Menu
Dados da Bolsa por TradingView
2019-06-17T13:12:28-03:00
Seu Dinheiro
Seu Dinheiro
caiu de novo

Pela primeira vez, projeção de alta do PIB em 2019 é reduzida para menos de 1%

Projeção do boletim Focus é de crescimento de 0,93%. Essa é a 16ª baixa seguida no Focus; para 2020, estimativa cai para 2,20%;

17 de junho de 2019
8:45 - atualizado às 13:12
PIB

O boletim Focus, publicação do Banco Central que reúne estimativas de economistas, divulgado nesta segunda-feira, 17, estima um crescimento do Produto Interno Bruto (PIB) em 2019 de 0,93%, ante 1,00% da semana passada. Essa é a 16ª baixa seguida no Focus. Para 2020, a projeção passou de 2,23% para 2,20%.

No último dia 30, o IBGE confirmou contração do PIB em 0,2% nos três primeiros meses de 2019 na comparação com o último trimestre do ano passado. A última queda do indicador havia ocorrido no quarto trimestre de 2016 e tinha sido de 0,6%. Em valores correntes, o principal indicador da economia brasileira totalizou R$ 1,714 trilhão.

Projeção de redução da Selic

Depois de uma semana em que a reforma da Previdência deu passos importantes, os especialistas, no boletim Focus, agora projetam uma redução na Selic, a taxa básica de juros, no fim de 2019: 5,75%, ante 6,50%.

Vale lembrar que a próxima reunião do Comitê de Política Monetária (Copom) do Banco Central, que discute o assunto, começa nesta terça-feira, 18

A projeção para a Selic no fim de 2020 passou de 7,00% ao ano para 6,50%.  Em 2021, o número permanece em 7,50% e para 2022 permanece também em 7,50%.

Os economistas do mercado financeiro também mostraram uma estabilidade no cenário para a moeda norte-americana em 2019. A mediana das expectativas para o câmbio no fim deste ano ficou em R$ 3,80. Para o próximo ano a projeção no fim do ano continua em R$ 3,80.

E o IPCA?

A projeção mediana para o Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) 2019 passou de alta de 3,89% para elevação de 3,84%. Há um mês, estava em 4,07%. A projeção para o índice em 2020 seguiu em 4,00%. Quatro semanas atrás, estava no mesmo nível.

O relatório Focus trouxe ainda a projeção para o IPCA em 2021, que seguiu em 3,75%. No caso de 2022, a expectativa também permaneceu em 3,75%. Há quatro semanas, essas projeções eram de 3,75% para ambos os casos.

A projeção dos economistas para a inflação está abaixo do centro da meta de 2019, de 4,25%, sendo que a margem de tolerância é de 1,5 ponto porcentual (índice de 2,75% a 5,75%). Para 2020, a meta é de 4%, com margem de 1,5 ponto (de 2,50% a 5,50%). No caso de 2021, a meta é de 3,75%, com margem de 1,5 ponto (de 2,25% a 5,25%).

As projeções mais recentes do BC, considerando o cenário de mercado, apontam para inflação de 4,1% em 2019 e 3,8% em 2020. Elas constaram no comunicado e na ata da última reunião do Comitê de Política Monetária (Copom), em maio. Já o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) informou, no dia 7, que o IPCA de maio subiu 0,13%. Em 12 meses, a taxa acumulada é de 4,66%.

Balança comercial

Os economistas do mercado financeiro alteraram a projeção para a balança comercial em 2019, de superávit comercial de US$ 50,14 bilhões para superávit de US$ 50,50 bilhões. Um mês atrás, a previsão também era de US$ 50,50 bilhões. Para 2020, a estimativa de superávit foi de US$ 45,55 bilhões para US$ 46,00 bilhões, ante US$ 45,55 bilhões de um mês antes.

Na estimativa mais recente do BC, o saldo positivo de 2019 ficará em US$ 40,00 bilhões. Esta projeção foi atualizada no Relatório Trimestral de Inflação (RTI) de março.

No caso da conta corrente, a previsão contida no Focus para 2019 passou de déficit de US$ 24,87 bilhões para déficit de US$ 23,00 bilhões, ante US$ 25,19 bilhões de um mês antes. Para 2020, a projeção de rombo foi de US$ 35,00 bilhões para US$ 32,80 bilhões. Um mês atrás, o rombo projetado era de US$ 35,00 bilhões.
O BC projeta déficit em conta de US$ 30,8 bilhões em 2019.

Para os analistas consultados semanalmente pelo BC, o ingresso de Investimento Direto no País (IDP) será mais do que suficiente para cobrir o resultado deficitário nos próximos anos. A mediana das previsões para o IDP em 2019 foi de US$ 83,60 bilhões para US$ 84,30 bilhões, ante US$ 82,00 bilhões de um mês atrás. Para 2020, a expectativa seguiu em US$ 84,36 bilhões, ante US$ 82,52 bilhões de um mês antes.

O BC projeta IDP de US$ 90,0 bilhões em 2019.

*Com Estadão Conteúdo 

Comentários
Leia também
A REVOLUÇÃO 3.0 DOS INVESTIMENTOS

Que pi… é essa?

Eu decidi sair do banco, mas não queria entrar em uma enrascada. Bem, acredito que eu tenha encontrado um portal para fugir dessa Caverna do Dragão das finanças. E cá estou para explicar essa descoberta.

oportunidade?

No pós-Raízen, ação da Cosan (CSAN3) é ponte para investimentos pouco acessíveis, diz BTG; veja preço-alvo

Para analistas do banco, mercado ignora capacidade da empresa de buscar oportunidades que muitas vezes não estão disponíveis para investidores comuns

fique de olho

Vale (VALE3) paga R$ 40,2 bilhões em dividendos; veja condições

Pagamento da remuneração ocorre em 30 de setembro; cifra diz respeito ao primeiro semestre de 2021 e equivale a R$ 8,10 por ação

Novos nichos

TC (TRAD3) desembolsa R$ 6,5 milhões pela RIWeb e fecha segunda aquisição em uma semana

A escolhida da vez é uma plataforma de comunicação com foco em relação com os investidores e surgida a partir da cisão parcial do Grupo Comunique-se

atenção, acionista

Renner e Telefônica Brasil anunciam juros sobre capital próprio; veja valores

Empresas pagam R$ 114,4 milhões e R$ 600 milhões, respectivamente; valores correspondem ao exercício social de 2021

Mesmo com Selic em alta

Mesmo com Selic em alta, Caixa reduz juros do crédito imobiliário atrelado à poupança

Banco agora tem as melhores condições do mercado para esta modalidade de financiamento

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies