IPCA + 8% e outros títulos ‘premium’: receba as melhores ofertas de renda fixa no seu WhatsApp

Cotações por TradingView
2019-04-04T14:00:13-03:00
Estadão Conteúdo
Pior resultado em 3 anos

Poupança tem saques líquidos de R$ 4,02 bilhões em fevereiro, diz BC

Saques registrados no mês passado ainda refletem a necessidade das pessoas de levantarem recursos para pagar despesas de começo de ano

8 de março de 2019
16:46 - atualizado às 14:00
contas
Contas de começo de ano são as principais responsáveis pelas saídas da poupança - Imagem: Shutterstock

Após os saques registrados em janeiro, os brasileiros voltaram a recorrer à caderneta de poupança para fechar as contas neste início de ano. Dados do Banco Central mostraram que, em fevereiro, R$ 4,021 bilhões líquidos saíram da poupança. Foi o segundo mês consecutivo de saques. Também foi o pior resultado para a caderneta em um mês de fevereiro desde 2016, quando R$ 6,639 bilhões saíram da poupança.

Os saques líquidos registrados no mês passado ainda refletem, em grande parte, a necessidade de recursos para pagar despesas como IPTU, IPVA, matrículas e materiais escolares. Foram R$ 186,017 bilhões em saques no mês passado, contra R$ 181,996 bilhões em depósitos.

Considerando os rendimentos de R$ 2,966 bilhões na poupança em fevereiro, o saldo global da caderneta chegou aos R$ 787,934 bilhões.

No acumulado de 2019 até o fim de fevereiro, as retiradas líquidas da poupança já somam R$ 15,253 bilhões. O montante é resultado de saques de R$ 391,922 bilhões contra depósitos de R$ 376,669 bilhões.

Recuperação

Em função da crise econômica, a caderneta registrou saídas líquidas em 2015 e 2016, mas iniciou um processo de recuperação no ano seguinte. Em 2018, em meio à relativa retomada do emprego e da renda, a poupança fechou o ano com captação líquida de R$ 38,260 bilhões.

Esta procura maior pela poupança no ano passado ocorreu apesar de a rentabilidade ser, atualmente, inferior ao visto em anos anteriores. Hoje a poupança é remunerada pela taxa referencial (TR), que está próxima de zero, mais 70% da Selic (a taxa básica de juros da economia). A Selic, por sua vez, está em 6,50% ao ano desde março de 2018.

Esta regra de remuneração da poupança vale sempre que a Selic estiver abaixo dos 8,50% ao ano. Quando estiver acima disso, a poupança é atualizada pela TR mais uma taxa fixa de 0,5% ao mês (6,17% ao ano). Esta remuneração, mais elevada, deixou de valer em setembro de 2017, quando a Selic passou para abaixo do nível de 8,50%.

Brasil

Apesar dos resultados positivos da caderneta em 2017 e 2018, os brasileiros ainda não têm o hábito de guardar dinheiro.

Dados do Banco Mundial mostram que, em 2017, apenas 32% dos brasileiros com mais de 15 anos de idade guardaram alguma quantia de dinheiro - seja na caderneta, seja em qualquer outra aplicação financeira. A média global é de 48% e nos países de alta renda o porcentual é de 73%.

Comentários
Leia também
CUIDADO COM OS ATRAVESSADORES

Onde está o seu iate?

Está na hora de tirar os intermediários do processo de investimento para deixar o dinheiro com os investidores

Troca ou devolução

Comprou na Black Friday e se arrependeu? Veja quais são seus direitos

26 de novembro de 2022 - 11:59

O excesso de compras para aproveitar as oportunidades da Black Friday podem se transformar numa ‘ressaca’ no cartão de crédito

Recomendação de compra

Cielo (CIEL3) já dobrou de preço, mas ainda pode subir mais de 50% na bolsa, diz Santander. Confira detalhes

26 de novembro de 2022 - 9:48

Analistas do banco veem a Cielo (CIEL3) com vantagem competitiva em relação a adquirentes como Stone e PagSeguro

ANOTE NO CALENDÁRIO

Agenda econômica: PIB do 3º trimestre no Brasil e payroll nos EUA são destaques de semana cheia

26 de novembro de 2022 - 8:11

A agenda econômica estará carregada nesta semana, com dados importantes de atividade e inflação a serem divulgados no mundo

Aperte o play!

Só acaba quando termina: Lula talvez não consiga gastar tanto assim; como isso mexe com seus investimentos?

26 de novembro de 2022 - 8:00

No podcast Touros e Ursos desta semana, PEC da Transição, Haddad na Fazenda, Petrobras e, é claro, futebol

O MELHOR DO SEU DINHEIRO

As maiores reclamações da Black Friday, a decepção do mercado com Haddad e a semana difícil das criptomoedas; confira os destaques do dia

25 de novembro de 2022 - 19:16

Escalado para representar o presidente eleito Luiz Inácio Lula da Silva no almoço anual de dirigentes dos bancos na Federação Brasileira de Bancos (Febraban), o ex-ministro da Educação e ex-prefeito de São Paulo, Fernando Haddad, entrou em campo disposto a jogar para a torcida.  Diante de uma plateia de banqueiros e nomes fortes do setor […]

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies