Menu
2019-10-14T14:11:00-03:00
Pessimismo

Bradesco reduz previsão de alta do PIB de 1,1% para 0,8%

Após o resultado do PIB do primeiro trimestre, o Bradesco cortou suas projeções para o crescimento da economia em 2019, passando a prever uma expansão de menos de 1% no ano

8 de junho de 2019
15:30 - atualizado às 14:11
Gráfico indicando queda
O Bradesco agora prevê um crescimento de menos de 1% para a economia brasileira em 2019 - Imagem: Shutterstock

O Bradesco reduziu novamente a projeção para o crescimento do Produto Interno Bruto (PIB) de 2019 e é mais uma instituição a estimar que o PIB deve ficar abaixo de 1%. A estimativa caiu de 1,1% para 0,8%. Para 2020, a previsão foi mantida em 2,2%.

O banco informou, em relatório, que a projeção para o PIB pode ser alterada em função de eventuais estímulos específicos ao consumo, como a liberação do FGTS e PIS/Pasep, além de surpresas com o próprio calendário de tramitação da reforma da Previdência.

"A confirmação de queda de 0,2% do PIB no primeiro trimestre e os recentes indicadores de atividade sugerem uma transição ainda moderada para o segundo trimestre", diz o banco, que cita também a queda da confiança de empresários e consumidores em maio a uma deterioração do crescimento global.

Essa evolução mais contida da atividade deve deter pressões inflacionárias por um período mais prolongado, diz o banco. Para os núcleos no IPCA, o Bradesco projeta alta de 3,0% em 2019 e 3,3% em 2020. Além disso, a instituição também passou a projetar bandeira verde no fim do ano, o que dá impacto de baixa de 0,10 ponto porcentual sobre o IPCA.

O banco ainda avalia que as menores cotações de câmbio e de petróleo removem uma pressão altista que se observava nos últimos meses. "Por fim, vale destacar que nossas projeções incorporam uma expectativa de impacto da febre suína de 0,42 ponto, na soma de 2019 e 2020.".

Esse novo cenário reforça a aposta do banco em corte da Selic neste ano. O Bradesco estima que a Selic vai terminar 2019 em 5,75%, de 6,5% atualmente. Segundo a instituição, essa projeção deve ajudar a produzir uma aceleração de PIB e de inflação em 2019 e 2020.

"Um exercício interessante seria, por exemplo, simular um cenário em que a redução de juros não ocorre: nesse caso, teríamos um PIB mais fraco, e uma inflação menor", afirma. Conforme exercício do Bradesco, em um cenário que não há corte de juros, a inflação encerraria 2020 em 3,5%, abaixo do centro da meta de 4,0%.

O Boletim Focus do Banco Central desta semana reduziu pela 14.ª vez consecutiva a previsão de alta do PIB, que passou de 1,23% para 1,13%.

Comentários
Leia também
ENCRUZILHADA FINANCEIRA

Confissões de um investidor angustiado

Não vou mais me contentar com os ganhos ridículos que estou conseguindo hoje nas minhas aplicações. Bem que eu queria ter alguém extremamente qualificado – e sem conflito de interesses – para me ajudar a investir. Só que eu não tenho o patrimônio do Jorge Paulo Lemann. E agora?

comércio eletrônico

Desde o início da pandemia, e-commerce brasileira já ganhou 135 mil lojas

Segundo a Associação Brasileira de Comércio Eletrônico (ABComm), desde o início da pandemia mais de 135 mil lojas aderiram às vendas pelo comércio eletrônico para continuar vendendo e mantendo-se no mercado

atualização dos dados

Brasil tem 1,66 milhão de casos confirmados do novo coronavírus

Foram 1.254 novas mortes e 45.305 novas pessoas infectadas registradas nas últimas 24 horas, conforme atualização do Ministério da Saúde divulgada hoje

destravando o crédito

Banco do Brasil atinge R$ 3,3 bilhões em empréstimos no Pronampe em dois dias

Banco do Brasil se aproxima, assim, da meta de esgotar os recursos da iniciativa, aposta do governo Bolsonaro para destravar o crédito, ainda nesta semana

Prévia operacional

MRV bate recorde de vendas no 2º trimestre, totalizando R$ 1,81 bi e 11,5 mil unidades

Segundo prévia operacional, companhia também bateu recorde de volume de repasses, graças à regularização do Minha Casa Minha Vida

seu dinheiro na sua noite

A bolsa cheia e um restaurante vazio

Depois de quase quatro meses em home office, voltei a pisar hoje na redação do Seu Dinheiro. Foi uma passagem de um único dia para tratar de alguns assuntos com a Marina Gazzoni. Ela já retomou a rotina de vir ao nosso escritório duas vezes por semana, enquanto eu sigo na equipe que está em home […]

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu
Advertisements