Menu
2019-04-04T15:57:25-03:00
Seu Dinheiro
Seu Dinheiro
Será que vai?

Presidente da CCJ quer definir relator da Previdência ainda nesta semana

Ideia de Felipe Francischini é bater o martelo com o ministro da Economia, Paulo Guedes, o ministro da Casa Civil, Onyx Lorenzoni, e o secretário da Previdência, Rogério Marinho

26 de março de 2019
17:51 - atualizado às 15:57
Felipe Francischini, presidente da CCJ
Imagem: Pablo Valadares/Câmara dos Deputados

O presidente da Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) da Câmara dos Deputados, Felipe Francischini (PSL-PR), disse nesta terça-feira, 26, que deve indicar o relator da reforma da Previdência na comissão ainda nesta semana.

Ele disse que tentará realizar uma reunião ainda nesta terça com o ministro da Economia, Paulo Guedes, o ministro da Casa Civil, Onyx Lorenzoni, e o secretário especial de Previdência e Trabalho, Rogério Marinho, para bater o martelo sobre o nome. "Mas a questão da relatoria cabe a mim", enfatizou. "Um relator do PSL é uma das possibilidades", adiantou.

A CCJ aprovou nesta tarde um novo acordo para a ida de Guedes à comissão no dia 3 de abril - quarta-feira da próxima semana. Segundo Francischini, a justificativa de Guedes para não ir nesta terça ao Congresso porque ainda não há um relator designado "pegou mal".

"Pegou mal a nota redigida pelo Ministério da Economia, não foi a forma correta de fundamentação. Essa questão de não vir devido à falta de um relator não foi construída comigo", acrescentou o deputado. "Não há rusga nenhuma, não vou entrar em atrito com ninguém", completou.

O presidente da CCJ disse ainda que havia combinado em um almoço na última sexta-feira com Onyx que o relator da reforma na comissão seria escolhido nesta semana após "fatos políticos que tornassem o ambiente mais favorável", nas palavras dele. Francischini ainda cobrou do governo uma unidade maior de discurso em torno da defesa da reforma. "Algumas correntes do governo não estão alinhadas politicamente. Temos visto isso em entrevistas: uma pessoa diz algo e outra diz o contrário. É preciso haver uma uniformidade", completou.

Francischini criticou o que classificou de "falta de uniformização no discurso sobre a Previdência", tanto no governo quanto na base aliada no Congresso Nacional. "Há correntes no governo que não estão alinhadas no discurso da reforma", afirmou.

"Falta, para acabar com os atritos, ter uniformidade no posicionamento do governo", afirmou Francischini. Ele afirmou que deve ter entre esta terça e quarta-feira uma reunião com os ministros Paulo Guedes (Economia) e Onyx Lorenzoni (Casa Civil) e com o secretário especial de Previdência e Trabalho, Rogério Marinho, para alinhar os ponteiros e definir o relator da reforma na comissão.

Apesar dos atritos, Francischini disse que "com uma construção básica" ainda é possível aprovar a reforma na Câmara no primeiro semestre deste ano. "O que atrapalhou muito foram os atritos na semana passada entre os Poderes e também (atritos) internos na Casa", disse.

Ele avaliou, porém, que é difícil, aprovar a proposta também no Senado ainda no primeiro semestre. Segundo o presidente da CCJ, o mais provável é que os senadores apreciem a matéria no início do segundo semestre.

*Com Estadão Conteúdo.

Comentários
Leia também
INVISTA COMO UM MILIONÁRIO

Sirva-se no banquete de investimentos dos ricaços

Você sabe como ter acesso aos craques que montam as carteiras dos ricaços com aplicações mínimas de R$ 30? A Pi nasceu para colocar esses bons investimentos ao seu alcance

APRENDENDO COM O PROFESSOR BESSEMBINDER

O clube dos 900%: o que você pode aprender com os maiores casos de geração de riqueza da Bolsa americana

Empresas quebrando são mais frequentes que empresas dominando o mundo em algumas décadas. Mas poucos acertos podem rechear a sua carteira e garantir sua aposentadoria precoce.

Entrevista

‘Desemprego alto e déficit público nos deixam cautelosos’, diz presidente da Whirlpool

CEO da fabricante das marcas Consul e Brastemp diz estar cauteloso para investir em produção e em relação à sustentabilidade da demanda, por conta de desemprego e da situação fiscal

Mercadores da noite

Bolsa, dólar e juros subindo: qual dos três está mentindo?

Quando a Bolsa, o dólar e as taxas de juros estão subindo ao mesmo tempo, um dos três está mentindo – qual deles será e o que fazer?

Infraestrutura

Novo marco legal para ferrovias vai a votação no Senado na próxima semana

Legislação promete organizar regras do setor e permitir novos formatos para a atração de investimentos privados

Telecomunicações

Operadoras cobram transparência do governo na definição da tecnologia 5G

Teles se dizem preocupadas com as “incertezas” relativas ao processo, depois de governo sinalizar banimento da chinesa Huawei

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu
Advertisements

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies