Menu
2019-05-08T12:56:19-03:00
Vinícius Pinheiro
Vinícius Pinheiro
Formado em jornalismo, com MBA em Derivativos e Informações Econômico-Financeiras pela FIA. Trabalhou por 18 anos nas principais redações do país, como Agência Estado/Broadcast, Gazeta Mercantil e Valor Econômico. É coautor do ensaio “Plínio Marcos, a crônica dos que não têm voz" (Boitempo) e escreveu os romances “O Roteirista” (Rocco), “Abandonado” (Geração) e "Os Jogadores" (Planeta).
Hora de comprar?

“Boas notícias adiante.” Como os analistas reagiram ao balanço da Petrobras no 1º trimestre

Lucro da Petrobras caiu 42% afetado por mudança contábil, mas ações sobem forte com melhora nos mercados e perspectiva de melhora na produção e venda de ativos

8 de maio de 2019
12:56
Plataforma de petróleo da Petrobras
Imagem: Ag. Petrobras

O lucro da Petrobras veio abaixo do esperado pelo mercado no primeiro trimestre, mesmo sem considerar os efeitos das mudanças contábeis no balanço.

Mas os analistas que acompanham a estatal seguem otimistas com as ações, com base principalmente no que vem pela frente, como a expectativa de venda de ativos, além dos efeitos positivos da retomada da produção já no segundo trimestre.

As ações da Petrobras reagem em alta expressiva ao balanço e à melhora no humor dos investidores aqui e lá fora. Por volta das 12h35, os papéis preferenciais (PETR4) subiam 3,95%, cotados a R$ 27,39. Confira também nossa cobertura completa de mercados.

A Petrobras registrou lucro líquido de R$ 4 bilhões nos três primeiros meses deste ano, uma queda de 42% em relação ao mesmo período de 2018. Só que a maior parte dessa redução no resultado se deveu a uma mudança para adaptar o balanço da companhia às normas internacionais (IFRS). Além do lucro, a mudança contábil afetou outras linhas do balanço, como o endividamento.

Sem esse efeito, o resultado da Petrobras seria de R$ 5,142 bilhões, uma queda bem menor, de apenas 5%. A queda na produção da estatal e das cotações do petróleo no primeiro trimestre afetaram os números.

Leia a seguir os comentários sobre o balanço e as recomendações para as ações nos relatórios encaminhados aos clientes das corretoras dos bancos:

Bradesco BBI - Boas notícias adiante

Recomendação: outperform (compra)

Preço-alvo: R$ 37,00

"Apesar do risco de curto prazo do preço do diesel nacional (que, em nossa visão, adicionou alguma cautela), continuamos gostando dos aspectos do investimento no longo prazo, que incluem a sólida geração de fluxo de caixa, desalavancagem (redução do endividamento) e potencial recuperação da condição de grau de investimento."

Itaú BBA - Produção afetada por paradas

Recomendação: outperform (compra)

Preço-alvo: R$ 32,00

"Os resultados foram em linha com as nossas expectativas, mas abaixo das projeções do mercado (...) O principal destaque foi o número mais fraco de produção, que ficou em linha com a nossa estimativa, mas recuou 4% no trimestre e 5% em relação ao primeiro trimestre do ano passado com uma maior concentração de paradas de manutenção e atrasos no início de novas unidades."

"A Petrobras continua sendo nossa "top pick" no setor, com a expectativa de crescimento da produção, reclassificação e desalavancagem."

BTG Pactual - Permanecemos compradores

Recomendação: compra

Preço-alvo: US$ 20,00 (ADR)

"Embora os resultados tenham nos deixado um pouco preocupados sobre como o mercado vai lidar com as mudanças contábeis na endividamento e no valor da Petrobras, ainda enxergamos o compromisso de redução da alavancagem como forte o suficiente para manter uma visão positiva para as ações."

"Além disso, a recente alta do preço do petróleo, em conjunto com nossa expectativa de que a estatal retomará o nível de produção de 2,7 milhões de barris de óleo equivalente por dia a partir de maio, também indica uma melhor qualidade dos resultados no segundo trimestre."

Comentários
Leia também
DINHEIRO QUE PINGA NA SUA CONTA

Uma renda fixa pra chamar de sua

Dá para ter acesso a produtos melhores do que encontro no meu banco? (Spoiler: sim).

Boletim médico

Covid-19: Brasil tem 154 mil mortes e 5,27 milhões de casos acumulados

Atualmente há 397.524 pacientes em acompanhamento. De acordo com o Ministério da Saúde, 4.721.593 pessoas já se recuperaram da doença.

aperte o play

Netflix: 5 números que você precisa conhecer do resultado do terceiro trimestre

Spoiler: os investidores não gostaram do que viram… #SeuDinheiro

Mudanças no time

Weg anuncia renúncia de diretor de finanças e relações com investidores

A companhia divulga os seus resultados do terceiro trimestre na próxima quinta-feira (22)

SEU DINHEIRO NA SUA NOITE

A bolsa voltou aos 100 mil pontos. Agora pra ficar?

A trilha sonora do mercado nesta terça-feira podia ser O Portão, o clássico de Roberto Carlos do refrão “Eu voltei, agora pra ficar. Porque aqui, aqui é o meu lugar…” O Ibovespa retomou o patamar dos 100 mil pontos depois de pouco mais de um mês. Difícil é dizer se a volta será definitiva. Em outubro, […]

Prévias operacionais

Cyrela tem crescimento de 46% em lançamentos e 58% em vendas no 3º trimestre

Segundo as prévias operacionais, construtora lançou R$ 2,589 bilhões e vendeu R$ 2,456 bilhões no período

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu
Advertisements

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies