Menu
2019-12-11T19:49:52-03:00
Vinícius Pinheiro
Vinícius Pinheiro
Diretor de redação do Seu Dinheiro. Formado em jornalismo, com MBA em Derivativos e Informações Econômico-Financeiras pela FIA, trabalhou nas principais publicações de economia do país, como Valor Econômico, Agência Estado e Gazeta Mercantil. É autor dos romances O Roteirista, Abandonado e Os Jogadores
Até que enfim!

Agência de risco S&P eleva perspectiva para nota do Brasil para “positiva”

Embora atrasada, a decisão da S&P abre caminho para a recuperação no selo de bom pagador do país, perdido em setembro de 2015

11 de dezembro de 2019
19:49
Standard & Poor's
Escritório da Standard & Poor's - Imagem: Shutterstock

A agência de classificação de risco S&P decidiu elevar a perspectiva da classificação de risco do Brasil de "estável" para "positiva". A nota continua em "BB-", três níveis abaixo do patamar mínimo de grau de investimento.

Havia a expectativa de que a melhora no rating do país acontecesse logo depois da aprovação da reforma da Previdência. Embora atrasada, a decisão da S&P abre caminho para a recuperação no selo de bom pagador do país, perdido em setembro de 2015.

Em comunicado, a agência diz que o governo continua a implementar medidas de consolidação voltadas para reduzir o "ainda grande déficit fiscal" do País.

"Isso, junto com taxas de juros mais baixos e a gradual implementação de uma agenda de reforma devem contribuir para um crescimento e perspectivas de investimento um pouco mais forte ao longo dos próximos três anos, contanto que prossiga uma melhora gradual nos resultados fiscais", diz a S&P.

A decisão da agência saiu logo depois do anúncio do corte da taxa básica de juros (Selic) em 0,5 ponto percentual, para 4,5% ao ano.

Para a agência, a perspectiva positiva reflete a possibilidade de uma elevação no rating nos próximos dois anos, se houver mais progressos na agenda fiscal e de crescimento do governo, que permitam a redução mais rápida dos déficits fiscais e a estabilização da dinâmica da dívida.

Também pode haver elevação no rating se o crescimento econômico começar a se comparar de modo mais favorável com os pares de nível similar de desenvolvimento econômico, diz a S&P.

Outra alternativa seria se o perfil externo do Brasil se fortalecer mais, apesar da volatilidade global, "particularmente se ele mantiver uma posição de credor externa contida nos próximos dois anos".

Por outro lado, acontecimentos políticos ou econômicos que minem a aprovação e a implementação de reformas adicionais nos próximos dois anos, prejudiquem a perspectiva para a queda de déficits do governo e as tendências de estabilização da dívida, bem como limitem as perspectivas de crescimento no médio prazo, poderiam levar a uma revisão na perspectiva para a estável, complementa a agência.

Das três principais agências de classificação de risco, a Moody's é a que tem a melhor avaliação do Brasil, com uma nota "Ba2" – dois níveis abaixo do grau de investimento. A Fitch tem a mesma classificação da S&P para o país (BB-), mas com perspectiva estável.

*Com Estadão Conteúdo

Comentários
Leia também
OS MELHORES INVESTIMENTOS NA PRATELEIRA

Garimpei a Pi toda e encontrei ouro

Escolhi dois produtos de renda fixa para aplicar em curto prazo e dois para investimentos mais duradouros. Você vai ver na prática – e com a translucidez da matemática – como seu dinheiro pode render mais do que nas aplicações similares dos bancos tradicionais.

nos estados unidos

Remuneração de CEOs cresceu em meio à pandemia

Recuperação do mercado de ações impulsionou ganhos de executivos em 2020, que tiveram remuneração média de US$ 13,7 mi no período

Após estremecimentos

China quer parceria estratégia com Brasil, diz chanceler asiático

Chanceler chinês, Wang Yi, falou com o novo ministro das Relações Exteriores do Brasil, Carlos Alberto Franco França.

entrevista

Bittar reafirma que Guedes sabia de acordo para destinar verba a emendas

Apontado como um dos artífices da “maquiagem” no Orçamento, o senador Marcio Bittar diz que não chegou sozinho ao valor de R$ 29 bilhões em emendas

Apesar da pandemia

Saúde perde espaço em emendas parlamentares

Números mostram estratégia dos parlamentares para destinar recursos para obras e projetos de interesse eleitoral em seus redutos

Renovação do Conselho

Comitê interno da Petrobras desaprova dois nomes indicados ao Conselho

Indicados foram considerados inaptos pelo Comitê de Pessoas por terem atuado em empresas com relação direta com a estatal nos últimos três anos

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies