Menu
2019-04-04T09:47:59-03:00
Seu Dinheiro
Seu Dinheiro
mudanças na previdência

Executivo e Legislativo devem governar juntos para que reforma seja aprovada até junho, diz Maia

Em entrevista, o presidente da Câmara destacou que o governo precisa melhorar sua comunicação não só com os parlamentares, mas também com a sociedade para garantir a maioria necessária para aprovação

1 de março de 2019
8:17 - atualizado às 9:47
guedes-maia
O presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia, e o ministro da Economia, Paulo Guedes - Imagem: Valter Campanato/Agência Brasil

O presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), comentou nesta quinta-feira, 28, o prazo para a aprovação da reforma da Previdência pretendido pela equipe do presidente Jair Bolsonaro. Para Maia, a aprovação até junho "é possível" se o Executivo der sinais claros aos parlamentares de que governará de forma conjunta com o Legislativo. As declarações foram dadas em entrevista à jornalista Miriam Leitão, na Globonews.

Embora reconheça uma evolução na comunicação entre os dois poderes, Maia alerta para a necessidade de melhora na área para construir um ambiente "maior" que a reforma da Previdência. Para o presidente da câmara, já é possível enxergar o ministro-chefe da Casa Civil Onyx Lorenzoni como articulador central com o poder Legislativo e ressaltou a importância de uma referência."Não é a velha nem a nova política, é a política que vai resolver os problemas do Brasil", acrescentou.

Para conseguir construir a maioria para aprovar a reforma na Câmara, Maia destacou que o governo precisa melhorar sua comunicação não só com os parlamentares, mas também com a sociedade. "Tem que saber enfrentar falsas informações, elas contaminam e continuarão contaminando (a discussão)", disse. "Esse período do Carnaval vai ser importante, porque sai todo mundo de cena e ficam só as redes sociais contaminando de forma negativa".

Mudanças para os militares

Rodrigo Maia acredita que o momento atual não é o melhor para tratar da reavaliação da carreira e da recomposição salarial dos militares, uma vez que essa não seria uma "boa sinalização" à sociedade. "[Fazer isso] junto, vai parecer o seguinte: você que está tirando de uns e está dando a outros. Fica um discurso meio desorganizado".

Na opinião de Maia, o governo criou um risco desnecessário à aprovação do projeto ao incluir a proposta do benefício pago a idosos pobres (Benefício de Prestação Continuada, ou BPC).  Para Maia, além do item ser um dos mais polêmicos da reforma, a medida teria pouco impacto fiscal. "O BPC não é o embate real. O embate real são a regra de transição e as alíquotas progressivas".

O presidente da Câmara ainda afirmou que "o DEM não é governo" porque Bolsonaro "fez escolhas pessoais" para os cargos de ministro que foram dados ao partido e que não há sentimento ruim entre ele e Lorenzoni após o ministro ter interferido na eleição ao comando da Câmara. "Quem ganha a eleição tem que saber construir aliados, e não dividir a governabilidade da Câmara", disse.

Em relação à Venezuela, Rodrigo Maia avaliou que o Brasil está sendo "usado" pelos Estados Unidos em uma ação humanitária que inevitavelmente resultaria em conflito. "O Brasil não pode ser nunca um instrumento dos americanos para se ampliar o conflito e, através do conflito, construir uma solução".

*Com informações do Estadão Conteúdo

Comentários
Leia também
UMA OPÇÃO PARA SUA RESERVA DE EMERGÊNCIA

Um ‘Tesouro Direto’ melhor que o Tesouro Direto

Você sabia que existe outro jeito de investir a partir de R$ 30 em títulos públicos e com um retorno maior? Fiz as contas e te mostro o caminho

seu dinheiro na sua noite

O IPO da Caixa Seguridade vem aí; vale a pena entrar?

Depois de algumas idas e vindas, o já mítico IPO da Caixa Seguridade finalmente vai sair. O processo de abertura de capital da holding de seguros da Caixa Econômica Federal foi paralisado duas vezes no ano passado, mas finalmente será concluído na semana que vem, com a estreia das ações na bolsa. O IPO da […]

plano do ipo

Espaçolaser compra lojas franqueadas em GO e PR por R$ 35,6 milhões

Rede de depilação já detinha opção de compra; no início do mês, companhia anunciou aquisição de outras 18 lojas

FECHAMENTO

Bolsa, dólar e juros terminam o dia no vermelho com repercussão do Orçamento e novo plano Biden

Plano de Biden de aumentar impostos não agradou o mercado e a perspectiva de nova injeção de estímulos puxou para baixo o dólar. Já os juros futuros recuaram de olho na sanção do Orçamento

dança das cadeiras

Carrefour muda alto escalão, em processo de integração com Grupo BIG

Sébastien Durchon deixa o cargo de vice-presidente de finanças e de relações com investidores; executivo ficará à frente do processo de integração com a companhia adquirida

Concorrência pesa

Lucro líquido da Intel despenca 41% no 1º trimestre

Apesar do resultado negativo, a receita da companhia caiu apenas 1% na comparação com os primeiros três meses do ano passado

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies