Menu
2019-10-25T12:31:09-03:00
Vinícius Pinheiro
Vinícius Pinheiro
Formado em jornalismo, com MBA em Derivativos e Informações Econômico-Financeiras pela FIA. Trabalhou por 18 anos nas principais redações do país, como Agência Estado/Broadcast, Gazeta Mercantil e Valor Econômico. É coautor do ensaio “Plínio Marcos, a crônica dos que não têm voz" (Boitempo) e escreveu os romances “O Roteirista” (Rocco), “Abandonado” (Geração) e "Os Jogadores" (Planeta).
Resultados

Ações da Petrobras sobem forte com ‘filme’ do balanço melhor que o ‘trailer’

Com os dados de produção já conhecidos, o grande destaque do balanço da Petrobras veio da linha de despesas, com queda no custo de extração de petróleo

25 de outubro de 2019
12:31
Petrobras
Imagem: Geraldo Falcão/Agência Petrobras

O filme do balanço do terceiro trimestre da Petrobras conseguiu ser ainda melhor do que o trailer. O lucro recorrente de R$ 9,973 bilhões superou as projeções dos analistas, que já eram otimistas depois dos dados de produção divulgados pela estatal na semana passada.

A reação na bolsa não poderia ser diferente. Por volta das 12h05, as ações preferenciais (PETR4) eram negociadas em alta de 4,03%, cotadas a R$ 29,46. Leia também nossa cobertura completa de mercados.

Com os dados de produção já conhecidos, o grande destaque do balanço da Petrobras veio da linha de despesas. O custo médio de extração da companhia caiu para US$ 9,7 por barril de óleo equivalente (boe). No pré, o custo no trimestre foi de apenas US$ 5/boe.

O endividamento da estatal, que chegou nos piores momentos a ameaçar o futuro da companhia, segue em trajetória de queda. A dívida bruta encerrou o trimestre em US$ 90 bilhões, uma redução de US$ 11 bilhões no trimestre.

Lembrando que a Petrobras poderá elevar o pagamento de dividendos além do mínimo legal quando a dívida bruta cair abaixo de US$ 60 bilhões.

Enquanto não pode elevar os dividendos, a empresa anunciou o pagamento de juros sobre o capital próprio (JCP) no valor de R$ 2,6 bilhões, equivalente a R$ 0,20 por ação ordinária e preferencial.

Apesar do bom desempenho de hoje, ainda há um fator que segura as ações da Petrobras: a esperada oferta de ações da estatal que estão na carteira do BNDES.

"O feedback que tivemos da maioria dos investidores é que não há pressa para entrar com uma oferta potencial de US$ 12 bilhões a caminho", escreveram os analistas do Bradesco BBI, em relatório a clientes. Leia a seguir a reação de alguns dos principais analistas que cobrem a Petrobras e as recomendações para os papéis:

UBS: Pouco a pouco o pássaro constrói seu ninho

Recomendação: compra

Preço-alvo: R$ 34,00

"A empresa está voltando aos trilhos com melhoras importantes na produção, custos e redução do endividamento. Ainda há um caminho pela frente, com o aumento da produção, conclusão da transferência de direitos e desinvestimentos adicionais. No entanto, vemos consistência e acreditamos que a empresa está no caminho certo."

Itaú BBA: 'Dito e feito'

Recomendação: outperform (compra)

Preço-alvo: R$ 38,00

"Os resultados bateram tanto as nossas projeções quanto o consenso de mercado, impulsionados em grande parte pelo segmento de exploração e produção (E&P), que registrou custos menores do que o previsto."

Bradesco BBI: Custos em queda e excepcional fluxo de caixa

Recomendação: outperform (compra)

Preço-alvo: R$ 38,00

"A Petrobras vem entregando tudo (ou quase tudo) o que tinha como objetivo: (1) venda de ativos, (2) crescimento da produção, (3) desalavancagem e (4) menor custo de capital."

BTG Pactual: Resultados fortes com crescimento de produção com qualidade

Recomendação: compra

Preço-alvo: US$ 17/ADR

"Reiteramos nossa recomendação de compra e o status da Petrobras como uma de nossas 'top picks', apesar do cenário desfavorável para o preço do petróleo. Mais do que apenas uma história de aumento da produção, a Petrobras continua a entregar resultados acima do esperado em margens e geração de caixa."

Comentários
Leia também
DINHEIRO QUE PINGA NA SUA CONTA

Uma renda fixa pra chamar de sua

Dá para ter acesso a produtos melhores do que encontro no meu banco? (Spoiler: sim).

Alguém anotou a placa?

Coronavírus derrubou quase tudo em fevereiro; só o dólar e uma parte da renda fixa se salvaram

Entre mortos e feridos, salvaram-se poucos; dólar disparou, bolsa desabou, e até alguns títulos de renda fixa tiveram desempenho negativo no mês.

Dinheiro no bolso

Banco do Brasil aprova pagamento de R$ 517,4 milhões em juros sobre capital próprio

Total a ser pago, relativo ao primeiro trimestre de 2020, equivale a R$ 0,1814 por ação

Seu Dinheiro na sua noite

O que nós fizemos depois da queda da bolsa

Eu sei que assistir de braços cruzados à forte queda das ações em meio à completa falta de clareza sobre os impactos do coronavírus nos investimentos é difícil. Mas foi exatamente o que nós aqui do Seu Dinheiro fizemos. Bem, não ficamos exatamente de braços cruzados. Acompanhamos de perto todos os desdobramentos deste momento delicado […]

Perdas generalizadas

Coronavírus derruba o mercado e faz o Ibovespa cair 8,43% em fevereiro, o pior mês desde maio de 2018

O coronavírus se espalhou pelo mundo e trouxe uma enorme onda de aversão ao risco às bolsas. Como resultado, o Ibovespa desabou em fevereiro e o dólar à vista renovou as máximas, flertando com o nível de R$ 4,50

Pensando nas taxas

Goldman Sachs prevê 3 cortes de juros pelo Fed até junho com coronavírus

Primeira redução seria de 0,25 ponto já na reunião do próximo do comitê, marcada para os dias 17 e 18 de março

Polêmica em Brasília

Presidente do Senado convoca sessão para votar vetos do Orçamento impositivo

Projeto obriga o governo a pagar todas as emendas parlamentares neste ano

BC dos EUA

FED: fundamentos da economia continuam sólidos, mas coronavírus representa risco

Declaração foi dada pelo presidente do FED, Jerome Powell, em comunicado divulgado nesta sexta-feira

REAL DESVALORIZADO

Real está no topo da lista das moedas de emergentes com maior queda desde janeiro

Segundo o levantamento, o real está atrás até mesmo de moedas como o Rand Sul-africano (ZAR) e o peso colombiano (COP). Mas o movimento de depreciação de moedas emergentes em relação ao dólar não é único no Brasil

Ouça o que bombou na semana

Podcast Touros e Ursos: Como navegar as águas turbulentas do mercado?

O surto de coronavírus pegou os mercados em cheio, provocando enormes perdas ao Ibovespa e fazendo o dólar disparar rumo a novas máximas. Nesse cenário, nossos repórteres discutem como se comportar em meio ao tsunami de notícias negativas e proteger seus investimentos. Confira os destaques da semana: O coronavírus chegou com tudo aos mercados Dólar […]

Militares nas ruas

Governo federal confirma prorrogação de GLO no Ceará até dia 6 de março

Prazo original também tinha duração de uma semana e venceria nesta sexta-feira, 28

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu
Advertisements