ESQUEÇA BITCOIN: outra criptomoeda de R$ 4 pode valer R$ 80 em breve; conheça aqui

Angela Bittencourt
Blog da Angela
Angela Bittencourt
é jornalista e editora da Empiricus
Cotações por TradingView
2019-07-11T10:12:12-03:00
Blog da Angela

Força do Congresso é algo “novo e positivo” na política brasileira, diz UBS

Instituição considera reforma previdenciária “substancial” e vê impulso para mais mudanças estruturantes

11 de julho de 2019
10:10 - atualizado às 10:12
Precatórios
Congresso Nacional em Brasília - Imagem: Shutterstock

A primeira grande mudança na legislação que altera o nível estrutural de gastos do governo brasileiro, desde que o país começou a registrar déficits fiscais primários em 2014, está prestes a ser finalmente aprovada pelo Congresso: a substancial reforma previdenciária economizará algo em torno de R$ 900 bilhões em 10 anos.

O alerta foi disparado nesta manhã pelos economistas Tony Volpon e Fabio Ramos, do UBS, que reconhecem “a forte liderança demonstrada pelo Congresso na formulação e aprovação da reforma como algo novo e positivo na política brasileira”.

Em relatório distribuído a investidores nesta manhã, Volpon e Ramos explicam que embora a experiência passada mostre que "a fadiga da reforma" geralmente se instala após a aprovação de reformas importantes e controversas, o que pode ser agravado por eleições municipais, há sinais de que a aprovação da reforma da Previdência impulsionará a reforma tributária.

Na avaliação dos economistas do UBS, a reforma previdenciária, as perspectivas com outras reformas e a política monetária podem levar a uma trajetória de crescimento mais expressiva.

“Desde o final da grande recessão, o Brasil teve um crescimento decepcionante. Em duas ocasiões diferentes, o otimismo e as condições financeiras mais fáceis não se traduziram em maior expansão da atividade. Em retrospecto, as restrições estruturais, do lado da oferta e a falta de investimentos privados explicam a falta de reação da economia”, afimam Volpon e Ramos.

Eles lembram a queda dos juros nominais e reais a recordes históricos e a melhora dos mercados de ações e câmbio, mas ponderam que esses mercados ainda estão distantes de suas melhores marcas.

Os economistas do UBS entendem, porém, que o baixo desempenho relativo das ações e do câmbio não está dissociado da perspectiva de crescimento. Leitura semelhantes se aplica ao mercado de juros de longo prazo. “Pelo menos do ponto de vista fiscal, o nível das taxas longas seria justificado pela perspectiva de crescimento mais forte e aumento na receita tributária para que se fechasse a (ainda grande) lacuna fiscal.”

Comentários
Leia também
CUIDADO COM OS ATRAVESSADORES

Onde está o seu iate?

Está na hora de tirar os intermediários do processo de investimento para deixar o dinheiro com os investidores

SOBE E DESCE

Entenda por que o dólar ficou abaixo de R$ 5,00 pela primeira vez em meses e se a moeda americana ainda pode cair mais

5 de fevereiro de 2023 - 15:46

O dólar vem demonstrando fraqueza em relação à diversas outras divisas globais e algumas razões explicam esse movimento

RISCOS

Entenda como a atuação mais forte do BNDES pode afetar a eficácia da Selic contra a inflação

5 de fevereiro de 2023 - 12:52

Aloizio Mercadante assume o comando BNDES nesta segunda-feira (6) e já disse que há espaço para reduzir a taxa de juros cobrada pelo banco

NÃO FOI DESTA VEZ

Mega-Sena acumula de novo e prêmio vai a R$ 160 milhões; veja como aumentar suas chances de ganhar

5 de fevereiro de 2023 - 10:43

Mega-Sena está acumulada desde o sorteio da virada, próxima chance de virar um milionário será na quarta-feira (8)

FUTURO PLANEJADO

Quanto investir para garantir uma renda igual ao teto do INSS no Tesouro RendA+, o título do Tesouro Direto para aposentadoria

5 de fevereiro de 2023 - 9:38

Quanto mais tempo você puder esperar para começar a receber a renda, menos precisará investir. Confira duas simulações no Tesouro RendA+

ANOTE NO CALENDÁRIO

Agenda econômica: ata do Copom, dados de atividade e balanços de bancos são destaque na semana

5 de fevereiro de 2023 - 8:11

A ata da última decisão do Copom vai dar novas pistas quanto à trajetória da Selic. Lá fora, a agenda econômica estará mais vazia

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies