atrás de Lula e Dilma

Com a economia ganhando tração a partir do segundo semestre do ano passado, o Caged registrou saldo positivo de 644.079 vagas com carteira assinada em 2019

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu
Advertisements