Menu
2019-10-11T17:53:51-03:00
Mais uma do roxinho

Nubank se prepara para oferecer pagamento instantâneo aos clientes

Instituição está trabalhando em conjunto com o Banco Central, contribuindo com informações para a regulamentação dos pagamentos instantâneos

11 de outubro de 2019
15:57 - atualizado às 17:53
Cartão da fintech Nubank
Imagem: Divulgação

O sócio fundador do Nubank, David Vélez, afirmou que a maior fintech brasileira da América Latina está se preparando para oferecer pagamentos instantâneos aos seus mais de 15 milhões de clientes.

"Teremos de conseguir fazer essa oferta. Imaginamos que nossos clientes vão querer ter pagamentos instantâneos e que os estabelecimentos também vão querer aceitar essa forma de pagamento", disse ele, a jornalistas, após participar do Fórum de Investimentos Brasil 2019

O Nubank está, conforme Vélez, trabalhando em conjunto com o Banco Central, contribuindo com informações para a regulamentação dos pagamentos instantâneos. "Existe muito argumento de tecnologia, segurança, tarifas. Por outro lado, temos uma estratégia de produto para desenvolvermos internamente nossos pagamentos instantâneos", explicou o executivo, sem dar mais detalhes.

Durante debate sobre a democratização do sistema financeiro, o presidente do Banco Central, Roberto Campos Neto, reiterou o compromisso do regulador de disponibilizar o sistema de pagamentos instantâneos até o fim de 2020.

Segundo ele, esse é um terreno bastante fértil para as fintechs e vai permitir diminuir o custo de intermediação financeira no País e ainda a circulação de dinheiro, o que beneficia a autoridade monetária.

"Os pagamentos instantâneos vão trazer uma grande revolução no Brasil juntamente com as outras medidas que o BC vem tomando, open banking, por exemplo", disse Campos Neto, destacando a importância de ter o projeto centralizado no BC e não em um ente privado no intuito de ter um sistema único e interoperável.

Comentários
Leia também
A REVOLUÇÃO 3.0 DOS INVESTIMENTOS

Quem é a Pi

Uma plataforma de investimentos feita para ajudar a atingir seus objetivos por meio de uma experiência #simples, #segura, #acessível e #transparente.

Acabou a crise?

A maldição de maio não pegou de novo: bolsa foi o melhor investimento do mês, e dólar foi o pior

Pelo segundo ano consecutivo, a máxima “sell in may and go away” não se fez valer. Ativos de risco se saíram bem em maio, mas títulos públicos de longo prazo e o dólar tiveram desempenho negativo

Covid no Brasil

Brasil chega a 465,1 mil casos por coronavírus e 27,8 mil mortes

Do total de casos confirmados, 189.476 pacientes foram recuperados

Agência de telecomunicações

Anatel acata decisão judicial e aprova regra que retira sigilo de ligações

A Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) regulamentou a questão ontem, 28, em cumprimento a uma decisão da Justiça Federal do Sergipe

seu dinheiro na sua noite

Adam Smith e o PIB da pandemia

A economia funciona desta forma: a produção de bens e serviços só existe em função do consumo. Essa conclusão não é minha, é claro, mas de Adam Smith. Citar o “pai” do liberalismo em um raro momento de consenso sobre a necessidade de maior atuação do Estado para conter os efeitos do coronavírus na economia […]

De novo

CVC adia mais uam vez entrega do balanço do quarto trimestre de 2019

A operadora e agência de viagens CVC informou nesta sexta-feira, 29, que as suas demonstrações financeiras referentes ao exercício de 2019 só devem ser apresentadas até 31 de julho

Auxílio emergencial

Caixa abre mais de 2 mil agências no sábado

Por enquanto, apenas quem recebeu a primeira parcela até 30 de abril e nasceu em janeiro pode sacar o valor

Saldo positivo

Após muita volatilidade, dólar acumula queda de 1,83% em maio; Ibovespa sobe 8,57% no mês

Uma suavização nos fatores de risco domésticos e globais permitiu que o dólar se despressurizasse em maio e levou o Ibovespa de volta aos 87 mil pontos

Presidente da Câmara

Maia rechaça aumento de impostos para suprir queda na receita e defende reformas

O presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), disse que considera difícil qualquer tipo de aumento na carga tributária para compensar a queda de receita pública por causa da pandemia de covid-19

Para dirigentes de instituições

CMN estende restrição de dividendos até dezembro de 2020

O Conselho Monetário Nacional (CMN) decidiu estender até dezembro de 2020 a regra que proíbe o aumento na remuneração de dirigentes de instituições financeiras e a distribuição de dividendos acima do mínimo obrigatório

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu
Advertisements