Menu
2019-03-26T19:39:44-03:00
Seu Dinheiro
Seu Dinheiro
Preparando o terreno

Mourão defende mudanças no BPC e prega “clareza, determinação e paciência” para negociar reforma da Previdência

Vice-presidente defendeu a pauta de reformas e disse saber das “angústias e dúvidas” sobre o projeto que está no Congresso

26 de março de 2019
18:42 - atualizado às 19:39
Hamilton Mourão
Vice-presidente Hamilton Mourão - Imagem: Wilton Junior/Estadão Conteúdo

Em meio à crise do governo com o Congresso, o vice-presidente Hamilton Mourão defendeu, nesta terça-feira, 26, clareza, determinação e paciência para negociar a aprovação da reforma da Previdência.

Em uma rápida declaração à imprensa antes de participar de uma reunião da Fiesp na capital paulista, Mourão disse que é preciso conduzir reformas que interessam ao País e declarou saber das "angústias e dúvidas" que estão sendo levantadas sobre a proposta do governo para o sistema de aposentadoria.

"É preciso clareza em termos de convencer os nossos parlamentares e, mais do que eles, a nossa população, determinação de levar isso à frente e paciência para negociar tudo aquilo que tiver de ser negociado", afirmou o vice-presidente ao lado do presidente da Fiesp, Paulo Skaf.

BPC tem que mudar

Enquanto líderes no Congresso defendem retirar da reforma da Previdência as mudanças no Benefício de Prestação Continuada (BPC), Mourão afirmou que é impossível sustentar o benefício nas regras atuais.

"Temos que olhar isso, não há mais como sustentar isso aí", declarou Mourão, lembrando que o pagamento do BPC foi regulamentado para ser pago a idosos a partir de 70 anos e que a idade foi diminuindo para 67 e depois para 65. Para o vice-presidente, a atual regra incentiva pessoas a não contribuírem por saberem que vão receber um salário mínimo a partir desse período da vida.

Salário mínimo

Além de defender mudanças no BPC, o vice de Bolsonaro declarou que é necessário "lidar com aquilo que chamamos de vacas sagradas", fazendo uma crítica à regra de reajustar o salário mínimo pela inflação e o crescimento do PIB - legislação que precisará ser revista pelo governo. Para o vice, essas "vacas sagradas "são até hoje responsáveis por muitos dos nossos problemas" porque o salário não seria, na opinião dele, realmente "mínimo".

*Com Estadão Conteúdo.

Comentários
Leia também
CUIDADO COM OS ATRAVESSADORES

Onde está o seu iate?

Está na hora de tirar os intermediários do processo de investimento para deixar o dinheiro com os investidores

Novo competidor

Grupo catarinense que fatura R$ 8,8 bi vai abrir 1º atacarejo no estado de SP

O Grupo Pereira vai abrir uma unidade da Fort Atacadista, sua bandeira de atacarejo, na cidade de Jundiaí; forte competição em SP é desafio

Tensão em Brasília

Racha no Congresso põe reformas em xeque

A decisão do presidente da Câmara, Arthur Lira (PP-AL), de fatiar a reforma tributária foi vista como a pá de cal nas chances de avanço das reformas no Congresso até o fim do atual governo. Embora Lira tenha prometido abrir o diálogo com o presidente do Senado, Rodrigo Pacheco (DEM-MG), para definir os próximos passos, […]

Rapidinhas da semana

BLINK: Itaúsa, B2W, Eletrobras e mais recomendações rápidas

Felipe Miranda, sócio-fundador e CIO da Empiricus, fala sobre Alpargatas, Eletrobras, Itaúsa, Lojas Americanas e muito mais no Blink

Reserva de emergência

Jeff Bezos, o homem mais rico do mundo, vende ações da Amazon e põe US$ 5 bi na conta

O bilionário Jeff Bezos vendeu cerca de 1,5 milhão de ações da Amazon nos últimos dias e pode vender outros 500 mil papéis em breve

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies