A AÇÃO QUE ESTÁ REVOLUCIONANDO A INFRAESTRUTURA DO BRASIL E PODE SUBIR 50%. BAIXE UM MATERIAL GRATUITO

2019-10-14T14:11:00-03:00
Estadão Conteúdo
Pessimismo

Bradesco reduz previsão de alta do PIB de 1,1% para 0,8%

Após o resultado do PIB do primeiro trimestre, o Bradesco cortou suas projeções para o crescimento da economia em 2019, passando a prever uma expansão de menos de 1% no ano

8 de junho de 2019
15:30 - atualizado às 14:11
Gráfico indicando queda
O Bradesco agora prevê um crescimento de menos de 1% para a economia brasileira em 2019 - Imagem: Shutterstock

O Bradesco reduziu novamente a projeção para o crescimento do Produto Interno Bruto (PIB) de 2019 e é mais uma instituição a estimar que o PIB deve ficar abaixo de 1%. A estimativa caiu de 1,1% para 0,8%. Para 2020, a previsão foi mantida em 2,2%.

O banco informou, em relatório, que a projeção para o PIB pode ser alterada em função de eventuais estímulos específicos ao consumo, como a liberação do FGTS e PIS/Pasep, além de surpresas com o próprio calendário de tramitação da reforma da Previdência.

"A confirmação de queda de 0,2% do PIB no primeiro trimestre e os recentes indicadores de atividade sugerem uma transição ainda moderada para o segundo trimestre", diz o banco, que cita também a queda da confiança de empresários e consumidores em maio a uma deterioração do crescimento global.

Essa evolução mais contida da atividade deve deter pressões inflacionárias por um período mais prolongado, diz o banco. Para os núcleos no IPCA, o Bradesco projeta alta de 3,0% em 2019 e 3,3% em 2020. Além disso, a instituição também passou a projetar bandeira verde no fim do ano, o que dá impacto de baixa de 0,10 ponto porcentual sobre o IPCA.

O banco ainda avalia que as menores cotações de câmbio e de petróleo removem uma pressão altista que se observava nos últimos meses. "Por fim, vale destacar que nossas projeções incorporam uma expectativa de impacto da febre suína de 0,42 ponto, na soma de 2019 e 2020.".

Esse novo cenário reforça a aposta do banco em corte da Selic neste ano. O Bradesco estima que a Selic vai terminar 2019 em 5,75%, de 6,5% atualmente. Segundo a instituição, essa projeção deve ajudar a produzir uma aceleração de PIB e de inflação em 2019 e 2020.

"Um exercício interessante seria, por exemplo, simular um cenário em que a redução de juros não ocorre: nesse caso, teríamos um PIB mais fraco, e uma inflação menor", afirma. Conforme exercício do Bradesco, em um cenário que não há corte de juros, a inflação encerraria 2020 em 3,5%, abaixo do centro da meta de 4,0%.

O Boletim Focus do Banco Central desta semana reduziu pela 14.ª vez consecutiva a previsão de alta do PIB, que passou de 1,23% para 1,13%.

Comentários
Leia também
DINHEIRO QUE PINGA NA SUA CONTA

Uma renda fixa pra chamar de sua

Dá para ter acesso a produtos melhores do que encontro no meu banco? (Spoiler: sim).

O MELHOR DO SEU DINHEIRO

Magalu (MGLU3) dispara, BC amigo das criptomoedas e outros destaques do dia

12 de agosto de 2022 - 19:07

O mercado financeiro começou a semana olhando aterrorizado para os céus. Já era esperado que os dias fossem marcados pelo avistamento de dragões no ar, mas não se sabia ao certo o tamanho da encrenca que precisaria ser enfrentada.  Com traumas dos episódios recentes, quando a cada mês a ameaça se mostrava maior e mais […]

FECHAMENTO DO DI

Alívio com inflação leva Ibovespa a subir 6% na semana; Magazine Luiza (MGLU3), Hapvida (HAPV3) e Via (VIIA3) disparam após balanço

12 de agosto de 2022 - 18:41

Os indicadores melhores do que o esperado deram um respiro para o Ibovespa nesta semana; dólar caiu quase 2%

SEMANA EM CRIPTO

Ethereum (ETH) rouba a cena e dispara 14%, mas bitcoin (BTC) encerra semana acima dos US$ 24 mil; saiba o que esperar das criptomoedas

12 de agosto de 2022 - 17:56

O otimismo com a atualização do éter, as sanções ao Tornado Cash e o real digital são alguns dos destaque da semana

FEBRABAN TECH 2022

Setor financeiro melhora planos para o metaverso e já fala em criptomoedas como ‘espinha dorsal’ do processo — mas isso vai levar algum tempo; entenda

12 de agosto de 2022 - 17:40

O Febraban Tech 2022 foi realizado entre os dias 9 e 11 de agosto, em São Paulo; confira alguns destaques

COM PASSAGENS DE SAÍDA

Cinco empresas chinesas vão retirar seus ADRs da Bolsa de Nova York — saiba por quê

12 de agosto de 2022 - 17:02

As estatais anunciaram planos de retirada voluntária de seus ADRs ainda neste mês; a decisão acontece em meio à desacordo entre os órgãos reguladores da China e dos EUA

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies