Menu
2019-04-05T14:22:41-03:00
Estadão Conteúdo
Pegou mal no Congresso

Governo errou ao dar tratamento diferenciado a militares, diz líder do PSL na Câmara

Delegado Waldir fez duras críticas sobre o projeto que reestrutura as carreiras das Forças Armadas

21 de março de 2019
18:38 - atualizado às 14:22
Delegado Waldir, PSL
Imagem: Cleia Viana/Câmara dos Deputados

O líder do PSL na Câmara, Delegado Waldir (GO), voltou a criticar duramente o projeto de lei enviado pelo governo ao Congresso que trata da reestruturação das carreiras das Forças Armadas e da aposentadoria dos militares. Para ele, o governo errou ao dar tratamento diferenciado a uma categoria e acabou enviando "um abacaxi" para os parlamentares "descascarem com o dente".

O deputado, que é líder do partido do presidente Jair Bolsonaro e da maior bancada da Câmara (junto com o PT), criticou o fato de o governo ter prometido uma coisa para a Câmara e ter entregado outra em relação à reforma da previdência dos militares. A principal crítica é a inclusão da reestruturação da carreira.

Em sua avaliação, o ruído atrapalhou o andamento da tramitação da proposta que trata do Regime Geral da Previdência, apresentado ao Congresso há mais de um mês. "A Câmara quer votar, quer agir, mas precisamos que o governo explique as propostas. O projeto dos militares não atende ao que o governo se propôs a trazer para esta Casa", disse.

O deputado reclamou que a equipe econômica não procurou a Câmara em nenhum momento antes da apresentação da reforma, tendo deixado os parlamentares à mercê do que seria apresentado. Para ele, o diálogo do governo com o Congresso precisa melhorar para viabilizar a aprovação das reformas.

"Não tive nenhum diálogo com representantes do governo sobre o projeto dos militares. O Parlamento quer participar e não participamos da festa, da construção dessa proposta. Meu gabinete está de portas abertas para receber qualquer emissário a qualquer momento", disse. Ele chegou a fazer uma brincadeira sobre a falta de comunicação: "Vou ter que passar em uma delegacia para prestar queixa".

O líder do PSL disse ainda que o partido poderá entregar seus 54 votos desde que a reforma da Previdência seja igualitária para todos. "Ou o governo faz as mudanças no texto dos militares como queremos, ou deixa a Câmara fazer. Mas, neste caso, ele tem que assumir que deu tratamento diferenciado a uma categoria", afirmou.

Comentários
Leia também
UMA OPÇÃO PARA SUA RESERVA DE EMERGÊNCIA

Um ‘Tesouro Direto’ melhor que o Tesouro Direto

Você sabia que existe outro jeito de investir a partir de R$ 30 em títulos públicos e com um retorno maior? Fiz as contas e te mostro o caminho

fechamento dos mercados

Ibovespa perde ímpeto sem NY, mas consegue fechar em leve alta aos 110 mil pontos

Índice acionário estendeu sequência de altas em sessão de marasmo por liquidez reduzida. Embate entre Guedes e Campos Neto realça questão fiscal, mas juros recuam com leilão do Tesouro

eleição em são paulo

Empresários e investidores entregam manifesto a favor da candidatura de Boulos

Candidato é tratado como empreendedor social e, em conversas reservadas, o MTST é comparado a uma startup de sucesso

Zicou?

Wiz diz que foi surpreendida por ação da Polícia na sede da empresa

Segundo a PF, são cumpridos 13 mandados de busca e apreensão, em São Paulo, Rio de Janeiro e Brasília.

Dos males, o menor

Governo Central tem déficit de R$ 3,564 bilhões em outubro, diz Tesouro

O dado do mês passado veio melhor do que as previsões mais otimistas e ficou fora do intervalo das estimativas, que eram de déficit de R$ 64,060 bilhões a R$ 4,20 bilhões.

Rede 5G

‘Estamos sendo usados na disputa entre superpotências’, diz diretor da Huawei

Segundo ele, muitos países podem reavaliar seu posicionamento em razão da mudança no governo dos Estados Unidos, com a vitória do democrata Joe Biden.

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu
Advertisements

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies